Imprimir esta página
Quinta, 10 Janeiro 2019 14:57

Advogado e OAB raciocinam na mesma direção sobre extinção da Justiça do Trabalho Destaque

Escrito por
Advogado José Carlos Manhabusco sugere cautela no debate sobre reforma da Justiça do Trabalho Advogado José Carlos Manhabusco sugere cautela no debate sobre reforma da Justiça do Trabalho Reprodução

O advogado José Carlos Manhabusco publicou, no último dia do ano passado, artigo sobre a reestruturação e reorganização da Justiça do Trabalho. Recentemente, na segunda-feira (7) desta semana, o Conselho da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e o Colégio de Presidentes de Seccionais, expressaram preocupação com a ideia da extinção dessa Corte do Trabalho.

Releia aqui o artigo

Isso demonstra que, mesmo atuando sob a jurisdição de um Tribunal Regional do Trabalho de pequeno porte (com só duas Turmas), ainda, assim, a qualidade dos profissionais dessa jurisdição é destacada pela manifestação oportuna, tempestiva e contemporânea aos acontecimentos que ocorrem em nível de Brasil.

Reflexo direto é o alinhamento da manifestação do advogado que integra o escritório Manhabusco Advogados SS e a direção do Conselho Federal da OAB que representa a classe com todos os advogados.

Veja o texto publicado pelo Conselho Federal da OAB:

Brasília, 7.7.2019 - O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil e o Colégio de Presidentes de Seccionais destacam que a Justiça do Trabalho é imprescindível para a efetivação de direitos consagrados na Constituição Federal. A OAB alerta para o prejuízo que propostas de extinção de um ramo fundamental da Justiça pode trazer a toda a sociedade.

Neste momento marcado por crise econômica, é preciso defender e valorizar a existência de uma Justiça dedicada a solucionar conflitos e orientar as condutas no mundo do trabalho. Longe de ser empecilho ao desenvolvimento econômico do país, a Justiça do Trabalho atua para garantir a paz social de milhares de trabalhadores e contribui para a segurança jurídica e o aperfeiçoamento nas relações com os empregadores.

Avanços são necessários ao sistema de Justiça. Muitos magistrados, inclusive que atuam na área trabalhista, precisam compreender que o respeito às prerrogativas profissionais da advocacia não é apenas uma obrigação legal como também uma atitude de valorização da cidadania, que contribui para o cumprimento dos objetivos da Justiça.

A Ordem dos Advogados do Brasil se coloca à disposição do atual Governo Federal para debater a eficiência no Poder Judiciário e formas para a sua modernização, mas se manterá firme na luta contra tentativas de extinção ou de fragilização da Justiça do Trabalho ou de qualquer outro ramo judicial que importe deficiência no acesso à Justiça.

Redação Douranews

Mais recentes de Redação Douranews