Timber by EMSIEN-3 LTD
  • cmd br
Sexta, 30 Agosto 2019 09:54

PGR decide que pequena propriedade rural de uso familiar não pode ser penhorada Destaque

Escrito por
Propriedade rural familiar deve estar livre de risco de penhora, sugere Raquel Dodge Propriedade rural familiar deve estar livre de risco de penhora, sugere Raquel Dodge PortalMS

“É impenhorável a pequena propriedade rural familiar constituída de mais de um terreno, desde que contínuos e com área total inferior a quatro módulos fiscais do município de localização”. Essa é a tese proposta pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge, em parecer encaminhado ao STF (Supremo Tribunal Federal) para subsidiar julgamento de recurso extraordinário com repercussão geral que trata sobre a possibilidade de penhora de imóvel rural.

No documento, Dodge destaca que “ante a ausência de norma expressa definidora do que seja a pequena propriedade rural para os específicos fins de impenhorabilidade e atendendo-se à teleologia da norma constitucional, impõe-se aplicar a regra de proteção mais abrangente ao pequeno produtor rural”. Ela entende que essa regra é a que está prevista na Lei da Reforma Agrária, a qual define como pequena propriedade rural aquela com área compreendida entre um e quatro módulos fiscais – que se apresenta como definição mais adequada à realidade rural brasileira e à inegável tendência de humanização do direito patrimonial.

Para a procuradora-geral, essa tese busca garantir “a impenhorabilidade da pequena propriedade rural familiar, desde que, mesmo não sendo a única propriedade da família, constitua-se de terrenos contínuos com área total inferior a quatro módulos fiscais do município de localização”. De acordo com ela, a conclusão segue as premissas de que as regras de impenhorabilidade do bem de família, assim como da propriedade rural, pautam-se no princípio da dignidade humana e servem para garantir a preservação de um patrimônio mínimo, e de que, sendo a impenhorabilidade a regra e voltando-se a norma para a proteção da família – e não do patrimônio do devedor –, suas exceções devem ser interpretadas restritivamente.

A PGR explica que, sobre a questão, a Constituição limita-se a prever que a pequena propriedade rural, desde que trabalhada pela família, não pode ser objeto de penhora para pagamento de débitos decorrentes da atividade produtiva, mas não define a pequena propriedade rural, e tampouco restringe, de modo expresso, a garantia da impenhorabilidade à hipótese de propriedade de apenas um imóvel rural.

No parecer, Dodge aponta que, em geral, estabelecem-se os litígios em torno do tema entre as empresas – impossibilitadas de receber seus créditos dos pequenos produtores rurais que, para permanecerem inadimplentes, invocam a prerrogativa da impenhorabilidade, mesmo sendo proprietários de outros imóveis rurais e havendo dado o bem em garantia – e os pequenos produtores rurais que assim agem, ao argumento de amparo na legislação vigente e no princípio da dignidade humana, que garante a preservação de um patrimônio mínimo necessário a sua subsistência.

Entenda o caso

O recurso foi interposto pela empresa Disam Distribuidora de Insumos Agrícolas Sul América contra decisão do Tribunal de Justiça do Estado do Paraná que reconheceu a impenhorabilidade do imóvel de produtor rural, independentemente de ter sido gravado com hipoteca, em razão de constituir pequena propriedade rural familiar. No recurso, a Disam sustenta a penhorabilidade do bem, por não ser o único bem imóvel dos produtores e por não se classificar como pequena propriedade rural.

  • unimed nova

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014

WhatsApp 9 9913 8196

Telefones Úteis

Horários de Vôos | Horários de Ônibus