Imprimir esta página
Segunda, 20 Junho 2011 16:43

Longen destaca presença do Senai junto ao setor sucroenergético

Escrito por Redação Douranews, com Assessoria
O presidente da Fiems participou do lançamento da pedra fundamental da usina de álcool e energia do Grupo ETH Bioenergia em Costa Rica

Ao participar da cerimônia de lançamento da pedra fundamental da usina de álcool e energia elétrica que o Grupo ETH Bioenergia está construindo em Costa Rica, o presidente da Fiems, Sérgio Longen, destacou a presença do Senai junto ao setor sucroenergético com a qualificação de 1.515 trabalhadores no ano passado e previsão de capacitar mais de 1.700 pessoas até o fim deste ano. “O lançamento dessa pedra fundamental demonstra que o setor se consolida no Estado. Hoje, esse segmento industrial conta com mais de 15 mil trabalhadores apenas nas usinas, tendo a presença do Senai na qualificação dessa mão de obra, tanto para as usinas do Grupo ETH, quanto para as de outros grupos. Esse é o novo Mato Grosso do Sul”, declarou.

Com as usinas de açúcar, álcool e energia apresentando uma necessidade crescente por profissionais qualificados, Sérgio Longen acrescenta que o Senai do Estado vem sendo reconhecido como referência nacional e até internacional no atendimento das demandas do setor. “Nesse cenário, estamos investindo na adequação da nossa infraestrutura de atendimento, com a abertura de agências profissionais em Nova Alvorada do Sul e Deodápolis, reforma, ampliação e modernização do centro de educação de tecnologia em Dourados, aquisição de modernos equipamentos, como a microdestilaria didática de etanol, e a capacitação de técnicos, com experiências diversificadas que atendam aos múltiplos processos industriais, para multiplicar o conhecimento junto ao setor”, enumerou.

Já o presidente da ETH Bioenergia, José Carlos Grubisich, ressalta que Mato Grosso do Sul tem grande importância na estratégia de crescimento do Grupo ETH. “Com as três unidades agroindustriais – Eldorado, localizada em Rio Brilhante, Santa Luiza, localizada em Nova Alvorada do Sul, e agora Costa Rica – em plena operação, atingiremos no Estado a produção de 1,1 bilhão de litros de etanol e 980 GWh de energia de biomassa por safra”, explicou, completando que, com investimento total de R$ 8 bilhões em todo o País, o objetivo do Grupo é ser líder em bioenergia com nove unidades, produção de 3 bilhões de litros de etanol e cogeração de 2.700 Gwh/ano de energia elétrica em 2012.

Sustentabilidade

José Grubisich ressalta ainda que a ETH Bioenergia está implantando no Estado um modelo de produção que alia competitividade, segurança e sustentabilidade. “Nossa intenção é reforçar os planos do Grupo para o crescimento da capacidade produtiva sul-mato-grossense, sem nos esquecermos dos investimentos também em responsabilidade ambiental e social”, discursou, acrescentando que essa nova usina vai contribuir para consolidar Mato Grosso do Sul como um importante pólo produtivo do Grupo, assim como São Paulo, Mato Grosso e Goiás.

Para o presidente da Biosul (Associação dos Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul), Roberto Hollanda Filho, a ETH evidencia a importância do Estado no contexto nacional de produção de bioenergia ao lançar a pedra fundamental da Usina Costa Rica. “Essa iniciativa do Grupo chega em um momento que o setor sucroenergético precisa crescer no Estado”, disse, completando que hoje Mato Grosso do Sul conta com 21 usinas em produção e com previsão de outras três entrarem em operação ainda neste ano, já incluindo a unidade de Costa Rica.

O governador André Puccinelli aproveitou a cerimônia de lançamento da pedra fundamental da Usina Costa Rica para confirmar o total apoio do Governo do Estado à implantação em Mato Grosso do Sul de um pólo de produção de polietileno oriundo da cana-de-açúcar – o plástico verde - pela Braskem, que, assim como a ETH Bionergia, pertence ao Grupo Odebrecht. “Já posso adiantar a concessão de incentivos fiscais e também a doação de terreno para a Braskem, caso a empresa resolva construir uma fábrica de plástico verde no Estado. Temos ainda a vantagem de envolver os municípios na oferta de incentivos fiscais e de mão de obra”, disse.

A usina

Com investimento da ordem de R$ 1 bilhão, a Usina Costa Rica, localizada na estrada que liga o município a Alcinópolis, será inaugurada em outubro deste ano, tendo capacidade de processar 360 milhões de litros de etanol anualmente e gerar 1,8 mil empregos diretos. Além de produzir álcool anidro e álcool hidratado, a indústria terá potencia instalada para cogeração de até 380 Gwh (gigawatts/hora) de energia elétrica a partir do bagaço da cana-de-açúcar por safra, destinada ao consumo próprio e a comercialização para terceiros.

O Grupo ETH Bioenergia já opera no Estado duas outras unidades, a Santa Luzia, instalada em Nova Alvorada do Sul, e a Eldorado, localizada em Rio Brilhante. A primeira tem capacidade de moer 3 milhões de toneladas de cana e produzir 540 milhões de litros de álcool, enquanto a segunda processa 2,1 milhões de toneladas e produz 180 milhões de litros de álcool, sendo que as duas também vão gerar energia a partir da biomassa da cana até 2012, com Santa Luzia produzindo 380 Gwh e a Eldorado 220 Gwh.

A área industrial da Usina Costa, assim como das outras sete unidades do Grupo ETH no País já em operação, conta com tecnologia de ponta e equipamentos eficazes, como caldeiras de alta pressão e extração de caldo por difusor. Além disso, ela entrará em operação com capacidade instalada para moer 3,8 milhões de toneladas de cana por safra, sendo que na área agrícola o plantio e a colheita são 100% mecanizados, elevando a produtividade e eliminando a emissão de gases com a queimada de palha de cana-de-açúcar.