Timber by EMSIEN-3 LTD
  • ms dengue
  • Dnews Whats
Redação Douranews

Redação Douranews

A prefeita Rhaiza Matos recebeu quarta-feira (6), no Gabinete, compromisso do empresário Miguel Salinas (Braspy Energy Brasil) para a construção de uma usina termelétrica de resíduos sólidos no Município. No final do ano passado ele assinou a PPP (Parceria Público Privada) e se disse empenhado na liberação das questões burocráticas do empreendimento.

"Hoje, estamos buscando o licenciamento ambiental, por isso, solicitamos apoio da Gerência de Meio Ambiente no sentido de, juntos, acelerarmos este processo obedecendo toda a legislação ambiental”, argumentou o empresário.

O gerente Luiz Alberto Ávila Júnior (Meio Ambiente) informou que já está articulando os procedimentos, inclusive, com consultas junto ao Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul). A usina termelétrica exigirá investimentos de aproximadamente R$ 250 milhões. O sistema atua na utilização responsável do lixo resultando na proteção do meio-ambiente e, principalmente, vai garantir a geração de empregos.

“O desenvolvimento sustentável é meta de nossa administração. A implantação desta usina termelétrica de resíduos sólidos vem ao encontro de nossa proposta de atuar no combate à poluição ambiental, ao mesmo tempo em que estaremos solucionando um dos maiores problemas da cidade que é a destinação correta do lixo urbano”, destacou a prefeita Rhaiza Matos.

Comentário

O projeto Paraná Vencendo a Covid-19, que já atendeu 1.175 pessoas entre 23 de setembro e 8 de dezembro do ano passado, desenvolvido por médicos voluntários, com apoio da Universidade Filadélfia (Unifil), e contribuições da sociedade civil, apresenta resultados surpreendentes. De todos os pacientes que foram atendidos pela equipe de médicos e enfermeiros da Unifil, apenas um acabou falecendo. Todos os demais se recuperaram e, a maioria absoluta deles, sem necessidade de internação.

O projeto, que consiste no tratamento precoce da doença com um coquetel de medicamentos de baixo custo e acompanhamento diário dos pacientes, só foi possível, também, porque “a sociedade civil contribuiu generosamente com doações e estas foram revertidas em equipamentos de proteção individual aos profissionais e medicação aos pacientes, que nada pagaram pelos medicamentos ou atendimento”, conforme consta do relatório final dos trabalhos.

O médico Laércio Abrahão Ceconello, que é de Dourados, mas, atualmente trabalha no Paraná, plantonista em Londrina e Rolândia, disse que tem receitado os medicamentos desde março, sem qualquer intercorrência mais grave. De acordo com Ceconello, países que adotaram o tratamento precoce tem índice de mortalidade muito inferiores aos que não usaram o procedimento.

Mesmo no Brasil, segundo ele, é possível observar que a taxa de mortalidade é muito inferior entre cidades que adotaram o tratamento precoce e as que seguiram como protocolo a recomendação para o paciente esperar em casa a melhora ou a falta de ar, hipótese em que deve voltar à unidade de saúde. Ele citou como exemplo União da Vitória e Curitiba. "A capital tem uma rede hospitalar muito melhor, mas o índice de mortalidade é muito maior do que em União da Vitória, que adotou o tratamento precoce como protocolo de atendimento", disse o médico.

Para oferecer o tratamento precoce aos pacientes do projeto Paraná Vencendo a Covid, a equipe médica atendeu pacientes até no máximo o quinto dia do início dos sintomas, embora não tenha negado socorro àqueles que procuraram o ambulatório em estado mais grave.

Resultados

Dos 1.175 pacientes atendidos, 190 não foram tratados como pacientes contaminados por coronavírus, porque o diagnóstico foi afastado pela equipe. Os 985 pacientes restantes receberam tanto a prescrição do tratamento como a doação dos medicamentos, mas 10 deles não usaram os medicamentos. Dos 975 pacientes que usaram os medicamentos do tratamento precoce, apenas 11 foram internados, sendo 2 em UTI e 9 em enfermaria. Isso perfaz um índice global de internação de 1,1%; apenas 6 pacientes (0,6%) evoluíram para a fase 2B da doença, necessitando de oxigenoterapia. As outras 5 internações foram por motivos diversos ao acometimento pulmonar, de curta duração, sem necessidade de cuidados intensivos.

Comentário

O trabalho de montagem de elenco do Juventude AG para disputa da temporada 2021 e estreia na Liga Nacional de Futsal segue durante as férias de janeiro, e a Comissão Técnica comandada por Lucas Chioro anuncia o primeiro nome, do pivô Simi, ex-Corinthians e Seleção Brasileira para que o time comece a ganhar corpo.

Os reforços foram anunciados pela conta oficial do clube no Instagran. O goleiro Thiago Soares negociava com o clube desde o fim do ano passado e chegou a um acordo. Experiente, o atleta de 31 anos já defendeu a AABB São Paulo, Intelli e clubes da Espanha, França e Portugal. Está certa também a chegada do ala Kris, outro atleta que passou pelo Corinthians e pela Seleção Brasileira. No exterior, jogou na Hungria, Armênia e República Tcheca.

Responsável direto pela escolha dos jogadores, Lucas Chioro se diz satisfeito com os progressos obtidos até aqui. “O Thiago teve boas passagens em clubes do Brasil, mas com poucas oportunidades. Ele buscou espaço na Europa e foi muito bem, particularmente na Espanha e todas as informações que coletamos sobre ele são positivas. O Kris nós já vínhamos acompanhando no Corinthians. É um jogador muito habilidoso, rápido e com muitos recursos e por isso quando houve a oportunidade de contratá-lo fizemos todo esforço possível para ter com a gente. Apesar da idade é um jogador muito experiente”, avaliou o treinador.

Outros atletas devem ser anunciados nos próximos dias e a apresentação e início dos treinos para as competições da temporada estão marcados para começo de fevereiro. Além da Liga Nacional de Futsal, que começa entre abril e maio, o Juventude AG disputa também outras competições estaduais, com presença certa, por exemplo, na Copa Morena da temporada.

Comentário

Foi um sucesso o procedimento de captação de órgãos, o primeiro de 2021 em Dourados, realizado pela equipe da Cihdott (Comissão Intrahospitalar de doação de órgãos e tecidos para transplantes) do HV (Hospital da Vida), ao longo desta quinta-feira (7), com duração média de cinco horas.

O trabalho foi reconhecido pelo médico nefrologista Antonio Pedro Bittencourt, precursor da iniciativa no Município e coordenador da Cihdott do HV. “O grupo não mediu esforços para que tudo ocorresse de forma satisfatória”, mesmo em situação de pandemia da Covid-19 que exige atenção e dedicação redobrada dos profissionais de saúde. Ele destacou a parceria com a Intensicare, presente em todas doações realizadas sob a supervisão da Central estadual de Transplante, agradecendo também à administração do Hospital da Vida e à equipe de UTI pelo apoio.

doaçao 2021 equipe

Trabalho resultou em rins para paciente de São Paulo e de fígado para Curitiba após mobilização

A enfermeira Jaqueline Foppa, membro da Comissão, disse que o apoio dos familiares da paciente, uma menina de 11 anos, de Ponta Porã, que havia manifestado em vida o desejo de ser doadora de órgão e que adentrou nesta quinta na UTI do HV para concluir o fechamento do protocolo de morte cerebral, “foi decisivo; sem a aceitação e a colaboração da família nada disso poderia ter sido realizado”.

O grau de generosidade “sem tamanho”, como concluiu o médico Antônio Pedro, possibilitou a captação de rins, doados para paciente da fila de espera em São Paulo e de fígado, encaminhado para Curitiba. A equipe pousou na cidade por volta das 10h45, iniciando o procedimento logo em seguida, com término às 16 horas. A enfermeira e coordenadora de enfermagem do Hospital da Vida, Denise Reginato, acompanhou todo o trabalho.

Comentário

Duas mulheres e um homem, todos residentes em Dourados e com comorbidades, reforçam a lista, agora atualizada para 169 óbitos, das vítimas fatais do novo coronavirus no Município. Segundo o boletim, divulgado na tarde desta quinta-feira (7), com os 218 novos casos, o total de confirmações de infectados pela doença chegou a 14.935 pessoas, contra 12.923 casos recuperados.

Entre as novas mortes, foram registrados o caso da mulher que internou em hospital particular no dia 27 de dezembro, realizou teste para Covid com resultado positivo, foi transferida para a UTI de hospital público, onde evoluiu a óbito ocorrido nesta quarta-feira (6), da mesma forma que o outro caso, também com a confirmação de óbito na quarta, de mulher internada no PAM dia 28 do mês passado. Confirmado ainda o caso de morte do homem internado em hospital particular dia 18 de dezembro que testou positivo para a Covid.

Conforme ainda o mais recente boletim, Dourados registra 80 casos de internação para o tratamento do coronavírus. Desse total, 36 estão em leitos de enfermaria e os outros 44 em UTIs. 1.794 pessoas infectadas com a doença estão em tratamento domiciliar e a taxa de ocupação hospitalar encerrou o dia com 94% de preenchimento dos leitos de UTI Covid e 69% para as demais doenças.

Comentário

O novo decreto municipal (número 13), publicado em edição suplementar do Diário Oficial de Dourados na tarde desta quinta-feira (7), que dispõe sobre medidas para prevenção do contágio da Covid-19, manteve todas as regras e medidas já listadas no decreto anterior, inclusive com o funcionamento diário de academias e templos religiosos, obedecidas as medidas de contenção de legislação anterior.

CONFIRA AQUI

A única novidade do decreto, com a assinatura do prefeito Alan Guedes e do Procurador Geral do Município, Paulo César Nunes, é o parágrafo 6 do artigo 3, determinando que "supermercados, hipermercados, atacadistas e lojas de médio e grande porte deverão aplicar aferição de temperatura nas entradas dos estabelecimentos, disponibilizando, inclusive no interior de suas dependências, álcool 70%". A medida já é cumprida pela maioria desses estabelecimentos.

O toque de recolher continua em vigor das 22 horas às 5 horas e, no caso de comemorações de festividades realizadas em residências, "recomenda-se que contemplem apenas os indivíduos que coabitam no mesmo domicílio", tirando o caráter proibitivo dos decretos da administração passada. A nova redação entra em vigor nesta sexta-feira (8) com prazo de vigência pelos próximos 10 dias.

Comentário

O prefeito Alan Guedes (PP) anunciou na manhã desta quinta-feira (7), durante Coletiva de Imprensa convocada para o auditório da Prefeitura, que medidas emergenciais terão que ser adotadas para equilibrar as contas do Município. Até o começo da semana que vem devem ser estabelecidos os índices desse impacto. Segundo o prefeito, o trabalho da Equipe de Transição não teve caráter de auditoria, mas não descartou uma varredura mais completa nas contas herdadas.

Guedes disse que já pediu à equipe técnica um raio-x do quadro de servidores comissionados, e determinou corte de, pelo menos, 30% desse contingente e determinou, também, a suspensão de pagamentos de contratos com fornecedores e prestadores de serviços pelo prazo de noventa dias. “Isso é para ajustar ao Plano de 100 Dias que estamos elaborando”, justificou.

O prefeito disse que não há recursos em caixa para o pagamento da folha salarial de dezembro, com custo médio de R$ 31 milhões, compromisso que, pela LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal), deveria ser cumprido até o quinto dia. O recurso disponível em caixa é de cerca R$ 8 milhões. Dentro desse cenário, a equipe técnica avalia soluções para realizar os pagamentos devidos. Alan prometeu definir uma data “em breve”.

Essa situação, que ele atribuiu de “irresponsabilidade” do gestor anterior da pasta da Fazenda, Carlos Augusto Pimentel, ao anunciar em live institucional divulgada na página da Prefeitura pelo Facebook, que o dinheiro para quitação da folha de dezembro estava no caixa, também vai impactar nas metas iniciais definidas por Alan para os primeiros três meses da administração. O procurador geral do Município, Paulo César Nunes, disse ao DOURANEWS que relatório completo da situação encontrada será encaminhado ao TCE (Tribunal de Contas do Estado).

Arrocho

O novo prefeito pretende economizar em torno de R$ 780 mil com o corte de pessoal e orientou, ainda, à equipe, para a necessidade de reduzir em torno de 25% do custeio da máquina, com o corte de serviços considerados não essenciais. Ele citou passagens e gastos com diárias de servidores. A compra de medicamentos está fora do contingenciamento. Uma equipe da Secretaria de Fazenda e de Administração, junto com a Procuradoria Geral do Município e do Gabinete vai analisar as novas medidas, “caso a caso”.

Alan disse que o intuito é cumprir com as obrigações financeiras do município e, posteriormente, recuperar a capacidade de investimentos. Ele ainda citou que impostos que a prefeitura começará a receber nos próximos meses precisarão ser bem administrados. “Se não tivermos um planejamento financeiro e fiscal, esse incremento que entra em fevereiro e maio com o IPTU e IPVA chega em outubro e se esgota. Então é necessário esse arrocho financeiro inicial para no final desse período oferecer para a cidade uma boa prestação de serviços mesmo com esses cortes do ponto de vista financeiro”, finalizou o prefeito, conforme divulgou a assessoria.

Daqui pra frente

Apesar da situação encontrada, Guedes disse que não pretende entrar na disputa sobre quem está falando a verdade, ou não, na prestação de contas do mandato anterior para o atual. “Foi decisão administrativa deles, mas nós vamos olhar daqui pra frente. Se não tem o dinheiro, vamos procurar resolver daqui pra frente”, prometeu.

Comentário

Relatório do dia 31 com data de 28 de dezembro do ano passado mostra que a administração que deixou a Prefeitura no fim do ano pagou R$ 23 milhões entre os últimos 11 dias de 2020.

“Mesmo assim, esse dinheiro não pagava a folha do servidor que vence nesta sexta-feira (8), e agora precisamos da compreensão do funcionalismo para quitar em breve esse compromisso”, discursou o prefeito em coletiva de imprensa na manhã desta quinta-feira (7) na sala de reuniões da prefeitura.

 

Alan Guedes espera pagar os salários de dezembro até quarta-feira que vem e considerou “irresponsabilidade“ a fala do ex-secretário Carlos Augusto Pimentel de que havia saldo pra pagar os salário. “Não vou entrar nessa disputa. Foi decisão administrativa deles, mas nós vamos olhar daqui pra frente. Se nao tem o dinheiro,  vamos procurar resolver daqui pra frente “.

Comentário

A UFGD realiza neste domingo (10) as provas objetivas dos candidatos aos programas de Residência Médica e Residência em Área Profissional da Saúde do HU (Hospital Universitário). As provas serão realizadas no Bloco C da Unidade 2 da UFGD, conforme os editais de convocação publicados no dia 18 de dezembro.

Conforme o coordenador do Centro de Seleção da Universidade, Nelson Tsuji Junior, 57 candidatos foram inscritos para as 18 vagas do Programa de Residência Médica e outros 191 para as 26 vagas dos programas de Residência em Área Profissional da Saúde.

Ainda de acordo com o coordenador do Centro de Seleção da UFGD, serão adotadas todas as medidas de segurança como o distanciamento entre os candidatos, quantidade reduzida de vestibulandos por sala, uso do álcool 70% e disponibilidade de materiais para a higienização dos candidatos e dos trabalhadores do processo.

Um dos candidatos, Mário Lucas, de Campo Grande, se manifestou preocupado com a situação da pandemia na cidade, em função da lotação das unidades hospitalares e a propagação da Covid-19. “Estou preocupado com a situação de até o momento estar mantida a prova para o próximo domingo, isso é perigoso diante do número recorde de mortes pela Covid”, disse ele ao DOURANEWS.

Na opinião do candidato, “esse processo deveria ser adiado para um futuro próximo que não estivéssemos em um pico tão alta de infecções e taxas de ocupação de leitos”. A assessoria da UFGD informou que o cronograma de realização das provas segue inalterado.

 

Comentário

Com investimentos de R$ 4 milhões do Fundo Especial de Saúde, o Ministério da Saúde aprovou projeto em que firma parceria com o Governo do Estado para a construção de dois Centros de Verificação de Óbitos (SVO) que serão instalados nos municípios de Campo Grande e Dourados. Os extratos dos contratos foram publicados nesta quarta-feira (6), no Diário Oficial da União.

Após a construção dos novos centros, os municípios passarão a ter mais agilidade e autonomia para determinar a causa do óbito, nos casos de morte natural, sem suspeita de violência, com ou sem assistência médica, sem esclarecimento do diagnóstico e, principalmente, aqueles por efeito de investigação epidemiológica.

Para o secretário de Saúde, Geraldo Resende, a solicitação faz mais de 20 anos que está sendo cobrada pela população. “Infelizmente, o serviço funciona de forma precária dentro das instalações do IMOL (Instituto de Medicina e Odontologia Legal). Vamos construir dois, um para atender toda a região da Grande Dourados e o outro para atender a região de Campo Grande, Corumbá e Três Lagoas”, anunciou.

O Centro de Verificação de Óbitos de Campo Grande está orçado em R$ 2,4 milhões e terá 600 m². Já o de Dourados está orçado em R$ 1,6 milhão e terá 400 m². De acordo com o projeto, as instalações terão os seguintes ambientes: recepção, wc-público, wc-funcionários, banheiros masculino e femininos para funcionários, sala de coordenação, sala administrativa, sala de reunião/treinamento, copa, DML, almoxarifado, área para desembarque de cadáveres, entrada de cadáveres, recebimento de cadáveres-câmara fria, sala de necropsia, vestiários/paramentação, sala de utilidades, laboratório geral, laboratório de macroscopia, laboratório de histologia, sala de microscopia, sala de lado, depósito, arquivo de peças, repouso/plantão, CPD/Rede, áreas técnicas e resíduos, assistente social.

Comentário

Página 6 de 1805
  • Douranews Anúncio
  • Editais

O Tempo Agora

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014

WhatsApp 9 9913 8196

Telefones Úteis