Timber by EMSIEN-3 LTD
  • unigran topo 1
  • Dnews Whats
Redação Douranews

Redação Douranews

Os drive thrus contam com mais um aliado para ampliação da testagem de diagnóstico do coronavírus: os testes rápidos, iniciados a partir desta sexta-feira (29) pelo sistema de agendamentos nos quatro municípios do Estado onde estão instaladas a iniciativa. Os atendimentos já começam a partir de segunda-feira (1 de junho), informa a Secretaria estadual de Saúde.

Os exames são indicados para quem teve os sintomas do coronavírus há mais de 8 dias. “Com isso vamos ampliar a testagem na população, sendo um fator essencial para a tomada de decisão em relação às medidas para combate da doença, considerando que serão dois agendamentos, o que já fazemos do RT – PCR, que é do 1º ao 7º dia dos sintomas, já o rápido a partir do 8º dia dos sintomas gripais”, explica o secretário Geraldo Resende.

“Na abertura [para os testes rápidos], já fiquei sabendo que as vagas foram preenchidas, ou seja, houve demanda em Dourados, e vamos fazer o possível, inclusive aumentando a testagem e garantindo a todos os cidadãos o acesso ao teste”, reforçou Resende durante a transmissão ao vivo desta sexta-feira nas redes sociais do Governo de MS.

Além disso, os dois testes se diferenciam em relação ao diagnóstico, conforme ressalta o diretor em saúde, o coronel Marcello Fraiha: “O teste RT PCR, que é o de biologia molecular, detecta o vírus na pessoa, o rápido detecta os anticorpos adquiridos ao entrar em contato com o vírus”.

Atualmente, o estoque de testes rápidos totaliza 30 mil unidades. Nos drive-thrus, serão aplicados da seguinte maneira: Em Campo Grande (todos os dias, inclusive finais de semana e feriados): 108 agendamentos para o RT PCR e 20 testes rápidos; em Dourados (segunda a sexta-feira, exceto feriados): 60 agendamentos para o RT PCR e 20 testes rápidos; em Três Lagoas (segunda a sábado, exceto domingos e feriados): 30 para o RT PCR e 10 testes rápidos; em Corumbá (segunda, quarta e sextas-feiras, exceto feriados): serão 40 testes e 10 rápidos.

Comentário

O cenário de controle do novo coronavírus que Mato Grosso do Sul vinha mantendo até poucos dias, começa a se modificar. Pesquisa sobre a taxa de contágio da Covid-19 no Brasil mostra o Estado com a terceira maior incidência do país atrás apenas de Goiás e Rio Grande do Norte. A transmissibilidade do vírus está em 3,81 no Estado, divulga a assessoria do Governo.

Embora a única medicação disponível no mercado mundial para combater a doença seja o isolamento social, o remédio é amargo e poucas pessoas tem respeitado o pedido de autoridades de saúde de sair de casa só em casos de extrema necessidade.

Nas últimas semanas, MS estagnou nas taxas de distanciamento social e mais de 60% da população segue nas ruas tocando a vida normalmente. A adesão mapeada na quinta-feira (28) foi de 37%, repetindo o índice pelo terceiro dia seguido, e mantendo o Estado nas últimas colocações no comparativo com as demais unidades da federação.

Como consequência da baixa adesão ao distanciamento social, mais uma vez a Secretaria estadual de Saúde anunciou 94 novos testes positivos para a Covid-19 nas últimas 24 horas. Com a atualização do boletim epidemiológico desta sexta-feira (29), Mato Grosso do Sul já contabiliza 1.356 casos confirmados da doença, com 18 óbitos, incluindo o mais recente, da jovem venezuelana de 27 anos que estava há pouco mais de um ano e meio em Dourados.

O baixo isolamento faz com que mais pessoas fiquem expostas ao vírus, preocupando autoridades regionais que tem pedido de todas as maneiras que a população colabore com o tripé essencial para conter o avanço da pandemia: distanciamento social, higiene e uso correto de máscaras.

Comentário

O arquiteto e urbanista Fabio Luis lançou pré-candidatura a vereador nesta sexta-feira (29) visando as eleições municipais deste ano. Ele já dirigiu o Ima (Instituto de Meio Ambiente de Dourados) e se define como o primeiro pré-candidato douradense a abrir mão dos fundos de financiamento de campanha de forma pública. Mesmo tendo direito de usar o recurso partidário, o arquiteto acredita ser inadequado que impostos sejam aplicados para finalidade eleitoral.

"Pretendo contar com o apoio de amigos e cidadãos que acreditam na renovação da política. Estamos em meio a uma pandemia, com governos tendo que investir recursos essencialmente para saúde, como é que ainda teria coragem de usar dinheiro do povo para financiar campanha? Nunca usei, mesmo antes dessa crise, e nunca usarei. Essa é minha principal bandeira. Quem acreditar no meu projeto, pode me ajudar", afirmou.

Fabio já concorreu à vaga para vereador em 2016. Na época obteve 980 votos. Já no pleito em 2018 disputou uma das cadeiras na Câmara dos Deputados, recebendo 3809 votos, quase 3000 em Dourados. Ambas as campanhas não foram financiadas com recurso público.

Durante o período em que comandou o Instituto de Meio Ambiente de Dourados, entre os anos de 2017 e 2018, Fábio Luiz cooperou para a implantação da coleta de lixo na reserva indígena, distribuição de lixeiras recicláveis em 100 pontos da cidade, incentivou a logística reversa implantando o Papa Pilhas em diversos pontos públicos e privados, solicitou ao Executivo a chamada dos aprovados no concurso para ocupar os cargos técnicos do Instituto e também iniciou os estudos do plano de arborização do município.

Ainda na gestão, garantiu o aumento dos repasses do ICMS Ecológico, que passaram de R$ 70 mil para R$ 1 milhão por ano. Aprovou também a criação do Parque Municipal do Paragem (1ª unidade de conservação do município), além de ter dado início aos estudos para remodelação da lei verde. Fabio é casado, pai de duas filhas, e está filiado ao partido Republicanos. (Da assessoria)

Comentário

Após receber o ofício 58/2020, encaminhado pelos vereadores Daniela Hall (PSD), Elias Ishy (PT), Sergio Nogueira (PSDB) e Olavo Sul (MDB), requerendo o registro e a criação da Frente Parlamentar de Acompanhamento dos Recursos Recebidos e Destinados ao Enfrentamento e Combate à Covid-19, a Mesa Diretora da Câmara publicou nesta sexta-feira (29), em consonância com o Regimento Interno do Poder Legislativo, o Ato 05/2020 que cria a Frente.

Na justificativa para a criação deste novo meio de acompanhamento às ações do combate à pandemia, os parlamentares se colocam à disposição do Poder Executivo para ajudar na resolutividade das questões, bem como acompanhar o recebimento e a destinação de todos os recursos, financeiros ou não, para o enfrentamento e combate à Covid-19. O município de Dourados já recebeu mais de R$ 8 milhões de recursos estaduais e federais para esta finalidade, e, por isso, os vereadores entendem que a Frente Parlamentar será uma importante ferramenta para a união de esforços em fiscalizar a aplicação dos recursos.

A Frente Parlamentar ficou composta pela vereadora Daniela Hall como presidente, tendo como secretário o vereador Sergio Nogueira, e membros, os vereadores Elias Ishy e Olavo Sul, e terá a duração de seis meses. A proposta é acompanhar e fiscalizar todas as despesas realizadas em ações destinadas a combater os efeitos da pandemia do novo coronavírus.

Conforme o presidente da Câmara, vereador Alan Guedes (Progressitas), a Frente Parlamentar terá como objeto também a fiscalização e acompanhamento de recursos não pecuniários que o município porventura receber, seja de outro ente estatal ou da iniciativa privada. “Este é mais um instrumento de controle que o Legislativo tem de acompanhamento da execução das despesas e recursos relacionados diretamente ao combate e à mitigação aos efeitos da Covid-19”, destacou.

Comentário

O PAM (Pronto Atendimento Médico) vai contar com leitos para atender pacientes da Covid-19 com apoio financeiro da indústria JBS. Restaurado parcialmente, o PAM é administrado pela Prefeitura de Dourados.

Tratativas para equipar o espaço dentro das condições ideais ao tratamento dos casos da doença foram alinhadas na manhã desta sexta-feira (29) pela prefeita Délia Razuk juntamente com a secretária municipal de Saúde, Berenice de Oliveira Machado, para a ampliação da estrutura física do PAM graças a uma parceria proposta pela JBS.

De acordo com os entendimentos, serão disponibilizados leitos em um bloco do PAM para auxiliar a rede de saúde pública no enfrentamento à pandemia da Covid-19. Recentemente, a prefeita ativou quatro blocos do PAM para o atendimento em várias especialidades médicas, serviços de fisioterapia, psicologia, nutrição e enfermagem.

A prefeita Délia Razuk pediu celeridade às secretarias quanto ao planejamento da ampliação e licenças necessárias, para que seja possível a ampliação do atendimento no PAM em um curto período de tempo, aproveitando a disponibilidade do grupo industrial.

“O apoio da JBS vem em um momento muito oportuno; só temos a agradecer por mais esta contribuição para atender ainda melhor a população da nossa cidade”, destacou a prefeita. “Com os novos investimentos, o PAM se consolidará ainda mais como complexo de referência no atendimento de média complexidade para Dourados e região”, explicou a secretária de Saúde, Berenice Machado.

Também participaram da reunião para iniciar as tratativas, o procurador-geral do município Sergio Henrique Martins de Araújo, as secretárias de Obras Públicas, Marise Bianchi e de Planejamento, Adriana Benício, o diretor do Imam, Wellington Santana e o médico Frederico de Oliveira, do Comitê de Gerenciamento de Crise da Covid-19.

Comentário

A Mesa Diretora da Câmara de Dourados promulgou nesta sexta-feira (29) o Projeto de Lei número 28 de 2020 que dispõe sobre a suspensão do cumprimento de obrigações financeiras referentes aos empréstimos consignados contraídos por servidores públicos municipais durante o período de 90 dias, podendo ser prorrogado o prazo. A medida deveria ter sido tomada pelo Executivo, após aprovação do projeto na Câmara, mas o prazo expirou e a matéria voltou para o Legislativo decidir.

Além do presidente Alan Guedes (PP) e dos demais membros da Mesa, Elias Ishy (PT), Sergio Nogueira (PSDB) e Daniela Hall (PSD), participaram do ato os vereadores Mauricio Lemes (PSB) e Júnior Rodrigues (PTB), e representantes de entidades, como o Sindracse (Sindicato Regional de Agentes Comunitários de Saúde e de Combate a Endemias) e o Sindenf (Sindicato dos Enfermeiros).

Em trâmite regular, o Poder Executivo tinha o prazo de 15 dias para analisar o projeto, que seria na segunda-feira (25), mas a Prefeitura não se posicionou (entre sancionar ou vetar), portanto, a responsabilidade a partir de então passou ao Poder Legislativo que promulgou lei, a vigorar assim que publicada em Diário Oficial.

O projeto é de autoria do vereador Elias Ishy, que enfatiza agora a responsabilidade social dos bancos que, segundo ele, suportam a suspensão, realizando uma contribuição mínima para a sociedade. Ele lembra que um levantamento realizado pelo Dieese (o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) apontou que a soma do lucro dos cinco maiores bancos do país chegaram a R$ 18 bilhões no primeiro trimestre de 2020 e ainda o pacote em trilhões de reais anunciado pelo Governo Federal de ajuda ao sistema bancário para enfrentar a situação econômica no país.

Ishy acredita que os trabalhadores já têm os gastos amplificados por outras obrigações neste momento de crise relacionadop com a pandemia do coronavírus e o valor, deixado de ser descontado na folha salarial, reforça o orçamento doméstico para que as famílias consigam enfrentar as diversas dificuldades que acompanham a situação pública. Ele ressalta também que esse dinheiro acaba sendo investido no comércio local, fomentando a arrecadação do município, sem ônus para as instituições financeiras.

O PL (Projeto de Lei) se transformou na Lei 4.506, de 29 de maio de 2020. Durante a solenidade, o presidente da Casa, vereador Alan Guedes (PP), destacou que este projeto foi fruto de uma intensa discussão do plenário e representa uma conquista para os servidores do PreviD (Instituto de Previdência Social dos Servidores do Município de Dourados) e da Câmara. “Neste ato cumprimos com a obrigação deste parlamento. E, em decorrência da pandemia causada pela Covid-19, essa lei certamente será de extrema valia para os servidores”, enfatizou.

Pela proposta, a dívida não será extinta, mas as parcelas que ficarem em aberto durante este período deverão ser acrescidas ao final do contrato, sem a incidência de juros ou multas. De acordo com o documento, caberá a Secretaria Municipal de Administração, ao PreviD e a Câmara Municipal, responsáveis pelas averbações de contratos, a orientação e o desenvolvimento dos meios de acompanhamento dos servidores com relação aos procedimentos a serem adotados e intermediação do diálogo com as instituições financeiras. Além disso, os servidores que não optarem pela suspensão deverão se manifestar nos respectivos órgãos públicos.

Comentário

Morreu no final da manhã desta sexta-feira (29) na UTI do Hospital Universitário de Dourados a jovem que estava hospitalizada desde a semana passada. Antes, ela foi atendida na UPA com sintomas do novo coronavírus.

No boletim oficial do comitê de gerenciamento da crise da Covid-19, transmitido pela página da Prefeitura de Dourados na internet, foi confirmado o óbito que passa a ser registrado como o segundo nas estatísticas do município.

O primeiro foi de um caminhoneiro que contraiu a doença em Dourados mas morreu em hospital do interior de Tocantins para onde havia viajado a trabalho.

Comentário

O diretor do Imam (Instituto de Meio Ambiente de Dourados), Welington Luiz Santana Lopes, divulgou esta semana o relatório sobre a arborização urbana desenvolvido pelo Departamento de Projetos Ambientais referentes aos projetos de reflorestamento e arborização no Município.

Conforme o relatório, está previsto o plantio de 3.157 árvores referentes a esses projetos; destes, 40% (1.231 árvores) já foram implementados. Além disso, ainda para este ano estão sendo investidos cerca de R$ 400 mil na arborização. No ano passado, foram plantadas 10 mudas na Praça do Cinquentenário, 16 no Parque Antenor Martins, 26 no Bosque Antônio César Cordeiro.

Desde o início deste ano já foram plantadas 1.179 árvores no terreno em frente à Feira Central, por meio de ação das Secretarias de Planejamento, de Agricultura Familiar, de Serviços Urbanos e do Imam.
Ainda para este ano, está previsto a implantação do projeto no Parque Arnulpho Fioravante, onde serão plantadas mais 1.926 mudas de espécies arbóreas nativas da região, com apoio da Secretaria de Serviços Urbanos.

Em 2020, conforme o relatório, já foram entregues projetos de arborização prevendo a recuperação de algumas áreas importantes para a cidade, como na Avenida Presidente Vargas (120 árvores e gramado), em conjunto com a Secretaria de Obras, e uma parceria importante, realizada em abril, com a Associação de Moradores do Bairro Monte Carlo, que adotaram canteiros centrais para a arborização contendo 61 espécies nativas.

Welington afirmou que o PDAU (Plano Diretor de Arborização Urbana) consta de um plano de trabalho que resultou no diagnóstico de arborização que traçou as diretrizes para a gestão e o gerenciamento. O diretor do IMAM informou que está em andamento a arborização interna do Parque Antenor Martins; a recuperação da mata ciliar do córrego no Parque Rego D’água; e o projeto de arborização no Residencial Honório Almirão (Guassu).

Equipamentos

O relatório aponta que estão sendo investidos R$ 354.475,21 na aquisição de equipamentos para o desenvolvimento do Plano de Arborização de Dourados. Foram adquiridos materiais diversos e equipamentos de proteção individual para o viveiro de mudas no valor de R$ 1.751,08; compra de picape no valor de R$ 206.490,92; aquisição de serra circular, esmerilhadeira, trator, roçadeira hidráulica e sacos para mudas no valor de R$ 140.493,21 e ainda a compra de materiais de trabalho de campo e escritório no valor de R$ 5.740,00.

O Departamento de Arborização do Imam tem uma equipe formada pelo engenheiro sanitarista Anderson Fialho, o gestor ambiental Douglas Nunes, a engenheira florestal Marília Pizetta, a bióloga Nayara Carvalho; o técnico agrícola José Francelino e o auxiliar de serviços de manutenção e apoio do viveiro de mudas, Oryvan Rebequi. (Da assessoria)

Comentário

Em carta de apoio aprovada para as comunidades indígenas de Dourados a FCH (Faculdade de Ciências Humanas) da UFGD cobrou nesta semana, dos Poderes municipal e estadual, medidas de prevenção e proteção ao coronavírus, considerando que se trata de uma das maiores populações do país e que vem sendo, sistematicamente, afetada “pelas doenças trazidas pelos não indígenas”.

Segundo o documento, o Estado mantém o menor índice de contaminados do Brasil, mas, vem descuidando de medidas preventivas e por isso, possivelmente, o número pode aumentar cada vez mais nos próximos dias. Para a FCH, os povos indígenas de Mato Grosso do Sul não podem, mais uma vez, pagar com a vida pelo desenvolvimento econômico do estado e do país, por isso, fazem um apelo para que “levem em consideração a realidade dos povos indígenas”.

Essa situação é vista com preocupação, observa o documento. A direção explica que dentro da Reserva do município vivem cerca de 17.000 pessoas e essa alta densidade populacional é resultado de um processo violento de colonização. “Em benefício do crescimento econômico, esses povos foram retirados de seus territórios e reduzidos em pequenas áreas que não deixam condições para a reprodução de seus modos de vida, dependendo, cada vez mais, do trabalho assalariado fora das reservas, empregados nos mais diferentes setores e tipos de serviços”, cita o texto.

O relato mostra que a cidade atualmente depende de uma diversidade de trabalhos prestados por eles. Em frigoríficos, usinas, indústrias, construção civil, coleta de resíduos domiciliares, na limpeza pública, nos supermercados, farmácias e outros comércios, nas escolas como professores e gestores, nos hospitais como trabalhadores da saúde, no funcionalismo público, entre outros. "Também estão presentes nas casas como trabalhadores domésticos (...) estão nas escolas, nas universidades públicas e privadas, nos cursos de formação técnica, estudando e se preparando para atuação futura em diferentes áreas do conhecimento”, explica.

A FCH pede para que as comunidades tenham acesso à alimentação de qualidade, cuidados de saúde e equipamentos de segurança, a fim de diminuir os efeitos da entrada do coronavírus em seus territórios. Solicitam à administração da UFGD que não meça esforços para fortalecer os serviços que vem desenvolvendo com estas comunidades. Lembrando, por fim, que a Faculdade se mantém engajada nas medidas de enfrentamento, atuando (por meio de docentes, discentes e servidores técnicos) em parceria com a rede de cuidado e proteção aos povos indígenas no município e na região.

Comentário

Inácio Cabrera Dias, 45 anos, diretor de escola há 15 anos, sempre eleito pela comunidade educacional, sabe o que é gestão. E, por reconhecer essas qualidades no deputado Barbosinha, pré-candidato a prefeito pelo DEM nas eleições municipais deste ano em Dourados, também se coloca como alternativa, pré-candidato a vereador.

Nascido de tradicional família douradense, Inácio começou a trabalhar aos 11 anos de idade, ainda estudante na escola Menodora. Cursou o Ensino Médio na escola Presidente Vargas e no período de 2000 a 2017 experimentou a ascensão na carreira, quando graduou-se em História com Licenciatura Plena pela UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), concluiu a Especialização em Administração e Gestão Escolar e ainda foi professor por 14 anos.

Em 2000, ao assumir o concurso público do Magistério como Assistente Administrativo na Escola Municipal ‘Frei Eucário Schmitt”, marcou definitivamente o início de uma relação profunda com alunos, professores, comunidade da região e com a família da Educação. É diretor da escola desde 2005, sempre eleito.

“Quero colocar essa experiência e esse conhecimento administrativo ao lado dos bons exemplos de gestão já demonstrados pelo nosso pré-candidato a prefeito Barbosinha para, juntos, ajudarmos Dourados a superar dificuldades, assumir novos desafios e se firmar, com determinação, no topo dos municípios que representam a força do nosso Estado”, afirma o pré-candidato.

Inácio Cabrera foi também presidente do Fundeb (o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação) em 2009, assumiu o Departamento de Ensino Fundamental da Semed (Secretaria municipal de Educação) em 2010 e ainda chegou a chefe de gabinete da pasta. “Estamos preparados para essa nova jornada”, garante o pré-candidato a vereador do DEM.

Comentário

Página 1 de 1654
  • ms corona

O Tempo Agora

  • mascaras
  • unigran novo

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014

WhatsApp 9 9913 8196

Telefones Úteis

Horários de Vôos | Horários de Ônibus