Imprimir esta página
Quarta, 16 Outubro 2019 07:33

Previd mantém equilíbrio em Dourados e garante segurança do servidor público Destaque

Escrito por
Diretoria do Previd trabalha para contornar situação de inadimplência provocada por atrasos da Prefeitura Diretoria do Previd trabalha para contornar situação de inadimplência provocada por atrasos da Prefeitura Divulgação

Com um patrimônio líquido da ordem de R$ 395.619.708,84, o Previd (Instituto municipal de Previdência dos Servidores de Dourados) apresenta um quadro equilibrado que assegura a tranquilidade do beneficiário e do servidor público em estágio inicial de inatividade.

“Não vai ser qualquer abalo por falta de planejamento do gestor público que vai tirar o nosso sossego, por enquanto”, opina o diretor-presidente do Previd, Theodoro Huber Silva, ao considerar as dificuldades reveladas pela atual Administração Municipal em relação aos compromissos com a Previdência do servidor.

A Prefeitura possui, atualmente, uma dívida da ordem de R$ 11,7 milhões – representada por R$ 9.865.758,03 de contribuições previdenciárias (servidor, patronal e aporte atuarial de déficit) e outros R$ 1.861.195,09 de acordos de parcelamento em relação a compromissos não cumpridos em 2017 e 2018 – que vem sendo negociada através de rodas de entendimentos entre os dirigentes do Previd e da Administração.

O quadro de inadimplência preocupa, admite o presidente do instituto do servidor, rejeitando a hipótese de um ‘rombo’ nas contas do Município em relação ao RPPS (o Regime Próprio) da previdência do servidor. “O Previd é um instituto equilibrado, com o financiamento da cobertura de déficit”, diz Theodoro, observando que a Administração sempre tentou se manter em dia.

Levantamento mais recente do Previd indica que a prefeita Délia Razuk ainda não conseguiu repassar as contribuições atrasadas relativas a parte do mês de junho e os valores referentes a julho e agosto deste ano, que remontam ao total inadimplente superior a R$ 9,8 milhões, porém, de acordo com o presidente do instituto, há sempre a possibilidade de negociação em forma de parcelamento. “Alguns institutos de previdência do País chegam a ter até 15 acordos de parcelamento firmado com entes públicos que não conseguem honrar os compromissos dentro do prazo, o que esperamos que não aconteça em Dourados”, ilustra Theodoro Huber.

A responsabilidade do Previd em respeito aos quase mil beneficiários do RPPS é cobrar os débitos. “Por isso mesmo, estamos buscando as medidas jurídicas cabíveis, para preservar os interesses do nosso segurado, já que o Previd é uma autarquia onde predomina os interesses do servidor, com a autonomia e a responsabilidade necessária para com quem já dedicou parte de sua via ao Serviço Público”, diz o diretor-presidente.

Redação Douranews

Mais recentes de Redação Douranews