Imprimir esta página
Quinta, 05 Dezembro 2019 14:32

Manifesto de vereadores pede para Reinaldo não municipalizar escola Destaque

Escrito por
Pais de alunos, estudantes e professores pressionaram vereadores na sessão de segunda-feira Pais de alunos, estudantes e professores pressionaram vereadores na sessão de segunda-feira Divulgação/Assessoria

Todos os 19 vereadores da Câmara de Dourados assinaram o documento em que solicitam ao Governo do Estado para rever a decisão de municipalizar a Escola Estadual Rotary Doutor Nelson de Araújo, já anunciada pela secretária estadual de Educação, Maria Cecília Amendola da Motta, justificando como prioridade o ensino integral.

No documento, enviado com copias ao governador Reinaldo Azambuja e ao vice, Murilo Zauith, os vereadores elencaram, pelo menos, cinco razões para o pedido que resultaram na decisão por unanimidade. Em contato com a Casa de Leis e em diversas reuniões com autoridades da área educacional do Estado e Município, pais e alunos tem demonstrado preocupação quanto à notícia.

A reivindicação da comunidade escolar é, justamente, de que a escola permaneça como estadual. Com 51 anos de serviços prestados, a Escola Nelson de Araújo funciona, atualmente, com 296 alunos do 1° ano ao 5° ano, e desde que passou a participar das avaliações de larga escala, aplicadas pelo MEC, vem apresentando resultados crescentes, ultrapassando a meta estabelecida para 2021 e ocupando o lugar de destaque no Estado com a nota do Ideb de 7,4 (2015), a segunda melhor, além de alcançar excelentes resultados nas avaliações internas, como no desempenho no monitoramento realizado pela própria Secretaria, alcançando 97 pontos.

De acordo com o documento, historicamente, todos os anos a procura por vagas é o dobro das oferecidas. Isso se deve também a qualidade do quadro de funcionários altamente comprometidos, bem como atuando efetivamente com participação dos pais (APM) fazendo da escola um modelo para a educação pública, explicam os vereadores. Por fim, o texto diz que o prédio escolar, seus equipamentos e acervo apresentam boas condições de funcionamento, não faltam materiais para os alunos ou para os professores e que a escola é bem organizada e conservada, apesar do pouco espaço. Eles ressaltam que o prédio não precisa de reformas urgentes, de manutenção na rede elétrica, hidráulica, ou seja, não exige grandes investimentos por parte do Estado para continuar funcionando.

Redação Douranews

Mais recentes de Redação Douranews