Timber by EMSIEN-3 LTD
Redação Douranews

Redação Douranews

A Agesul (Agência estadual de Gestão de Empreendimentos) abre, dia 12 de agosto, os envelopes para conhecer as propostas de preços das empresas que participam do processo de licitação, na modalidade concorrência, que o Governo do Estado realiza para a execução de obras de infraestrutura urbana [restauração funcional do pavimento, drenagem de águas pluviais, sinalização viária, calçamento e acessibilidade] nas ruas do quadrilátero central de Dourados. A informação está publicada na edição desta quinta-feira (30) do Diário Oficial do Estado.

De acordo com o diretor-presidente da Agesul e secretário-adjunto de Infraestrutura do Governo, Luiz Roberto Martins de Araújo, o Governo vai realizar o serviço no trecho compreendido entre as ruas Barão do Rio Branco e Brasil e Joaquim Teixeira Alves e Weimar Gonçalves Torres, no município. “Esse é um compromisso do governador Reinaldo Azambuja e do secretário Murilo firmado com o setor empresarial de Dourados, quando o vice-governador esteve na Aced (Associação Comercial e Empresarial da cidade) para estabelecer essa ponte de parcerias”, comentou o diretor da Agesul.

O presidente da Aced, empresário Nilson Santos, inclusive, percorreu esse trajeto com o diretor-presidente da Agesul, oportunidade em que destacou a relevância do serviço realizado pelo Estado nas três principais vias centrais (Marcelino Pires, Weimar Torres e Joaquim Teixeira), lembrando que “para ficar completo, e tornar mais convidativa a presença do consumidor ao nosso comércio”, seria oportuno o serviço nas vias transversais. “É isso que vamos fazer agora, fechar as ruas do meio, entre as avenidas, e completar a restauração do pavimento no quadrilátero central de Dourados”, concluiu Luiz Roberto Araújo.

Comentário

O presidente da Câmara de Dourados, vereador Alan Guedes (Progressistas), recebeu em seu gabinete o presidente do Sinsap-MS (Sindicato dos Servidores da Administração Penitenciária de Mato Grosso do Sul), André Santiago, que apresentou a luta pelo reconhecimento dos agentes penitenciários como policiais penais. Na reunião, o parlamentar recebeu ofício dos representantes dos alunos do último concurso da Agepen (a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) em que pedem a suspensão do prazo de validade do concurso e a convocação de 412 remanescentes.

O Sinsap/MS tem buscado apoio de parlamentares estaduais, municipais e prefeitos, entre outras autoridades, para a criação da polícia penal estadual. Conforme o presidente do Sindicato, eles têm percorrido o Estado e colhido assinaturas para a carta de apoio. “O Sinsap/MS apresentou, no início do ano, a proposta de minuta supressiva que traz de forma detalhada todas as atribuições que deverão ser desempenhadas pela Polícia Penal de MS e como deverá ser o preenchimento do quadro. A proposta feita pela categoria ainda traz a redução de duas classes e dois níveis”, mencionou.

Santiago afirma que o Sindicato está acompanhando a PEC (proposta de emenda constitucional) 8/2019, que atualmente tramita na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul. O projeto traz alterações na Constituição do Estado para criar a Polícia Penal Estadual. “Agradecemos o apoio do presidente da Câmara de Dourados, Alan Guedes, com relação à nossa proposta de PEC da polícia penal estadual, para que seja colocada em votação o mais rápido possível na Assembleia Legislativa”, Santiago.

Na Proposta de Emenda à Constituição do Estado apresentada, o Sindicato justifica que a atividade da Policia Penal preserva a ordem pública e a incolumidade das pessoas, com o objetivo de “criar a polícia penal como órgão de segurança pública no âmbito estadual, conferindo aos agentes penitenciários os direitos inerentes à carreira policial e liberando os policiais civis e militares das atividades de guarda e escolta de presos, permitindo que esses agentes atuem na sua função direta, de coibir a criminalidade trazendo assim maior segurança a sociedade sul-mato-grossense”.

Alan Guedes afirmou que está acompanhando a luta da categoria e encaminhará o ofício aos demais vereadores. “A categoria pode contar com o nosso apoio e nossa articulação política. Vamos submeter a todo o colegiado da Câmara de Dourados o apoio às pautas da criação da polícia penal estadual, dos remanescentes e do curso de formação para que possamos ter essa tão importante garantia aprovada na Assembleia com o apoio dos vereadores de Dourados”, enfatizou. (Com assessoria)

Comentário

Criada em 2005, a Universidade Federal da Grande Dourados comemorou, nesta quarta-feira (29), 15 anos de funcionamento como uma jovem universidade que já coleciona títulos, selos, prêmios, honrarias e avaliações positivas pelo desempenho do tripé pesquisa-ensino-extensão nas várias áreas do conhecimento. Ao longo desse tempo, já formou e qualificou mais de 12 mil pessoas, entre acadêmicos de graduação e de pós-graduação.

Os 36 cursos de graduação presenciais da UFGD estão distribuídos em 12 Faculdades que integram a universidade, dois deles são ofertados na modalidade de alternância atendendo comunidades específicas: indígenas e estudantes do campo. A UFGD possui também, dentro da Faculdade de Educação a Distância, outros cinco cursos de graduação que atendem estudantes dos municípios de Mato Grosso do Sul reforçando um de seus objetivos de criação: a interiorização.

Só na graduação, estão matriculados mais de 7 mil alunos, muitos deles incluídos num Programa de Assistência Estudantil que garante a permanência e conclusão de curso. A universidade é pioneira em vários programas de auxílio a esses alunos, exemplo disso é a manutenção do Centro de Educação Infantil para filhos de estudantes e da Moradia Estudantil, para acadêmicos em vulnerabilidade social, provenientes de outras cidades.

Nesses 15 anos, muito trabalho, comprometimento e dedicação foram dispensados para que a universidade conseguisse estrutura para os cursos de graduação e pós-graduação, para a capacitação e formação técnico docente e para a logística do campus. A cada obra construída, a cada diploma entregue e a cada entrada de um técnico administrativo e de um professor, muitas comemorações pelas conquistas importantes para a UFGD.

Desde que foi criada, a história dos 15 anos foi marcada pelo desempenho de cada gestor e equipe que passaram pela Instituição: professor Damião Farias (2006-2015); professora Liane Calarge (2015-2019) e professora Mirlene Damázio (pró-tempore 2019-2020).

Material distribuído pela assessoria da universidade indica o espaço como “verdadeiro celeiro de potenciais na construção de ações e de soluções coletivas”. Inúmeros projetos de extensão atendem as zonas urbana e rural de Dourados, aldeias indígenas, populações específicas e municípios vizinhos, “em experiências que unem os saberes e promovem aprendizados valorosos tanto para estudantes e pesquisadores quanto para a própria comunidade atendida”. Só no último ano, por exemplo, a universidade desenvolveu 311 ações de extensão e 474 de pesquisa.

Nesse cenário, a UFGD já contribuiu com a formação de mais de 2.000 cientistas, estudantes que saíram da universidade mestres e doutores e que têm na pesquisa a fórmula de diagnosticar problemas e encontrar soluções para o país, para o Mato Grosso do Sul e para Dourados. Um bom exemplo dessa infraestrutura de material humano foi na pandemia, momento que a universidade executou mais de 50 ações de pesquisa, ensino e extensão que auxiliaram a população através da ação direta de seus pós-graduandos, pesquisadores e extensionistas.

Nesses 15 anos, a instituição já implantou 23 cursos de mestrado e 11 de doutorado, além das residências médica e multiprofissional em saúde, especializações e MBA e realiza, de forma compartilhada, a gestão do maior hospital do interior do Estado, o Hospital Universitário. Além disso, mantém em seu planejamento, diversos programas de bolsas científicas para acadêmicos, abrindo as portas do mundo científico também para estudantes do ensino médio.

Na estrutura organizacional de colaboradores, a UFGD soma 595 servidores docentes (80% doutores) e 950 servidores técnicos administrativos incluindo os trabalhadores do Hospital Universitário. Essa equipe especializada vem mantendo o crescimento da UFGD baseado na troca de saberes entre as pessoas, rompendo com o medo e propondo a inovação das ideias e da própria lógica.

O Hospital Universitário, atualmente administrado pela Ebserh (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares), é outra conquista da criação da UFGD. O HU realiza uma média anual de 10 mil internações, 25 mil exames de imagem e 500 mil exames laboratoriais, oportunizando assistência de saúde de qualidade para a população de 35 municípios de Mato Grosso do Sul. Todos os anos são mais de 50 mil consultas em 27 áreas de especialidade atendidas, e aproximadamente 5 mil cirurgias em 16 áreas de especialidades. Além da prestação desse serviço primordial para a qualidade de vida do povo de MS, o HU representa a possibilidade de formação na cidade de Dourados, anualmente, uma média de 80 médicos, o que colabora para sanar a escassez desses profissionais no interior do Brasil e nos municípios de Mato Grosso do Sul.

A universidade se desenvolve e se fortalece nesse cenário, de levar ao encantamento e ao orgulho quem acredita na transformação do mundo pela Educação sendo capaz de reafirmar, em todo o tempo, seu compromisso pela inclusão, pela valorização das pessoas, pelo respeito da pluralidade de ideias sempre de mãos dadas com a coletividade e os princípios democráticos.

História

A UFGD nasceu para gerar oportunidades e fomentar sonhos através de uma Educação gratuita e de qualidade. O antigo Ceud (o Centro Universitário de Dourados), campi da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) no Município, foi desmembrado e em face da ampliação das atividades, tornou-se necessário promover a ampliação das instalações, momento em que começou a ganhar corpo a ideia da constituição, em Dourados, de uma cidade universitária, voltada ao ensino superior público, gratuito e de boa qualidade. O projeto então de Cidade Universitária ganhou amplo apoio da comunidade, das lideranças políticas de Dourados e das cidades vizinhas e caminhou para sua plena concretização.

Em 2003, o Brasil institui o programa federal Avança Brasil, no qual o país foi delimitado geograficamente em nove eixos nacionais de integração e desenvolvimento, sendo que Dourados e seu espaço regional foram inseridos no Eixo Sudoeste. Uma das funções essenciais desse eixo era permitir a integração territorial com os países limítrofes, por constituir, na visão governamental, um espaço geográfico privilegiado, estratégicas no processo de desconcentração da produção, estratégica de eficiência e competitividade, capacidade de difusão, importância do setor terciário, desafio do desemprego estrutural e integração com o Mercosul.

A região abrigava uma modernização contínua em busca de competitividade, que foi incentivada pela implantação de uma Universidade autônoma administrativa e financeiramente, com destaque para a verticalização do conhecimento e da tecnologia produzida regionalmente. Assim, a expansão do ensino universitário público em Dourados poderia assumir sistematicamente a função de laboratório difusor de experiências de alta produtividade no país.

Para atender aos anseios da sociedade regional visando ao desenvolvimento sustentável, surgia então o projeto de criação da UFGD apresentando vocações como responsabilidade cidadã e social; estudos de preservação dos recursos naturais, incluindo a biodiversidade; aplicação do conhecimento científico e tecnológico para exploração do potencial econômico da região; e desenvolvimento da agropecuária e da agroindústria.

Aproveitando o Programa de Expansão das Instituições Federais de Ensino Superior no Brasil, do governo federal, cria-se então em 2005 a UFGD, sob tutoria da Universidade Federal de Goiás – UFG, com investimentos públicos em infraestrutura física e de pessoal e na criação de novos cursos de graduação e de pós-graduação, com pretensões de incorporação do Hospital Universitário à estrutura da nova Universidade.

A Instituição, inicialmente com seus sete cursos de graduação, passa a se expandir mais com a sua inclusão no Programa de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais – REUNI. Vê ampliado seus cursos de graduação, de pós-graduação, o número de docentes e técnicos administrativos e a oferta de vagas para estudantes de todo o Brasil

Comentário

Funcionário público estadual lotado na Agepen (Agência estadual do Sistema Penitenciário) junto à Sejusp (Secretaria estadual de Justiça e Segurança Pública) há 37 anos, o professor de Educação Física Pedro Walter Aguero, de 57 anos, é pré-candidato a vereador pelo Republicanos nas eleições de 15 de novembro em Dourados, com o pré-candidato a prefeito, Racib Panage Harb.

“Sempre exercendo um trabalho de atendimento e atenção ao público que precisou e precisa dos meus préstimos, sem discriminação de raça, cor e gênero, fui, com alguns amigos, pioneiro na arbitragem de Futebol de Salão na nossa cidade e no Estado, por mais de 20 anos, onde vimos muitos craques do nosso fut-sal se destacarem no Brasil e no mundo”, conta o pré-candidato.

Pedro Walter também exerceu a função de preparador físico nas equipes profissionais de futebol de campo de Dourados, o Operário e Ubiratan. É Pós-graduado em Educação Física Escolar e em Gestão Penitenciária, membro ativo da Seleta Sociedade Caritativa e Humanitária há 25 anos, “sempre ajudando a ajudar, bandeira pela qual tenho orgulho de fazer parte” e católico praticante na paróquia Bom Jesus, no Jardim Flórida.

“O que me motivou a filiar no Republicanos/10, além do nosso pré-candidato a prefeito Racib, foram as ideias novas e construtivas para o Brasil, Mato Grosso do Sul e Dourados, tentando acabar com o continuísmo de políticos viciados no poder e sem projetos voltados para o cidadão”, justifica o pré-candidato.

Residente em Dourados desde outubro de 1.971, e por mais de 45 anos na Vila Popular, depois de frequentar as escolas Castro Alves e, desde a sua inauguração, a Escola Reis Veloso, bem como o extinto CCOP (Centro de Capacitação e Orientação Profissional), Pedro Walter diz que teve oportunidade de acompanhar o crescimento de Dourados.

“Para o crescimento de todo ser humano, as necessidades maiores, são: família, educação/esporte, saúde e segurança. A família é a base de tudo. Quanto à educação/esporte, saúde e segurança é dever do Estado, e estaremos atentos à estas necessidades, por experiências próprias, vividas em Dourados”, propõe.

Comentário

O Conselho da Fifa aprovou nesta quarta-feira (29) um plano de ajuda financeira à comunidade do futebol por causa da pandemia do novo coronavírus. A entidade vai disponibilizar US$ 1,5 bilhão (R$ 7,7 bilhões) para as associações nacionais usarem no futebol profissional, nas categorias de base e amadoras e no futebol feminino.

De acordo com a Fifa, cada federação receberá, durante essa fase do plano de ajuda para aliviar os problemas causados pela Covid-19, um subsídio de US$ 1 milhão (R$ 5,13 milhões) para proteger e retomar a atividade do futebol e mais USS 500 mil (cerca de R$ 2,5 milhões) no futebol feminino.

“Este plano de apoio é um ótimo exemplo de solidariedade e envolvimento no futebol em um momento sem precedentes. Agradeço aos meus colegas do Conselho por aprovarem a decisão de prosseguir com esta importante iniciativa em benefício de todas as federações e confederações membros da Fifa”, afirmou o presidente da entidade, o suíço Gianni Infantino.

Comentário

Cerca de 20 bandidos fortemente armados invadiram uma agência do Banco do Brasil em Nova Alvorada do Sul na manhã desta quarta-feira (29) e levaram todo o dinheiro do cofre, publica o site Midiamax. O grupo usava armas de grosso calibre, e rendeu os seguranças antes da abertura do horário bancário.

De acordo com a publicação, todo o dinheiro do cofre principal foi levado. Segundo as informações do site local, Alvorada Informa, havia no cofre aproximadamente R$ 5 milhões do depósito feito por um usina da região para o pagamento dos trabalhadores, além do PPR da usina, que seria um programa de produtividade pago aos funcionários.

Comentário

A Prefeitura de Dourados não estuda publicar, pelo menos, nesta quarta-feira (29), nenhum decreto, modificando regras vigentes no esforço para conter a propagação do coronavírus no Município. “Para hoje, não existe essa previsão”, informou o radialista Marcos Pierry, da Assessoria de Comunicação da Prefeitura, na live oficial. “Isso ainda está sendo estudado, e deve sair alguma coisa nova amanhã”, acrescentou.

Há expectativas de que, entre as alterações previstas, pode ser retomado o horário do toque de recolher para o período das 22 horas até 5 da manhã do dia seguinte. Atualmente, está vigorando o horário a partir das 20 horas, restrição que afeta, principal e diretamente, o funcionamento de restaurantes e setores de alimentação.

Ao confirmar mais um óbito em Dourados pela Covid-19, a live oficial da Prefeitura atualizou os números da doença para 4.235 casos confirmados. Desse total, estão 2573 recuperados, e há 1650 casos ativos do coronavírus. “Muitas pessoas estão saindo do ciclo viral e o número de recuperados só tende a aumentar”, festeja a Prefeitura. Nas últimas 24 horas foram registrados 56 novos casos.

Na rede hospitalar da cidade, existem 43 pessoas internadas, 21 em leitos de enfermaria e 22 em UTIs. Nas UTIs existem 11 pessoas de Dourados em vagas públicas e 5 ocupando leitos de hospitais da rede privada.

No total, 77 pessoas ocupam vagas com casos de Covid, suspeitas e outras doenças respiratórias), entre público e privado, conforme mostra o boletim epidemiológico para a ocupação hospitalar no Município.

Comentário

O juiz Caio Marcio de Britto, da 2ª Vara do Juizado Especial Cível e Criminal da Comarca de Dourados homologou, em sentença proferida na sexta-feira (24), decisão da Juíza Leiga Luzia Haruko Hirata, julgando improcedente o pedido formulado por internauta que reclamava pagamento de indenização por danos morais no valor de R$ 39.920,00 nos autos da ação de reparação de dano moral movida contra o Jornal Douranews.

Na ação, em que envolveu também o site O Vigilante, por ter reproduzido o conteúdo produzido pelo Douranews, a alegação era de que as empresas propagaram, “de maneira depreciativa e sem tomar as devidas cautelas para poupar a requerente”, fatos relacionados ao que já vinha sofrendo em razão das postagens na rede social Facebook, canal por onde o tema ganhou repercussão, gerando a reportagem do jornal.

O advogado Paulo César Nunes da Silva, do Escritório Nunes & Gomes Advocacia e Assessoria, que representou o Douranews na Ação, comentou a decisão:

- Na sua opinião, essa decisão reforça o manifesto direito de liberdade de imprensa?
Sem dúvida! Trata-se de uma decisão que, apesar de ainda caber recurso para a Turma Recursal em Campo Grande, reforça o compromisso do Poder Judiciário com a ampla e responsável liberdade de imprensa, justamente a praticada pelo Douranews.

- Em que sentido o senhor avalia que a parte impetrante da Ação entendeu haver o Douranews “extrapolado o direito de liberdade de imprensa”?
Nem sempre as pessoas conseguem assimilar a diferença entre um efetivo dano moral, aquele que fere direitos da personalidade, de um mero dissabor, ou ainda, o noticiamento de um fato, que apesar de indigesto ao envolvido, é real-verdadeiro, o qual pode ser divulgado livremente pela imprensa. Portanto, a Autora deve ter se sentido ofendida, mas algo que foge da tutela judicial e de um dano moral

- Até que ponto se pode avaliar as ‘verdades’ contidas no noticiário jornalístico em relação às chamadas notícias fakes?
São coisas totalmente distintas, pois o presente caso retratou uma notícia baseada em verdades, as quais devassadas nas redes sociais, o que oferece a imprensa a liberdade de noticiar. Do contrário, uma fake news, ou notícia falsa, foge do retrato da realidade, é crime, ilegal, vedado o noticiamento.

- Com essa decisão, é possível dizer que o Judiciário aplica um ‘puxão de orelhas’ quanto ao uso correto das redes sociais, tipo Facebook, WhatsApp e outras ferramentais digitais de domínio público?
Eu diria que sim, serve de alerta para as pessoas, que cada vez mais se expõe nas redes sociais, e quando isso lhe contraria (como no presente caso) argui seu direito a intimidade, a qual foi exposta pela própria pessoa.

- Não seria o caso de interpretar petições desse tipo, pleiteando as tais ‘indenizações por danos morais’ contra publicações dos veículos de comunicação, ao meio mais fácil de tentar intimidar a Imprensa?
O acesso ao Poder Judiciário é um direito, e como tal deve ser utilizado sem qualquer restrição. Noutra banda, o direito de imprensa é igualmente permitido constitucionalmente, e nenhum dos dois deve ser tolhido, e eventualmente quando em confronto, devem ser analisados e o que for mais importante (no caso em análise) deve prevalecer, justamente o que vimos neste caso, uma sobreposição do direito à livre imprensa.

- Poder-se-ia classificar esse pedido de ‘indenização por dano moral’, depois que determinada parte já se manifestou como quis em rede social, a um tipo subjetivo de extorsão monetária?
Pessoalmente eu não diria isso, pois a pessoa tem o direito de se socorrer ao Poder Judiciário, e como Advogado eu não poderia subjugar o ânimo que impulsionou a parte contrária, mas se era esse o intuito, ela não logrou êxito, tendo o Judiciário não albergado o direito da Requerente, garantindo o livre exercício do direito de noticiar da imprensa.

- Como o senhor avalia que deveria ser o comportamento de veículos de comunicação e de usuários das redes sociais depois dessa decisão soberana da Justiça?
Seguirem firmes no intuito de noticiar a verdade, pois quem está ao lado da verdade nunca será prejudicado pelo Poder Judiciário, e sempre contem com a Advocacia para que este direto de livre imprensa seja exercido!

Comentário

O vereador Idenor Machado (PSDB), irmão do ex-deputado Valdenir Machado, que foi internado na segunda-feira (27) com suspeitas de complicações na vesícula, mas que acabou diagnosticado com a Covid-19, disse que a família acompanha a situação com preocupação, mas com muita fé e esperança. “O quadro dele é grave, mas o Valdenir sempre teve muita disposição, ele vai sair dessa”, disse o política.

Pré-candidato a prefeito pelo PSDB, depois que os nomes preferenciais da legenda, Geraldo Resende e Marçal Filho, abdicaram da disputa, Valdenir vinha imprimindo um ritmo mais acelerado nas atividades periódicas, promovendo encontros políticos e visitas na comunidade.

Ele teve falta de ar na terça-feira da semana passada, mas como o sintoma era fraco não procurou atendimento médico. Já nos dias seguintes teve diarreia forte, e ainda assim, acreditou que tratava-se de problema na vesícula. No final de semana, ainda reuniu correligionários no distrito de Panambi, onde mantém cartório, para festejar os 72 anos de idade.

Na segunda-feira, quando procurou atendimento no Hospital Santa Rita, acreditando que tinha complicações na vesícula, os médicos recomendaram o teste para a Covid-19, uma vez que ele estava com dificuldade para respirar, o que confirmou a infecção.

Valdenir Machado está internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva), com quase 60% dos pulmões comprometidos, mas respira de forma calma. O corpo clínico tenta reabilitação da atividade pulmonar plena, mas ele não está sedado nem entubado, conforme relato do irmão Idenor.

Comentário

Cumprindo o 2º mandato na Câmara de Dourados, o vereador Sergio Nogueira (PSDB) apresentou um resumo das ações que encaminhou, resultando em R$ 180 mil em emendas, para ajudar instituições entre 2017 a 2019, sendo R$ 60 mil por ano. O parlamentar priorizou os setores de educação e saúde.

Em 2017, Sergio Nogueira encaminhou R$ 33,600 mil para promover a educação básica de qualidade em Dourados, através de ambientes estruturados. As emendas foram direcionadas para troca de telhado da Escola Municipal Francisco Meireles, no valor de R$ 12,8 mil, e para a construção de banheiros adaptados aos portadores de deficiência física na Escola Weimar Gonçalves Torres, no valor de R$ 20,8 mil.

Na saúde, o vereador encaminhou recursos para a aquisição de seis aparelhos de ar-condicionado, no valor de R$ 14,4 mil, sendo quatro para o Pronto Atendimento Médico (PAM) e dois para o Centro de Atendimento à Mulher (CAM). Ainda foram destinados R$ 12 mil para a aquisição de quatro ultrassons odontológicos, sendo divididos entre as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) Céu II, Vila Rosa, Santo André e Seleta.

No ano de 2018, o parlamentar encaminhou R$ 60 mil para educação e saúde, sendo R$ 30 mil para a aquisição de dois freezers horizontais para os Centros de Educação Infantil Municipal (Ceims) Manoel Pedro Nolasco e Beatriz de Barros Bumlai, dois bebedouros para os Ceims Maria Madalena de Aguiar e Paulo Gabiatti, uma geladeira grande para o Ceim Dalva Vera Martines, dois computadores completos para a Escola Municipal Armando Campos Belo e para a compra de brinquedos para instalação de parque infantil para a Associação Brasileira de Crédito, Desenvolvimento da Educação e do Esporte (ABCDE). Os outros R$ 30 mil foram destinados a reforma de banheiros, sendo R$ 20 mil para o Ceim Professor Mário Kumagai e R$ 10 mil para a Escola Municipal Etalívio Penzo.

Já no ano passado, Sergio Nogueira encaminhou emenda para aquisição de móveis planejados para sala de atendimentos psicopedagógico da Associação de Pais e Amigos dos Autistas da Grande Dourados (AAGD), no valor de R$ 12,200.
O parlamentar ainda direcionou R$ 47,800 em recursos para aquisição de materiais permanentes para a educação básica, sendo R$ 5,200 para a Associação de Pais e Mestres (APM) da Escola Municipal Bernardina Correa de Almeida, R$ 7,200 para a ABCDE, R$ 4 mil para a APM do Ceim Claudete Pereira Lima, R$ 4,5 mil para a APM do Ceim Mario Kumagai, R$ 3 mil para a APM da Escola Municipal Padre Anchieta e R$ 1 mil para o Tratamento Fora Domicílio (TFD).

Os recursos ainda foram encaminhados para aquisição de geladeira e quatro lixeiras metálicas para consultório médico da Unidade Básica de Saúde da Vila Rosa, para compra de lavadora de roupas 12kg para a UBS do BNH 4º Plano, para implantação de forro PVC e aquisição de dois ventiladores para o UBS Campo Dourado, para aquisição de material para a APM da Associação Pestalozzi de Dourados e também para o Lar do Idoso de Dourados.

“Meu compromisso é trabalhar em parceria com as instituições que atendem a comunidade, é cuidar de pessoas e ajudar o nosso município a desenvolver”, enfatizou Sergio Nogueira. (Com assessoria)

 

Comentário

Página 6 de 1707
  • Vitoria
  • pmd proteja

O Tempo Agora

  • mascaras
  • unigran novo

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014

WhatsApp 9 9913 8196

Telefones Úteis