Timber by EMSIEN-3 LTD
Redação Douranews

Redação Douranews

A Câmara de Dourados recebeu, durante a sessão ordinária desta segunda-feira (9), membros da diretoria do Sinjorgran (Sindicato dos Jornalistas Profissionais na Região da Grande Dourados), oportunidade em que a presidente da entidade, jornalista Karine Segatto, que usou a tribuna para falar sobre os efeitos da Medida Provisória 905/2019, que revoga artigos da CLT (a Consolidação das Leis Trabalhistas) e de leis específicas que determinavam a obrigatoriedade de registro profissional para carreiras que não são regidas por conselhos de classe, como jornalista, publicitário e radialista, além de outras oito categorias.

A presidente do sindicato leu, durante o período na tribuna livre, o manifesto redigido pelo Sinjorgran. Ela apontou que, ao extinguir o registro para jornalista e as outras profissões, a MP “acabou com a garantia do mínimo necessário para a atuação profissional adequada”.

“É preciso defender os jornalistas e o jornalismo”, ressaltou Karine. A MP 905/2019 foi publicada no dia 12 de novembro de 2019, pelo presidente Jair Bolsonaro. A ação de conscientização e luta contra a medida em Dourados, tem parceria do sindicato, acadêmicos e do curso de Publicidade e Propaganda da Unigran e Clube de Imprensa.

O vereador Alan Guedes (DEM), presidente da Casa de Leis, também usou a tribuna para reafirmar o apoio da Câmara de Dourados à luta do Sinjorgran. “Sem jornalismo, não há democracia. Nosso reconhecimento é pela luta dos jornalistas, publicitários, radialistas, em verem a sua profissão relegada ao fracasso, mediante a medida provisória arbitrária e que me causa constrangimento”, pontuou.

O parlamentar ainda apontou que irá submeter uma minuta de moção coletiva e encaminhá-la à Bancada Federal de Mato Grosso do Sul, à mesa diretoria do Senado da República, à mesa diretora da Câmara dos Deputados, à Assembleia Legislativa de MS e ao Sinjorgran. “Esta ação é para juntos lutarmos contra esta medida antidemocrática, inaceitável para o momento e para a maturidade que a democracia brasileira vive”, finalizou o presidente da Câmara de Dourados.

Por fim, os vereadores ainda entregaram Diploma de Jubileu de Pérola ao Sinjorgran, pelos 30 anos de sua fundação, marcando também o Dia Nacional de Luta em Defesa do Registro Profissional.

Ordem do Dia

Em 2ª discussão e votação, foi aprovado Projeto de Lei do Poder Executivo, que dispõe sobre a LOA (Lei Orçamentária Anual), exercício financeiro 2020, com emendas indicativas e modificativas anexas. Ainda foi aprovado o Projeto de Lei, também do Poder Executivo, que instituiu a Base cartográfica do Município.

De autoria do vereador Mauricio Lemes (PSB), foram aprovados os projetos que denominam como “Rua Enoque Vieira Cavalcante”, “Rua Alberto Campos Perdomo” e “Rua Izidoria Fernandes Ferreira” as ruas GV 14 A, GV 14 C, GV 01, localizadas no Residencial Greenville, e como “Rua Claudinei de Luca” a Rua Projetada 01, no Bairro Vila Rubi.

Do vereador Madson Valente (DEM), foi aprovado o Projeto de Lei que denomina como “Rua Daniel Alves da Silva” a Rua A, localizada no Residencial Martineiz Alves da Silva, no distrito de Vila Vargas. Ainda foi aprovado o Projeto de Lei, de autoria do vereador Braz Melo (PSC), que denomina como “Unidade Básica de Saúde Vereador Joel Pizzini” o Posto de Saúde localizado na Vila Rosa.

De Olavo Sul (Patriota), foi aprovado o Projeto de Lei que dispõe sobre a criação do Dia Municipal de Combate à Corrupção e promoção ao estímulo à transparência pública no município, que será comemorado anualmente no dia 9 de dezembro.

O Projeto de Lei do vereador Silas Zanata (Cidadania), que denomina como “Unidade Básica de Saúde Maria das Dores da Silva” o Posto de Saúde localizado no distrito de Panambi, foi aprovado por unanimidade.

Do vereador Cirilo Ramão (MDB), foi aprovado o projeto que denomina como “Rua João Marques Luiz (João Passarinho)” a Rua Marginal P5, localizada no fundo dos Bairros Porto Seguro e Jardim das Palmeiras.

Em 1ª discussão e votação, foi aprovado o Projeto de Lei Complementar, de autoria do Poder Executivo, que cria o anexo na Lei Complementar 329 de 18 de abril de 2.017, que dispõe sobre a estruturação organizacional da Prefeitura de Dourados.

Do vereador Alan Guedes (DEM), foi aprovado o Projeto de Lei que altera o artigo 1º da Lei 2.084/1996, que dispõe sobre denominação de ruas. Projeto de Lei de autoria do vereador Sergio Nogueira (PSDB), que declara de Utilidade Pública Municipal a Associação Educacional Ceminha, foi aprovado por unanimidade dos presentes.

Do vereador Mauricio Lemes, foram aprovados os projetos que denominam como “Rua Carolina Cimatti” a marginal localizada aos fundos dos residenciais Ecoville I, Jardim das Palmeiras e Porto Seguro, como “Maria Remédio Hidalgo Souza (Dona Preta)” a praça localizada no Jardim dos Cristais II, e como “Rua Florinda Giolando Lopes” e “Rua Odete Batista de Matos”, as ruas Projetada 21 CV e 10 CV, respectivamente, localizadas na Sitioca Campina Verde.

Ainda foram aprovados, do vereador Braz Melo (PSC), projetos que denominam como “Vereador Américo Monteiro Salgado” o Posto de Saúde no Parque dos Bem-Te-Vis e como “Dr. Luiz Antonio Alves” o Posto de Saúde do Parque das Nações II.

Dos vereadores Junior Rodrigues (PL) e Braz Melo, foi votado e aprovado o Projeto de Lei que denomina como “Vereador Áureo Garcia Ribeiro” o prédio do PAM (Pronto Atendimento Médico), em Dourados.

Os Projetos de Lei de autoria do vereador Silas Zanata (Cidadania), que denomina como “Unidade de Saúde Anair Dutra Calheiros” o Posto de Saúde localizado no distrito de Vila São Pedro, e como “Unidade Básica de Saúde Arino Pereira de Matos” o Posto de Saúde localizado na Vila Macaúba, no distrito de Guassú, em Dourados, também foram aprovados.

Dos vereadores Braz Melo e Silas Zanata, foi aprovado o Projeto de Lei que denomina como “Unidade Básica de Saúde Vereador Frederico Bernardo ‘Fritz’ Holtermann” a Unidade de Saúde localizada no distrito de Indápolis, em Dourados.

Os projetos de lei, do vereador Alan Guedes, que inclui no Calendário Oficial de Eventos do Município a Peixada Dourados News, a ser realizada anualmente no 3º sábado do mês de setembro, e a Festa da Criança do Lar Santa Rita, a ser realizada anualmente na 1ª quinzena do mês de outubro, também foram aprovados, além de Projeto de Lei do vereador Sergio Nogueira, que institui a Semana Municipal do Fisioterapeuta e do Terapeuta Ocupacional, e Projeto de Lei do vereador Madson Valente, que institui a Semana Municipal de Conscientização sobre o TDAH (o Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade).

Em única discussão e votação, foram aprovados decretos legislativos que concedem diploma de Jubileu Prata Dourada à Igreja Assembleia de Deus – Ministério do Belém, pelos 42 anos de fundação, de autoria do vereador Bebeto; Diploma de Jubileu de Zinco à Escola Municipal Prefeito Luiz Antonio Alvares Gonçalves, alusivo aos 10 anos de sua criação, de Alan Guedes; e Diploma de Jubileu de Papoula ao Crefito-13 (Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional), alusivo aos 8 anos de sua fundação, de autoria dos vereadores Sergio Nogueira e Alan Guedes. (Com assessoria)

Comentário

A Câmara de Dourados vai realizar nesta quarta-feira (11), às 18 horas, a Sessão Solene de entrega dos títulos de Empresa Amiga da Criança, Pessoa Jurídica Amiga da Criança, Pessoa Física Amiga da Criança e de Contabilista Amigo da Criança para quem contribuiu com o FMDCA (Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente) e para os escritórios de Contabilidade que incentivaram a destinação dos recursos através da Declaração do Imposto de Renda deste ano. A proposição é do vereador Sergio Nogueira (PSDB), autor da Lei 771, de abril de 2014, que criou os títulos.

Os homenageados destinaram recursos através do Imposto de Renda ao FMDCA contribuindo para a efetivação das políticas públicas voltadas para as crianças e adolescentes da cidade. De acordo com o parlamentar, o objetivo dos títulos instituídos é estimular doações ao Fundo Municipal, em conformidade com as condições estabelecidas na Lei Federal 8.069, o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente).

A finalidade do FMDCA, criado com base no ECA, é de captar recursos para programas de auxílio a crianças e adolescentes expostos à situação de risco. O evento conta ainda com a parceria do CMDCA (o Conselho Municipal da Criança e do Adolescente), órgão responsável pela gestão desses recursos.

“O nosso intuito é contemplar aqueles que contribuíram em 2019, mesmo que de forma indireta, com nossas crianças e adolescentes. Os fundos coletados contribuem com a melhoria das condições de vida de crianças e de adolescentes, os donativos podem ser deduzidos na tributação do Imposto de Renda. Nada mais justo que homenagear essas pessoas e instituições que fazem esse importante papel na sociedade”, destaca Sergio Nogueira.

O vereador ressalta que, para receber o prêmio, os doadores permitiram sua identificação, independentemente do valor doado. “Tenho certeza que com a repercussão da entrega do prêmio em 2019, e a sua publicização, teremos condições de aumentar substancialmente a arrecadação em 2020”, finaliza o vereador. (Da assessoria)

Comentário

A Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul instituiu a Frente Parlamentar em Defesa da Uems (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), proposta pelo deputado Neno Razuk (PTB), que será o coordenador do grupo.

A criação da Frente Parlamentar foi publicada no Diário Oficial do Legislativo desta terça-feira (10), depois que o deputado Neno justificou essa necessidade, considerando que "a defesa dos interesses da instituição exige da Casa de Leis foco e empenho especiais, considerando a importância da UEMS na vida sul-mato-grossense".

Compõem o grupo, além de Neno Razuk, os deputados Pedro Kemp (PT), Capitão Contar (PSL), Evander Vendramini (PP), Antônio Vaz (Republicanos), Professor Rinaldo (PSDB), Coronel David (PSL), Herculano Borges (Solidariedade), Gerson Claro (PP), Cabo Almi (PT), Marcio Fernandes (MDB) e Lidio Lopes (PATRI).

Comentário

O Departamento de Competições da FFMS divulgou tabela atualizada e ajustes no regulamento do Campeonato Sul-mato-grossense da Série A para o ano que vem. Após reunião realizada sexta-feira (6), foi encaminhado ao Ministério Público Estadual a redação final da competição.

Entre as alterações em relação a 2019, diminuiu de quatro para dois o número de rebaixados e apenas o campeão estadual terá vaga na Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro da Série D. Além disso, não há vaga para a Copa Verde, competição que está sendo estudada se terá continuidade em 2021.

A disputa de pênaltis, inicialmente aprovada pelos clubes como critério de desempate, foi retirada e a melhor campanha será premiada com vantagem. E, outra mudança importante, o confronto direto será critério de desempate antes da parte disciplinar.

A abertura do Sul-mato-grossense 2020 acontece no dia 22 de janeiro com o jogo isolado entre Águia Negra x Pontaporanense. A rodada continua dia 26 com Corumbaense x Maracaju. Os demais jogos foram desmembrados, conforme tabela aprovada no Arbitral da semana passada.

Comentário

Considerando o fechamento de salas do 6º ao 9º ano de escolas municipais como uma proposta do Governo do Estado para estimular a abertura de vagas no Ensino Integral, a Câmara de Dourados encampou demanda de diretores educacionais e do Simted (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação em Dourados) para tentar um acordo com a prefeita Délia Razuk (PTB). A primeira reunião está marcada para às 9 horas desta quarta-feira (11) no Centro Administrativo municipal, após intermediação do presidente Alan Guedes (DEM).

Nesta segunda-feira (10), os profissionais da Educação participaram da pré-pauta em busca de esclarecimentos e diálogo com a gestão. Como encaminhamento, vereadores, pais, mestres e alunos se reuniram nesta terça-feira (10) na Casa de Leis com o secretário de Educação, Upiran Jorge Gonçalves, em busca do não fechamento das turmas de 8° e 9° ano de cinco escolas: Clarice, Álvaro Brandão, CAIC, Aurora e Etalívio.

O vereador Elias Ishy (PT), presidente da Comissão de Educação, lembrou que para o avanço do setor é preciso seguir o princípio da democracia, onde todos devem ser ouvidos. Ele afirmou que vem acompanhando, paralelamente, o caso da municipalização da Escola Nelson de Araújo e, juntamente com os demais vereadores, por unanimidade, assinaram um documento pedindo a manutenção da Escola na Rede Estadual de Ensino.

A diretora Deumeires Morais agradeceu a imediata atenção da Casa e explicou que as comunidades sempre foram contrárias ao fechamento das salas de aula. Segundo ela, uma decisão dessas não pode ser tomada “a toque de caixa”. A professora explica que as matrículas tiveram início nesta semana, os alunos têm formaturas programadas e não houve planejamento da gestão para a mudança. “Os professores foram lotados, então essa decisão pegou a todos de surpresa. Onde a prefeitura vai lotá-los?”, questiona. Fora isso, de acordo com os relatos, o PCCR (Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração) não garante que a Prefeitura iria manter os funcionários. Se não for mais viável, eles podem ser demitidos, admite o Município.

O presidente do Simted Dourados, Juliano Mazzini, pediu o posicionamento dos vereadores e diz que não há acordos que superem a lei, entendendo que do primeiro ao nono ano são de responsabilidades do Estado e Município. A professora Elizângela Maia, representante do Simted no Comacs (Conselho do Fundeb) está preocupada com o resultado dessa medida. Ela ressaltou que a Prefeitura tem alegado falta de recursos, passando os alunos ao Estado, mas indaga: “Caso fechem as turmas, qual o estudo desse impacto além do social? No mínimo, deveriam apresentar o cronograma de encerramento das atividades, um documento com antecedência de 60 dias, avisando a comunidade, entre outras medidas”, observa.

O secretário municipal de Educação, Upiran Gonçalves, disse que esse assunto foi debatido com a supervisão técnica e pedagógica e houve um termo de cooperação entre Estado e Município. Para ele, não se trata de uma decisão arbitrária, mas de uma “decisão da administração pública, cabível” e que qualquer determinação contrária nesse sentido cabe apenas à prefeita.

Comentário

A Câmara aprovou recentemente e a prefeita Délia Razuk sancionou a Lei 4.362, de 22 de novembro de 2019, de autoria do Poder executivo, alterando dispositivos da Lei 4.287 de 10 de julho de 2019 que institui a campanha “Nota Dourada” e dispõe sobre a concessão de créditos fiscais e sorteio de prêmios entre contribuintes, pessoas físicas ou jurídicas.

As alterações da lei foram publicadas na edição do Diário Oficial do Município do dia 25 de novembro e já estão em plena vigência. A mudança autoriza ao município depositar valores na conta do contribuinte que exigir nota fiscal de compra ou prestação de serviço com empresas de Dourados. Antes da alteração, a lei previa que o contribuinte utilizasse o crédito para abatimento do IPTU (Imposto Sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana) de exercício subsequente.

Os créditos fiscais serão gerados a favor da pessoa física ou jurídica que tomar serviços de empresas cadastradas no Município de Dourados, a partir do ISSQN (Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza), efetivamente recolhido aos cofres do Município de Dourados.

Os valores a serem depositados devem ser de, no mínimo, R$ 30. E, para receber o contribuinte, pessoa física ou jurídica, deverá indicar uma conta corrente ou poupança de sua titularidade, mantida em instituição do Sistema Financeiro Nacional, para a realização do depósito pelo Município.

Ficará fora da campanha “Nota Dourada” o contribuinte que estiver em débito com o Município, seja dívida tributária ou não. De acordo com o secretário municipal de Fazenda, Carlos Dobes Vieira, com esta lei o município busca incrementar a receita, estimulando as pessoas a exigirem nota fiscal no comércio local. Com isso, além de receberem créditos fiscais, participam de sorteios de prêmios.

Comentário

Ao tomar posse nesta terça-feira (10) como presidente da Argentina, o peronista Alberto Fernández prometeu governar em "respeito aos dissensos", pregou a "unidade de toda a Argentina, em prol da construção de um novo contrato social fraterno e solidário", afirmou que a prioridade inicial será o combate à fome e disse que o país precisa crescer para poder pagar seus credores externos, incluindo o FMI (Fundo Monetário Internacional).

Ao lado da vice-presidente também empossada, Cristina Kirchner, ele afirmou que o antecessor, Mauricio Macri , termina seu mandato “deixando um país em situação de virtual default (calote)" (da dívida externa pública) e disse que sente estar “passando pelo mesmo labirinto” que atravessou ao lado do ex-presidente Néstor Kirchner (2003-2007), de quem foi chefe de Gabinete e que também assumiu o país depois de uma moratória da dívida.
As questões da dívida, da crise social e da recessão econômica ocuparam um espaço central no discurso do novo presidente. Segundo Fernández, seu governo recebe um país “frágil, prostrado e ferido”, que não tem condições de saldar seus compromissos externos.
“Para poder pagar, é preciso crescer primeiro. Vamos construir uma relação construtiva com o FMI. O país quer pagar, mas carece de capacidade. Os credores assumiram o risco de investir num modelo que fracassou no mundo várias vezes”, disse Fernández, referindo-se ao crescimento das dívidas interna e externa durante o governo de Macri e à queda do PIB argentino neste ano, prevista para chegar a 3%.

Mercosul prioridade

Fernández afirmou ainda que o Mercosul continuará sendo prioridade da Argentina, e que a relação com o Brasil "vai além de qualquer conjuntura" e das "diferenças entre os que governam". Ele defendeu a relação com um dos principais sócios comerciais da Argentina para “construir uma agenda ambiciosa, inovadora e criativa, respaldada na irmandade histórica de nossos povos".

“A Argentina quer integrar-se, mas com inteligência, protegendo a produção nacional. Queremos relações maduras com todos os países. A América Latina é nosso lugar comum. Queremos reforçar o Mercosul e a integração regional”, afirmou o novo presidente.

Entre os convidados estrangeiros que ouviam o discurso estava o vice-presidente Hamilton Mourão, enviado por decisão de última hora do governo Jair Bolsonaro na segunda-feira. Para o novo presidente da Argentina, os dois países têm “um futuro de progressos compartilhados”, conforme publica OGlobo.

Comentário

O pagamento da décima terceira parcela do Programa Bolsa Família começa nesta terça-feira (10) em repasse extra que acompanha os valores de dezembro -- o que significa que, neste mês, o benefício será em dobro. Os pagamentos se estendem até o dia 23. No total, mais de cinco bilhões de reais serão pagos a mais de 13,100 milhões de famílias em todo o Brasil.

Este é o maior repasse já realizado na história do programa - e reforça o compromisso do governo federal em combater as desigualdades sociais, aumentando o poder de compra dos mais pobres. O benefício médio, acumulando o valor extra, será de R$ 383,54 por família.

Melhorias na gestão do programa permitiram que o pagamento fosse possível, bem como o aumento de R$ 2,5 bilhões no orçamento do Ministério da Cidadania, assegurado pelo Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas Primárias do Primeiro Bimestre de 2019, do Ministério da Economia. O ministro da Cidadania, Osmar Terra, ressalta a importância do incremento no orçamento, neste fim de ano, das famílias que estão no limite da extrema pobreza.

Segundo ele, o Bolsa Família fecha o orçamento em R$ 33,6 bilhões, valor cerca de 10% maior do que no ano anterior. O programa atende às famílias que vivem em situação de extrema pobreza, com renda por pessoa de até R$ 89 mensais; e na pobreza, com renda até R$ 158 mensais por pessoa.

Comentário

Criado em 9 de dezembro de 1989, o Sinnjorgran (Sindicato dos Jornalistas Profissionais da Região da Grande Dourados) completou 30 anos de fundação nesta segunda-feira. Na semana passada, em cerimônia na Câmara de Dourados, a entidade recebeu do Poder Legislativo o diploma de Jubileu de Pérola. Este ano marca também as ações em defesa do Registro Profissional da categoria.

Há 30 anos, mesmo com a participação de delegados do SindJor – MS, de Campo Grande, atuantes na cidade, os jornalistas do município se mobilizaram para buscar autonomia e agilizar o atendimento das demandas da categoria na região. Assim, conquistou independência administrativa, jurídica, política e atualmente é um dos quatro sindicatos regionais do País.

Grande parte do grupo que criou a entidade foi a que prosseguiu na direção nas primeiras duas décadas: Cícero Faria (triênio 1989-1992), José Henrique Marques (1992-1995 e 1995-1998), Antônio Pinto Viegas (1999 – 2002) e Clóvis de Oliveira (2002-2005), marcadas, principalmente, pelo reconhecimento da organização junto ao Ministério do Trabalho, pela construção da sede em parceria com o Clube de Imprensa e pela necessidade de regularização do exercício profissional das pessoas que atuavam na área e que ainda não tinham o segundo grau completo.

A renovação de seus membros veio com o início da turma de Jornalismo no curso oferecido pela Unigran, a partir do ano de 2004. Era uma das bandeiras sindicais, impactou o mercado de trabalho da região e resultou no ingresso de novos filiados e diretores no próprio Sindicato, oxigenando os mandatos liderados por Luis Carlos Luciano (triênios 2005-2008, 2008-2011 e 2014-2017) e da atual presidente Karine Segatto (2011-2014 e 2017–2020), com jornalistas mais jovens e maior representatividade das mulheres nas diretorias.

Desde 2006, o grande foco da atuação do Sindicato são os Acordos Coletivos de Trabalho. Por conta da ausência de um sindicato patronal, a negociação é feita ano a ano com cada empresa. É por meio dos ACTs que o Sindicato busca benefícios trabalhistas para os filiados, entre eles, auxílio transporte, auxílio refeição/alimentação, gratificação de função, direito de substituição, regulamentação do banco de horas, estabelecimento do piso salarial e reajuste salarial com base na atualização nos índices inflacionários e também buscando conquistar ganho real. “Desde sua criação, a entidade é o centro da luta da categoria por direitos trabalhistas, pela defesa da ética profissional e da liberdade de imprensa, e também por valorização social, repudiando casos de violência contra os jornalistas e sempre reafirmando a importância dos seus profissionais para a democracia”, explica a atual presidente.

Criado em um contexto de redemocratização do País e a efervescência dos movimentos sociais, atualmente o Sinjorgran enfrenta um cenário que a diretoria reputa de retrocesso, causado pela Reforma Trabalhista de 2017 e pelo avanço de regimes centralizadores, além da recente Medida Provisória MP925/2019, “que extingue o registro profissional, e, por isso, no sindicato a luta é diária”, diz Karine.

A jurisdição do Sinjorgran envolve 25 municípios localizados mais ao Sul de MS: Dourados, Itaporã, Fátima do Sul, Rio Brilhante, Maracaju, Caarapó, Ponta Porã, Amambai, Antônio João, Aral Moreira, Naviraí, Eldorado, Itaquiraí, Mundo Novo, Deodápolis, Iguatemi, Nova Andradina, Ivinhema, Glória de Dourados, Angélica, Tacuru, Paranhos, Sete Quedas, Coronel Sapucaia e Bataiporã.

Comentário

O presidente da Câmara de Dourados, vereador Alan Guedes (DEM), prestigiou a cerimônia de formatura da 4ª Turma da Guarda Mirim de Dourados ‘Dr. João Adolfo Astolfi’, realizada sábado (7), na Escola Erasmo Braga. Acompanhado do vereador Olavo Sul (Patriota), o parlamentar destacou a importância da educação não formal, levando conhecimento e vivência à cerca de 70 formandos que passam a somar mais de 250 jovens e adolescentes que passaram pelos cursos oferecidos pela instituição.

“A educação vai além do espaço delimitado pelos muros escolares e salas de aula. Em minha trajetória de vida, sou muito feliz por ter passado uma época no grupo escoteiros. Precisamos reconhecer a importância da educação não formal, são ensinamentos que levamos para a vida toda. Cumprimento os pais por acreditarem neste modelo de educação e especialmente o presidente da Guarda Mirim, João Frazão, por todo o trabalho desempenhado”, ressaltou Alan Guedes.

Fundada no dia 31 de março de 2015 por um grupo de membros da sociedade, encabeçados pelo comissário de menores João Gutembergue Pessoa Frazão, a Guarda Mirim de Dourados surgiu com o intuito de promover a educação de forma alternativa, oferecendo noções de cidadania, direitos humanos e formação profissional aos jovens e adolescentes, de 13 a 18 anos de idade.

Durante a cerimônia, o segundo sargento Edgar Martins Pereira, que ficou conhecido como 'cabo Edgar' pelos 15 anos dedicados à extinta Patrulha Mirim, recebeu homenagem como nome de turma em reconhecimento aos esforços para manter a entidade. Com a presença de representantes da Defensoria Pública e do Ministério Público de Mato Grosso do Sul (MPMS), foram destacados os trabalhos dos promotores de Justiça Ricardo Rotunno e Luis Gustavo Camacho Terçariol, apoiadores diretos da Guarda através dos programas sociais do MPMS.

O presidente da Guarda Mirim de Dourados, João Frazão, anunciou que as obras de restauração das instalações atuais da entidade deverão ter início em 2020, no terreno doado pelo ex-prefeito Murilo Zauith no bairro João Paulo II e a construção da sede própria, com recursos da ordem de R$ 314 mil, viabilizados através de emenda parlamentar pelo deputado estadual Barbosinha (DEM) que já assegurou, na cerimônia de sábado, nova emenda para equipar as futuras instalações.

Comentário

Página 6 de 1517

O Tempo Agora

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014

WhatsApp 9 9913 8196

Telefones Úteis

Horários de Vôos | Horários de Ônibus