Timber by EMSIEN-3 LTD
Redação Douranews

Redação Douranews

As exportações de produtos industrializados de Mato Grosso do Sul fecharam o 1º semestre de 2020 com aumento de 3,2% na comparação com o mesmo período de 2019, conforme levantamento do Radar Industrial da Fiems. Apesar da pandemia mundial do novo coronavírus, de janeiro a junho deste ano a receita com as vendas internacionais das indústrias locais somou US$ 1,83 bilhão contra US$ 1,77 bilhão nos primeiros seis meses do ano passado.

Segundo o coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems, Ezequiel Resende, esse foi o melhor resultado para o acumulado de janeiro a junho da série histórica das exportações de produtos industriais de Mato Grosso do Sul. “Na avaliação apenas do mês de junho de 2020, com junho de 2019, o aumento foi de 6,4%, saltando de US$ 319,49 milhões para US$ 339,87”, completou.

O economista destaca que, quanto à participação relativa, no mês, a indústria respondeu por 62% de toda a receita de exportação de Mato Grosso do Sul, sendo também a mesma participação no acumulado do ano até aqui. Ele reforça que os grupos “Celulose e Papel” e “Complexo Frigorífico” continuam sendo responsáveis por 77% da receita de exportações do setor industrial, sendo 510 para o primeiro grupo e 27% para o segundo grupo, enquanto logo em seguida vem o grupo “Óleos Vegetais” e “Extrativo Mineral”, com 11% e 4%, respectivamente.

Principais grupos

No caso do grupo “Celulose e Papel”, a receita no período avaliado alcançou US$ 911,44 milhões, uma queda de 12% em relação ao período de janeiro a junho de 2019, que foram obtidos quase que na totalidade com a venda da celulose (US$ 899,30 milhões). Os principais compradores foram a China, com US$ 515,22 milhões, Estados Unidos, com US$ 110,83 milhões, a Itália, com US$ 69,97 milhões, a Coreia do Sul, com US$ 35,43 milhões, a Holanda, com US$ 25,36 milhões, o Reino Unido, com US$ 24,20 milhões, a Turquia, com US$ 18,33 milhões, a França, com US$ 16,32 milhões, e os Emirados Árabes Unidos, com US$ 14,77 milhões.

Já no grupo “Complexo Frigorífico”, a receita conseguida de janeiro a junho foi de US$ 498,23 milhões, um aumento de 8% em relação ao mesmo período de 2019, sendo que 45% do total alcançado é oriundo das carnes desossadas congeladas de bovino, que totalizaram US$ 224,70 milhões. Os principais compradores foram Hong Kong, com US$ 90,14 milhões, a China, com US$ 77,10 milhões, o Chile, com US$ 54,33 milhões, a Arábia Saudita, com US$ 30,42 milhões, os Emirados Árabes Unidos, com US$ 24,88 milhões, o Japão, com US$ 22,87 milhões, o Egito, com US$ 19,47 milhões, o Uruguai, com US$ 17,11 milhões, e Cingapura, com US$ 16,46 milhões.

No grupo “Óleos Vegetais”, a receita conseguida de janeiro a junho foi de US$ 208,47 milhões, um aumento de 124% em relação ao mesmo período de 2019, sendo que 49% é oriundo dos bagaços e resíduos sólidos da extração do óleo de soja, somando US$ 101,49 milhões. Os principais compradores foram a Holanda, com US$ 48,02 milhões, a Indonésia, com US$ 36,30 milhões, a Tailândia, com US$ 34,36 milhões, a Índia, com US$ 20,18 milhões, a Alemanha, com US$ 15,63 milhões, a Dinamarca, com US$ 11,26 milhões, a Polônia, com US$ 11,06 milhões, e a China, com US$ 10,84 milhões.

Comentário

O presidente da Câmara de Dourados, vereador Alan Guedes (Progressistas), promulgou, na manhã desta segunda-feira (27), a Lei 4.515, de 27 de julho de 2020, de autoria do vereador Mauricio Lemes (PSB), que estabelece normas para implantação e regularização de loteamento de acesso controlado, responsabilidades da Associação de Moradores e Proprietários, além de concessão do direito real de uso.

A lei foi aprovada por unanimidade pelos vereadores no mês de junho e encaminhada para sanção da administração municipal, contudo, ao decorrer o prazo, não houve sanção e nem veto do Executivo. “Entendemos a importância desta lei e estamos exercendo a prerrogativa que temos de promulgá-la”, afirmou Alan Guedes.

Na prática, a lei tem como propósito a identificação, ou seja, o visitante, ao se apresentar na portaria do bairro, não poderá ter nenhum constrangimento no acesso. No caso de impedimento, o cidadão não residente poderá acionar a Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), e a Guarda Municipal, para providências. O loteamento já existente que pretenda implantar o acesso controlado deverá firmar requerimento pela Associação dos Moradores e Proprietários com a concordância expressa de, no mínimo, 60% dos proprietários de lotes.

Com relação à instalação de cancelas, a lei prevê essa possibilidade, caso a Associação de Moradores e os proprietários julguem necessário, desde que não dificulte a trafegabilidade a outros bairros ou loteamentos adjacentes. O projeto e instalação de cancelas ficarão sob a responsabilidade da Associação, não onerando o Município.

Conforme o autor da lei, vereador Mauricio Lemes, a medida visa oferecer aos moradores maior segurança e os bairros devem se enquadrar nas especificações previstas, Mauricio diz que a lei não é restritiva, pois não veda a entrada de pedestres ou condutores de veículos não residentes no bairro. “Fico satisfeito e feliz em ter a lei aprovada e agora passará a valer no âmbito municipal, pois essa é uma realidade, estamos nos adequando à uma normativa federal”, enfatizou.

Além de Alan Guedes e Mauricio Lemes, o ato de promulgação contou com a presença do vereador Sergio Nogueira (PSDB) e de representantes de Associação dos Moradores e Proprietários. (Com assessoria)

Comentário

A prefeita Délia Razuk retomou os trabalhos na manhã desta segunda-feira (27) no Centro Administrativo Municipal, depois de cumprir 14 dias de isolamento domiciliar, conforme recomendação das autoridades de saúde para casos de contágio por Covid-19.

Délia revelou à assessoria os “dias difíceis” que passou por conta da doença e reforçou que todo cuidado deve ser tomado pelas pessoas para se precaver. “É uma situação muito séria. Não é brincadeira, não”, disse a prefeita, observando que apesar de a administração municipal ter tomado medidas corretas, eficazes na prevenção ao coronavírus, a situação ainda requer muita atenção e cuidado por parte de toda a população, pois “se trata de uma doença silenciosa e ninguém está livre de ser acometido”.

A prefeita Délia Razuk apresentou sintomas da Covid-19 no dia 13 deste mês e, desde então permaneceu em casa, despachando remotamente e acompanhando as ações contra a doença em Dourados. Ela fez novo exame na semana passada e o resultado deu negativo para Covid-19, sendo liberada para o trabalho.

“Apesar de que ainda necessito de repouso estou bem. Peço às pessoas que continuem se cuidando, que usem máscaras e mantenham o distanciamento. Precisamos continuar nos precavendo, a luta contra o vírus ainda não acabou”, disse a prefeita, destacando as ações do Município no enfrentamento ao coronavirus.

Ações

Desde o aparecimento dos primeiros casos do coronavírus, Dourados vem tomando todas as medidas necessárias para o enfrentamento à pandemia, com implementação de políticas públicas. Foi pioneiro na constituição do Comitê de Gerenciamento de Crise do Coronavírus e também a constituir um núcleo técnico de apoio, composto por médicos de diversas áreas.

Desde então o protocolo aplicado em Dourados sempre teve um olhar periférico em relação à saúde pública, à economia e ao comércio e aos setores industriais, sendo publicados inúmeros decretos municipais, sempre na busca da preservação da saúde da comunidade.

De início foram tomadas medidas mais urgentes, como a suspensão de aulas presenciais em toda a rede pública (com recomendações semelhantes à rede privada); fechamento dos parques públicos, limites no funcionamento do comércio, academias, igrejas e templos religiosos e a implantação do “toque de recolher”. Apenas atividades consideradas essenciais mantiveram-se em funcionamento.

A administração procedeu também a contratação de leitos, adequação dos já existentes, aquisição de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) e a contratação de profissionais da área da saúde, além da vacinação antigripal a profissionais da saúde, da segurança pública, idosos e demais do grupo de risco. Outra nova medida foi a instalação de barreiras sanitárias nas entradas de acesso ao município e o acolhimento dos vulneráveis, por meio da assistência social do município.

Houve a ampliação da testagem a partir de agendamentos via “Disk Covid”, pelo sistema “drive thru”, e pelo monitoramento de portadores de síndromes gripais e pessoas do grupo de risco que tem norteado o monitoramento e o tratamento da doença, além de serem importantes mecanismos que cooperam com a baixa ocupação de leitos e evitam a retomada de medidas de contenção mais duras.

Comentário

O tradicional desfile cívico-militar em comemoração a Independência do Brasil que ocorre anualmente todo o dia 7 de setembro foi cancelado pela Prefeitura de Dourados este ano. A decisão foi tomada na manhã desta segunda-feira (27) por causa da pandemia de Covid-19.

“Para que não haja aglomeração de estudantes e de expectadores na Avenida Marcelino Pires, palco do desfile, decidimos cancelar o evento”, disse o secretário municipal de Educação, Upiran Jorge Gonçalves da Silva, depois de manter reunião com a prefeita Délia Razuk.

Upiran afirmou que as demais atividades pertinentes à Semana da Pátria, como o acendimento da Chama da Pátria na Praça Antônio João e o hasteamento da Bandeira Nacional em locais públicos foram mantidas, desde que não haja aglomeração de pessoas.

“Sabemos que o desfile de sete de setembro é uma tradição e que o douradense gostar de ir à praça para ver as representações das escolas públicas e privadas, de entidades não governamentais e dos militares, mas não podemos colocar as pessoas em risco de contaminação pelo coronavírus”, enfatizou o secretário.

Comentário

O vereador Mauricio Lemes (PSB) acompanhou, quinta-feira (23), os serviços de manutenção de estradas na região do distrito de Itahum, em execução pelo Governo do Estado, por meio da Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos).

Com início na semana passada, estão sendo realizados serviços de patrolamento e cascalhamento da rodovia M-24, que interliga a MS-270 com a MS-469 e diversas ruas do distrito, entre elas a da Estação e as ruas Iguaçu e Miranda e a avenida Vicente Lopes Azambuja. “No final do mês de maio estivemos conversando com a comunidade de Itahum, que nos apontaram os locais que mais necessitam de manutenção, incluindo no perímetro urbano”, disse Mauricio.

A conhecida Estrada da Fazenda Varjão é um dos trechos onde está sendo feito o cascalhamento completo da via, em parceria com produtores rurais que dependem da via em perfeitas condições de tráfego para o escoamento da safra agrícola. “Sabemos da importância desse trecho nessa época de colheita de milho, e nossa indicação se torna mais que necessária devido ao estado degradante e com muitos buracos ocasionados pela chuva, prejudicando a escoação da lavoura e colocando em risco os motoristas que utilizam a rodovia”, ressaltou o vereador.

Serviços

Em indicação à prefeita Délia Razuk (PTB), com cópias aos secretários Celso Schuch (Governo), Fabiano Costa (Semsur) e Marise Bianchi (Obras), o vereador solicitou diversos serviços, durante sessão na Câmara de Dourados, entre eles, patrolamento e cascalhamento da Rua Pedro Rigotti, na Vila Sulmat, operação tapa buraco na Rua Albertina de Matos na Vila Guarani, em frente à empresa Matpar até a Rua Fernando Ferrari a limpeza e roçada na Rua 20 de Dezembro, entre a Rua Josué Garcia Pires e a Rua Frei Antônio. (Da assessoria)

Comentário

Domingo, 26 Julho 2020 23:50

Homem bate carro em árvore e morre

Lucas Aparecido Barbosa Silva, de 25 anos, morreu na noite deste domingo (26), depois que o carro que ele dirigia, um Fiat Pálio placas HSJ 5704 de Dourados, saiu da pista e capotou por várias vezes antes de bater de frente com uma árvore.

O acidente aconteceu na rodovia BR 376 entre Dourados e Fátima do Sul nas proximidades do Trevo de Indápolis. O carro foi parar a cerca de 150 metros de onde o motorista perdeu o controle de direção, como repercute o site MSemFoco.

Lucas Aparecido seguia no sentido Fátima do Sul a Dourados quando o acidente aconteceu. Ele estava acompanhado de uma mulher e uma criança que mesmo feridos conseguiram sair do carro, voltar para a rodovia e pedir por socorro. As duas pessoas envolvidas na acidente não correm risco de morte.

Comentário

O acordo para compensar perdas com planos econômicos das décadas de 1980 e 1990 foi fechado por 118 mil pessoas até março deste ano, informa o CNJ (Conselho Nacional de Justiça), um dos órgãos que monitoram o acordo. Segundo o órgão, R$ 1,6 bilhão foram pagos aos titulares de cadernetas de poupança na época, valor que envolveu 98 mil processos.

Para tirar dúvidas sobre como aderir: https://www.pagamentodapoupanca.com.br/ 

Em 2018, o STF (Supremo Tribunal Federal) homologou um acordo entre entidades que atuam em defesa do consumidor e a Febraban (a Federação Brasileira de Bancos), na tentativa de encerrar a disputa judicial pelo ressarcimento, que tramita desde a década de 80. As ações envolvem as perdas inflacionárias com os planos econômicos Bresser (1987), Verão (1989), Collor 1 (1990) e Collor 2 (1991).

Segundo o CNJ, dos 118 mil poupadores, 46 mil têm conta na Caixa, 25 mil no Itaú, 24 mil no Bradesco, 11 mil no Santander, e 11 mil no Banco do Brasil. Os poupadores ainda podem buscar mais informações no site criado para tirar dúvidas e solicitar o acordo, que pode ser assinado até 2025. Na página é possível fazer simulações, verificar quem pode aderir e obter detalhes sobre a tramitação dos pedidos nos bancos. A orientação é para que o advogado do poupador seja consultado sobre as condições da adesão.

Comentário

Nascido no interior do Paraná, onde viveu até os 20 anos de idade, o filho de família humilde que trabalhava com o pai, restaurando jardins, em Santo Antônio da Platina, decidiu mudar radicalmente de vida: se dedicou aos estudos e em 2005 chegava a Dourados como um dos calouros aprovados ao curso de Medicina da UFGD.

Durante esse período, o futuro dr Diogo Castilho teve que trabalhar muito para se manter e se sustentar. Ainda no curso universitário, escolheu Dourados como lugar para morar e aqui nasceu o filho Nícolas, em 2009, que define como “minha maior paixão”. Daí ao projeto político de vir a se tornar pré-candidato a vereador pelo DEM foi uma sucessão de acontecimentos, coincidindo com os alvos pretendidos.

Em 2014, termina a Residência de Cirurgia Geral e começa a atuar como cirurgião em Dourados, depois de ter sido aprovado em primeiro lugar no concurso do HU (Hospital Universitário) da UFGD. Ali aprendeu a conhecer e se dedicou ao atendimento no SUS (o Sistema Único de Saúde), retribuindo carinho e carisma com os pacientes.

Neste período também inicia a carreira como professor na sua universidade-mãe, a UFGD, onde leciona Cirurgia Geral para os alunos das turmas de 2016-18, até se dedicar ainda mais na assistência ao paciente. Em 2015, realiza a Pós-graduação em Gastroenterologia. E, em 2019, a pós em Cirurgia Bariátrica e Metabólica, construindo aqui a base do objetivo principal, como pré-candidato a vereador de Dourados.

“Tratar a todos com dignidade, independente da sua classe social, transferindo isso para a profissão” é o foco do dr. Diogo, enfatizando esse ensinamento aos alunos para eliminar a diferença entre pacientes do SUS e da rede privada. “O que importa são vidas, são as pessoas e a forma como são tratadas, sempre com dignidade e respeito”, prega ele.

Como pré-candidato, Diogo Castilho quer desenvolver o projeto de realização de cirurgias bariátricas pelo SUS em Dourados. “Eis que, neste caminho, surgiu o deputado Barbosinha, a quem conheci e já me engajei, filiando ao Democratas e com a esperança de que esse projeto encontrou eco nas propostas do pré-candidato a prefeito. A partir de então, não espero mais pelas mudanças, mas, sim, me somei nesse projeto de criação de um novo tempo”, conclui.

Comentário

O líder norte-coreano Kim Jong Un assumiu neste domingo (26), pela primeira vez, que “o vírus” pode ter entrado no país, ao confirmar o primeiro caso de suspeita de infecção pelo novo coronavírus, de acordo com informações da imprensa estatal. Diante das suspeitas foi declarado lockdown (bloqueio total) na cidade de Kaesong, próxima da fronteira com a Coreia do Sul, desde a tarde de sexta-feira (24) passada.

Se esse paciente for oficialmente declarado com a Covid-19, este será o primeiro caso confirmado no país. Até agora a Coreia do Norte tem afirmado veementemente que não teve nenhum caso da doença. Tal alegação, entretanto, é questionada por especialistas externos.

A Agência Central de Notícias da Coreia (KCNA, em inglês) informou que o caso suspeito é de um fugitivo do país que cruzou a fronteira há três anos e retornou ilegalmente no início da semana passada. De acordo com a KCNA, amostras de secreção das vias aéreas e exames de sangue indicam que o paciente “é suspeito de ter sido infectado” pelo coronavírus e foi colocado em quarentena.

Comentário

Decreto assinado pelo prefeito de Rio Brilhante, Donato Lopes da Silva (PSDB), que prevê o ressarcimento dos próprios salários, além do vice-prefeito e de ocupantes de cargos em comissão, reduzidos no período de abril a junho deste ano, por conta das políticas de contenção em razão da pandemia do coronavírus, e que deverá ser feito de uma única vez, na folha deste mês, está criando um desconforto para o mandatário da cidade vizinha.

A medida, publicada na edição de quinta-feira (23) passada do Diário Oficial do Município, e assinada pelo próprio Donato, determina que os descontos do seu próprio salário e também de secretários e assessores que seriam usados no combate à pandemia do coronavírus sejam devolvidos.

Na época, Donato reduziu em 50% os subsídios dos cargos de prefeito, vice-prefeito e 20% dos salários dos funcionários e servidores comissionados DAS-1, DAS-2, DAS-3, CAI-1 e CAS–1. Só foram poupados os que estavam lotados na área de Saúde. “Fica autorizado ao Recursos Humanos a devolução dos valores descontados nos meses de abril/2020. Maio/2020 e junho/2020 a serem devolvidos na competência de julho/2020”, diz trecho do Decreto 28.656 assinado pelo prefeito.

Para o ex-prefeito Sidney Foroni, “é muito cômico ver certas coisas… Primeiro o prefeito divulga aos quatro cantos da cidade dizendo que reduziu o salário dos servidores comissionados/cargos de confiança da Prefeitura e agora edita um decreto mandando devolver tudo o que foi descontado. Só em Rio Brilhante mesmo, se doou ou está doado, ou não?”, como postou na página do Facebook.

Comentário

Página 8 de 1707
  • Vitoria
  • pmd proteja

O Tempo Agora

  • mascaras
  • unigran novo

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014

WhatsApp 9 9913 8196

Telefones Úteis