Imprimir esta página
Sexta, 13 Dezembro 2019 09:42

Lar Ebenezer concentra atividades para atender meninas e meninos

Escrito por

Com 30 anos de existência, o Lar Ebenezer, que atendia apenas meninas, amplia atendimento para acolher meninos também. Enquanto o público feminino continuará na casa já existente na Chácara Trevo, os meninos serão abrigados na Sitióca Campina Verde.

Conforme informações do advogado Adalto Veronesi, presidente da entidade, no dia 15 de outubro o juiz da Vara da Infância e Adolescência homologou um acordo que prevê o reordenamento do Serviço de Acolhimento em Dourados.

Pelo acordo, desde o dia 15 de novembro o Lar Ebenezer passou a acolher as adolescentes do extinto Lar Renascer e a partir do começo deste mês também está recebendo os meninos que eram acolhidos pelo Iame, o Instituto Agrícola do Menor.

Veronesi afirmou que na casa da Chácara Trevo ficarão as crianças e adolescentes do sexo feminino com idade entre oito e 17 anos e 11 meses enquanto na casa localizada no bairro Campina Verde serão abrigados apenas os meninos desta mesma faixa etária.

O Lar Ebenezer é uma instituição filantrópica sem fins lucrativos que se dedica, desde 1988, a acolher e garantir proteção integral às crianças e adolescentes em situação de acolhimento institucional, ou seja, menores de 18 anos com os direitos violados ou ameaçados.

“Nosso compromisso e responsabilidade é de oferecer qualidade de vida, valorização individual nos aspectos éticos e sociais, auxiliar cada um na construção de seu projeto de vida, bem como viabilizar seu retorno ao grupo familiar ou a colocação em família substituta, quando esgotadas todas as possibilidades”, ressaltou o presidente.

Adalto Veronesi disse que a casa 1 feminina conta com equipe técnica formada pela psicóloga Camila Ferreira e a assistente social Kelly Moreno enquanto na casa 2 masculina trabalham as profissionais Michelle Paurosi que atua como psicóloga e a assistente social Viviane Lobo. Na coordenação geral das duas casas está a contabilista Giselle Ferreira da Silva Tosta, supervisionando a atuação das cuidadoras e auxiliares de cuidadoras que atuam 24 horas.

Redação Douranews

Mais recentes de Redação Douranews