Timber by EMSIEN-3 LTD
  • CORONA3
  • Dnews Whats
  • 10 anos
  • 10 anos1
Lucas

Lucas

O Ministério do Desenvolvimento Regional vai financiar com R$ 10,1 milhões o plano de trabalho do governo do Mato Grosso para combate aos incêndios que atingem a área de Pantanal ao sul do estado, até mesmo em unidades de conservação.

A liberação dos recursos foi assinada no início da tarde de hoje (16) em Cuiabá, em reunião entre o ministro Rogério Marinho e o governador do estado, Mauro Mendes.

Ação humana

Segundo perícia realizada pelo Centro Integrado Multiagências de Coordenação Operacional (Ciman-MT), ligado ao governo do estado, alguns incêndios foram provocados com o propósito de queimar a vegetação desmatada, inclusive “para criação de área de pasto para gado.” A seca agravou o alastramento dos focos de incêndio.

Alerta do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) inclui quase todo o território do estado em situação de "perigo" por causa da severidade da estiagem.

Emergência

O governo federal homologou o decreto de emergência no Mato Grosso, expedido na segunda-feira (14) por Mendes, em razão do aumento de áreas atingidas pelo incêndio. O reconhecimento da situação pela União e a liberação dos recursos viabiliza a compra de equipamentos e contratação de serviços para combate aos focos de queimada e devastação.

Mauro Mendes disse que vai usar os recursos para comprar retardantes de fogo biodegradáveis, compostos químicos misturados à água, e alocar mais aviões que fazem o combate direto ao incêndio.

“Há, nos parques, locais inacessíveis, que não têm estrada, não se consegue chegar onde está o fogo”, afirmou o governador ao defender o uso dos aviões que despejam os retardantes em áreas em combustão.

De acordo com vídeo publicado por Rogério Marinho, no Twitter, a liberação dos recursos se deu em tempo “recorde” e “a elaboração do plano de trabalho, em menos de 24 horas”.

Comentário

A prefeita Délia Razuk recepcionou na manhã desta quarta-feira (27) o secretário estadual de Saúde Geraldo Resende e assessores para o anúncio de repasse de R$ 6 milhões, dividido em seis parcelas de R$ 1 milhão, para o custeio da saúde em Dourados. A primeira parcela, de acordo com o secretário, já foi depositada na terça-feira (26) e as demais serão depositadas mensalmente.

“Trata-se de um reforço financeiro que o Estado está oferecendo para o custeio da saúde em Dourados, e que contempla toda a região sul do Estado”, disse o secretário, revelando a preocupação do governo com o crescimento exponencial de casos da Covid-19 em Dourados e municípios vizinhos.

A prefeita Délia Razuk voltou a destacar o apoio do governo do Estado e considerou que o reforço financeiro vai contribuir para o enfrentamento do coronavírus na cidade, fortalecendo as ações de saúde em Dourados, que acolhe municípios de todo o sul de Mato Grosso do Sul. O presidente da Câmara, vereador Alan Guedes (Progressistas) também participou do encontro.

Délia também reconheceu o esforço e dedicação da equipe técnica da saúde municipal e destacou a atuação do Comitê de Gerenciamento da Crise do Covid-19, formado por vários profissionais e que tem trabalhado diuturnamente, com ações e medidas para o enfrentamento da pandemia.

A secretária Berenice Machado também disse que o repasse é importante para fortalecer as ações e conclamou o esforço coletivo, a soma de objetivos em favor da saúde pública de Dourados e região. O médico Ricardo do Carmo falou em nome do Comitê e fez um balanço das atividades desenvolvidas, destacando a estrutura disponibilizada pela prefeita Délia Razuk, por meio da Atenção Básica, da Vigilância Epidemiológica, da UPA, PAM e demais equipamentos públicos, “o que tem sido fundamental no atendimento à população”.

O presidente da Câmara, Alan Guedes, também participou do ato, ocorrido na Sala de Reuniões anexa ao Gabinete da Prefeita, no Centro Administrativo Municipal.

Comentário

O secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, reuniu-se em Dourados na manhã desta quarta-feira (27) com a prefeita Délia Razuk e colegas dela de municípios da região, juntamente com representantes do frigorífico JBS/Seara, para decidir pela testagem de todos os 4.200 funcionários da indústria para novo coronavírus. O Município amanheceu com 197 casos confirmados da Covid-19.

Depois de espalhar o vírus por toda a região [números não oficiais dão conta de que há mais de 100 trabalhadores infectados, de várias cidades] a empresa vai assumir os custos dos exames. Para o Governo, a planta industrial do grupo JBS em Dourados tornou-se fonte de preocupação por causa da dinâmica de trabalho que facilita o contágio em massa pela doença em situação de pandemia.

Além do ambiente refrigerado, proximidade de trabalhadores nas estações e muito barulho - que faz com que o operário precise gritar e, assim, aumente a projeção das gotículas de saliva que transportam o vírus -, e os períodos para a troca de turno chegam a promover aglomeração de cerca de 1.500 pessoas pelos corredores e a portaria da empresa, tornam a Seara de Dourados o maior agente propagador da Covid-19.

Em nota distribuída no meio da tarde, nesta quarta-feira, a JBS esclarece que a saúde e segurança dos seus colaboradores é prioridade absoluta. "Desde o início da pandemia, a empresa tem adotado rigoroso protocolo de controle e prevenção à Covid-19 para garantir a máxima proteção de todos os seus colaboradores", diz, reafirmando que tem total confiança na eficácia das medidas implantadas nas suas unidades e ressalta que essas ações seguem as orientações dos órgãos de saúde, incluindo o Ministérios da Saúde e também os da Agricultura e Economia, além daquelas aplicadas nos âmbitos estaduais e municipais.

A JBS informou ainda que vem atuando em conjunto com a Vigilância Sanitária da Secretaria de Saúde de Dourados e do Estadol em ações de identificação e controle da Covid-19. "Desde o primeiro momento, a empresa tomou medidas efetivas para prevenção dos colaboradores, incluindo o monitoramento intensivo e afastamento de casos suspeitos ou de risco para avaliação médica e acompanhamento e tem contribuído com diversas medidas de apoio à prevenção e controle junto com os órgãos competentes", garante, em comunicado oficial.

Somados, os casos de Covid-19 nos 11 municípios da Grande Dourados chegam a 308 - quase um terço (28%) das 1.100 ocorrências em Mato Grosso do Sul, conforme o boletim epidemiológico de quarta-feira divulgado pela Secretaria estadual de Saúde. Desse total, há mais de 50 indígenas, a maioria trabalhadores na Seara, segundo boletim da Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indígena).

Comentário

O Governo do Estado iniciou nesta quarta-feira (27) a segunda etapa de entregas de cestas básicas para pessoas que vivem em situação de vulnerabilidade social durante a pandemia de coronavírus. 20 mil sacolões serão distribuídos para os 79 municípios de Mato Grosso do Sul nesta fase. Desta vez, instituições de longa permanência para idosos foram incluídas na ação social. A medida atende pedido da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa, da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul.

“Entendemos essa necessidade. Por isso, estamos entregando hoje um apoio importante de 805 cestas alimentares para essas casas que cuidam das pessoas idosas em 49 municípios de Mato Grosso do Sul”, destacou o governador Reinaldo Azambuja. Ao todo, 1.606 idosos serão atendidos. O Governo do Estado comprou 60 mil cestas básicas para distribuir entre os 79 municípios sul-mato-grossenses.

São mais de 960 toneladas de alimentos que serão entregues para famílias em extrema situação de vulnerabilidade social. A distribuição está dividida em três meses (abril, maio e junho), com 20 mil unidades para cada mês. “Estamos trabalhando para que essas cestas alimentares cheguem nas mesas das famílias que mais precisam. E vamos atender as instituições de longa permanência também em três etapas, o que sem dúvida será de grande apoio para todas elas”, afirmou a secretária de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho, Elisa Cleia Nobre.

Defesa de idosos

O Grupo de trabalho da Casa de Leis para propor, discutir e acompanhar a execução de políticas públicas e privadas relacionadas à promoção e defesa dos direitos da pessoa idosa, a Frente Parlamentar, é composto por nove deputados estaduais. Coordenado pelo deputado Renato Câmara (MDB), integram o grupo os parlamentares Barbosinha, Coronel David, Eduardo Rocha, Herculano Borges, Jamilson Name, Lidio Lopes, Marcio Fernandes e Professor Rinaldo.

Comentário

O Procon de Dourados, órgão de defesa do consumidor, vinculado à Procuradoria-Geral do Município, acompanhou juntamente com a Defensoria Pública, Ministério Público de MS e o Procon estadual, a celebração de Termo de Compromisso firmado por instituições de ensino da rede privada em relação a valores de mensalidades a serem cobrados durante a pandemia do novo coronavírus.

O Termo de Compromisso prevê que as escolas que prestam serviços educacionais não obrigatórios – creches ou entidades equivalentes para crianças com idade inferior a quatro anos – deverão conceder aos tomadores de serviço, desconto de 25% sobre o valor da parcela da anuidade fixada para o ano letivo de 2020, aplicando-se o desconto a partir de 1º de abril, até que seja retomada a aula presencial.

Prevê também desconto de 100% sobre o valor cobrado a título de atividades extracurriculares, especiais e facultativas, assim como em relação a valores vinculados à alimentação dos alunos, enquanto vigente o regime especial de aula não presencial.

Já as escolas que prestam serviços educacionais obrigatórios – idade igual ou superior a quatro anos – isentarão os tomadores do serviço, enquanto perdurar o sistema de atividade não presencial, do pagamento de todos os valores cobrados a título de atividades extracurriculares, especiais e facultativas, assim como em relação aos valores vinculados à alimentação dos alunos. Também deverão conceder desconto mínimo de 10% sobre o valor da parcela da anuidade fixada para o ano letivo de 2020 e que venceram a partir de 1º de abril, até que seja retomada a aula presencial.

O acordo envolve sete estabelecimentos de ensino da rede particular de Dourados e não abrange a Educação Profissional e Tecnológica, nas modalidades de curso de formação inicial e continuada ou qualificação profissional, Educação Profissional Técnica de nível médio, Educação Escolar Indígena, Educação Básica do Campo, Educação a Distância e Ensino Superior.

Comentário

O diretor-geral da OMS (Organização Mundial da Saúde), Tedros Adhanom, declarou nesta quarta-feira (11) que a organização elevou o estado da contaminação pelo novo coronavírus como pandemia. O anúncio surge quando há mais de 115 países com casos declarados de infeção, conforme repercute a Agência Brasil de notícias.

A mudança de classificação não se deve à gravidade da doença, e sim à disseminação geográfica rápida que o Covid-19 tem apresentado. "A OMS tem tratado da disseminação [do Covid-19] em uma escala de tempo muito curta, e estamos muito preocupados com os níveis alarmantes de contaminação e, também, de falta de ação [dos governos]", afirmou Adhanom no painel que trata das atualizações diárias sobre a doença. "Por essa razão, consideramos que o Covid-19 pode ser caracterizado como uma pandemia", explicou durante conferência de imprensa em Genebra.

Adhanom disse que mudança ocorre depois que, nas últimas duas semanas, o número de casos fora da China se multiplicou por 13. Para evitar criar o pânico, ele acrescentou que "não podemos dizer isto de forma mais clara ou contundente porque todos os países podem mudar o curso desta pandemia", ao recomendar calma no tratamento do assunto.

O diretor-geral para situações de emergência, Mike Ryan, sublinhou por sua vez que a utilização da palavra "pandemia" é meramente descritiva da situação e "não altera em nada aquilo que estamos fazendo".

Um dos casos mais preocupantes é o do Irã. A OMS considera que a situação no país é "muito grave" e apelou para maior vigilância e maiores cuidados dos doentes. A organização considera que os iranianos estão fazendo o que podem, mas enfrentam falta de material e de equipamentos médicos. A OMS enviou 40 mil testes nas últimas 24 horas, mas os suprimentos são "muito, muito escassos" e está difícil encontrar fornecedores.

No Brasil

Na Câmara dos Deputados, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse que a declaração de pandemia não muda as medidas no Brasil. O país continua com o monitoramento das áreas atingidas e com as iniciativas e protocolos já anunciados. Ele participou de comissão geral na casa, onde apresentou a deputados informações sobre as ações do governo acerca do problema.

O número de casos confirmados no Brasil chegou a 52. O novo número foi divulgado pelo Ministério da Saúde no fim da tarde desta quarta, na segunda atualização publicada no dia. O novo balanço marca um pulo de 15 casos em relação ao divulgado mais cedo, quando o sistema havia contabilizado 37 casos no país.

A maioria das novas pessoas infectadas veio de São Paulo, que saiu de 19 no balanço divulgado mais cedo para 30. O Rio de Janeiro foi de 10 para 13 casos confirmados. Brasília subiu de uma para duas pessoas nessa situação. Além desses estados, já tiveram casos identificados a Bahia e o Rio Grande do Sul (2), além de Alagoas, Minas Gerais e Espírito Santo (1). Entre as duas atualizações, os casos suspeitos saíram de 876 para 907. Já os casos descartados também aumentaram, de 880 para 935.

Comentário

A Comissão de Educação da Câmara, presidida pelo vereador Elias Ishy (PT), acompanha a situação da intervenção do Conselho Municipal de Acompanhamento e Controle Social do Fundeb (o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica) em Dourados. “Buscamos mediar o processo, no entendimento da legalidade e para que não tenhamos maiores prejuízos, como bloqueio de recursos do município”, afirma o parlamentar.

Os vereadores se reuniram na terça-feira (10) com a professora Elizangela Tiago da Maia, que foi destituída do cargo, juntamente com representantes do Simted (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação em Dourados) depois que ela ocupou a Tribuna Livre na segunda-feira (9) para falar sobre o assunto. Nesta quarta-feira (11), a Comissão esteve com o secretário de Educação, Upiran Gonçalves, declarado interventor, buscando informações sobre essa situação.

O decreto para intervenção foi publicado no Diário Oficial de Dourados do dia 4, com a finalidade de anular a Ata publicada em agosto do ano passado. A gestão municipal alegou que serão convocadas novas eleições para o Conselho. A administração afirma ainda que uma reunião com os pais está marcada para esta quinta-feira (12), às 8 horas, na Secretaria de Educação e o processo eleitoral para segunda-feira (16), às 8 horas, na Casa dos Conselhos.

O Fundeb é responsável por quase 50% da verba investida em educação no Brasil e tem como principal objetivo promover a redistribuição dos recursos vinculados à área. É uma política reconhecida internacionalmente que permitiu a redução de desigualdades na Educação Básica, além de contribuir para a cobertura da Educação Infantil. (da assessoria)

Comentário

Policiais do DOF (Departamento de Operações de Fronteira) descobriram neste domingo (9) um arsenal do crime organizado na fronteira com o Paraguai. Em uma chácara em Ponta Porã, foram encontrados fuzis, pistolas, escopetas, grande quantidade de munições, carregadores, granadas e explosivos. O arsenal estava enterrado na chácara, perto do perímetro urbano de Ponta Porã.

Três homens foram presos, um de 25 anos morador em Campo Grande, outro de 38 anos, proprietário do material apreendido e morador em Ponta Porã, e um de 29 anos, morador na cidade do Rio de Janeiro. Há suspeitas de que o grupo criminoso preparava investidas a bancos e propriedades da região de fronteira com esse arsenal acumulado na periferia da cidade.

No local também foi apreendida uma caminhoneta SUV Toyota blindada com placa do Paraguai. Os presos, o carro e o arsenal foram trazidos para a sede do DOF em Dourados. A principal suspeita é de que a carga seria de uma das facções que agem na Linha Internacional e estava sendo preparada para ser enviada em Rio de Janeiro.

Comentário

Se as eleições para a escolha dos novos dirigentes da Aced (Associação Comercial e Empresarial de Dourados) fossem realizadas hoje, não haveria candidatos habilitados a receber os votos dos quase mil associados que, segundo a atual diretoria, teriam direito de participação.

É que, agora, além do pedido de impugnação da candidatura do empresário José Roberto Pinto Junior, que encabeça a chapa 1 “Ação e Transparência”, um novo pedido de impugnação, protocolado às 16h20 desta sexta-feira (24), pede o indeferimento da chapa 2 “Associativismo com inovação”, encabeçada pelo empresário Romualdo Diniz Salgado Filho.

A chapa “Ação e Transparência” argumenta que o candidato Romualdo Diniz Salgado Filho não preenche os requisitos exigidos para concorrer às eleições, não podendo ser admitido o registro de candidatura da referida chapa, sob pena de irregularidade em nulidade do pleito, por conta de que a empresa que representa, Dr Home Planejados Ltda, ficou mais de um ano inadimplente com a tesouraria da Aced, afrontando o artigo 11 dos estatutos da entidade.

“Será que o candidato que ficou em débito com a tesouraria da entidade durante anos, sem justificativa, estaria neste momento saldando o débito, não fosse pelo único interesse na sua pretensão de concorrer ao pleito de presidente?”, questionam os signatários da petição, José Roberto Pinto Júnior, o ‘Beto da Pão & Cia’ e Amarildo Ricci, respectivamente, candidatos a presidente e vice na chapa oposicionista à atual diretoria.

O estatuto da Aced prevê, no artigo 54 que, para concorrer ao cargo de presidente, o candidato deverá ser associado à entidade no mínimo 36 meses anteriormente ao pleito ininterruptamente e ter exercido algum cargo no Conselho Diretor ou Conselho Fiscal. “Assim, não basta estar associado a entidade, mas, estar em condições de exercer a qualidade de associado, conforme norma contida no artigo 11, letra ‘a’, que estipula como punição a exclusão dos associados “sempre que houver justa causa ou graves motivos: a) Quando faltarem o pagamento das mensalidades durante 4 (quatro) meses’.

“Vale destacar que as mensalidades tem por objeto, em última análise, a sobrevivência da entidade, fato que nos últimos anos restou desconsiderado pelo pretenso candidato. Por isso, é importante salientar que a aceitação de candidatura a presidência da entidade nessas condições, constituiria um desestímulo para aqueles que, mês a mês, de forma ininterrupta, honraram suas obrigações financeiras com a entidade”, expõem os empresários Beto da Pão & Cia e Amarildo Ricci para pedir a nulidade do registro da chapa 2.

Comentário

A investigação policial em torno do atentado ocorrido nesta quarta-feira (13) em Dourados não descarta a possibilidade de que o empresário do setor turístico José Pereira Barreto tenha sido baleado durante a tentativa de assalto, no final da tarde. No interior do carro onde ele foi encontrado baleado havia pouco mais de R$ 63 mil em dinheiro.

'Zezinho da Eurotur', como era conhecido o empresártio do ramo de turismo radicado em Itaporã, conduzia uma caminhonete S10, de cor prata, quando foi atingido por disparos efetuados por uma dupla de moto no cruzamento das ruas Mato Grosso com Cuiabá, no Jardim Santo André.

Os suspeitos estariam em uma moto vermelha e ainda não foram localizados pela polícia. Após ser baleado o empresário perdeu o controle da direção e avançou sobre a calçada, colidiu em um poste e em seguida na fachada de uma empresa de ambientes planejados.

Ele foi encaminhado para o hospital com ferimentos na região do torax e no ombro do lado direito, de acordo com a perícia técnica da Polícia Civil. (Material atualizado para troca de informações)

Comentário

Página 1 de 11

ENTREVISTA

  • unigran 150
  • Editais

O Tempo Agora

  • unigran novo
  • live full house

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014

WhatsApp 9 9913 8196

Telefones Úteis