Timber by EMSIEN-3 LTD
Redação Douranews

Redação Douranews

Uma mulher de 33 anos morreu logo após dar à luz, por complicações que também teriam sido causadas pela Covid-19. O fato ocorreu na noite de quarta-feira (1), mas só veio à tona na tarde desta sexta (3), no Hospital Universitário de Dourados. Esta é a 32 ª morte por coronavírus em Dourados que conta com 2.869 casos positivos da doença.

De acordo com o repórter Sidnei Bronka, do site LigadonaNotícia, o bebê se encontra internado na unidade hospitalar. O resultado do teste que indicou positivo para coronavírus na mulher foi divulgado nesta sexta-feira pela Secretaria estadual de Saúde.

A mulher estava gestante de 31 semanas e deu entrada no Hospital Universitário no mesmo dia, às 18 horas, com quadro de dispneia e tosse, quando foi internada na maternidade com suspeita de Covid-19. Às 21 horas, segundo a publicação, ela foi avaliada pelo plantonista da UTI (Unidade de Terapia Intensiva) que indicou que fosse entubada, porém, mesmo assim, o profissional definiu que faria o parto, o que ocorreu às 22h10.

Logo após o bebê ser retirado por cesárea, a mulher apresentou parada cardiorrespiratória. A equipe médica ainda tentou reanimá-la, sem sucesso. Ainda de acordo com a Secretaria de Saúde do Estado, a vítima fatal da doença possuía hipertensão arterial, asma e obesidade grau III.

Comentário

Um sub oficial da Polícia Nacional do Paraguai executou a tiros seis membros da família e em seguida suicidou-se. A chacina ocorreu nas primeiras horas desta sexta-feira (3) em um sítio na cidade de Capiatá, na região metropolitana de Assunção. O policial matou os próprios filhos, os ex-sogros e uma cunhada. Ele transmitiu toda a tragédia através de teleconferência para a esposa dele, atualmente residindo na Espanha, conforme repercute o site Ponta Porã News.

A tragédia aconteceu casa dos ex-sogros do policial Isidro Casco Salinas, de 31 anos, que atuava na Direção Nacional de Trânsito da Polícia. Segundo o relatório preliminar sobre o caso, Isidro chegou na casa em uma motocicleta e abriu a porta a ponta pés. Ele foi recebido pelo sogro Alberto de la Cruz Riveros Benítez, de 51 anos, a que matou instantaneamente sem dizer uma única palavra.

Em seguida, ele matou a sogra, Amalia Portillo, de 50 anos, e na sequência os filhos, Amalia Casco Romero, de 2 e Amilcar Casco Romero, de apenas 1 ano e ainda a cunhada, Liliana Maribel Gómez, de 16 anos. Outras duas pessoas foram baleadas e levadas para o Hospital de Trauma, onde uma delas que ainda não teve o nome divulgado também morreu. Após o crime, o policial se matou.

Comentário

O MPF (Ministério Público Federal) ofereceu denúncia nesta sexta-feira (3) contra o senador José Serra (PSDB-SP) por lavagem de dinheiro à época que era governador de São Paulo. A filha do parlamentar, Verônica Allende Serra, também foi denunciada. Estão sendo cumpridos oito mandados de busca e apreensão para aprofundamento das investigações sobre o esquema em endereços em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Segundo a denúncia da força tarefa da Operação Lava Jato, em 2006 e 2007 Serra recebeu vários pagamentos da empreiteira Odebrecht em contas no exterior, em um total de R$ 4,5 milhões. O MPF disse que “supostamente” o dinheiro seria usado para pagamento de despesas das campanhas eleitorais do então governador.

Rodoanel

Em troca do dinheiro, Serra teria permitido que a Odebrecht, junto com outras empresas, operasse um cartel, combinando os preços das obras para a construção do trecho sul do Rodoanel, um anel rodoviário que circunda a região central da Grande São Paulo. “No caso da Odebrecht, essa atuação servia para se atingir a meta de lucro real estabelecida para sua participação nas obras do Rodoanel Sul, pelo superintendente Benedicto Júnior, de 12% sobre o valor do contrato, o qual só foi possível de atingir diante da inexistência de competição no certame licitatório, em razão da formação prévia de um cartel”, afirmam os procuradores na denúncia.

“Em outras palavras, o cartel, que veio a ser efetivamente estabelecido, prestou-se a maximizar os lucros desta empreiteira, do que defluiu não apenas um ganho econômico, como também maior disponibilidade de recursos ilícitos (decorrentes de contratação conquistada em ambiente de ausência de competitividade) para que ela, então, pudesse realizar pagamentos de propina que foram sendo ajustados com os agentes públicos no curso das obras”, enfatiza o texto ao explicitar o funcionamento do esquema.

Delação

A investigação mostra, a partir de documentos obtidos em cooperação com autoridades internacionais, que foram feitos diversos pagamentos usando uma rede de contas offshore (em locais com menor tributação). De acordo com os procuradores, eram feitas várias movimentações financeiras no exterior para dificultar o rastreio dos recursos.

Os contatos entre Serra e a Odebrecht eram, segundo o MPF, feitos por Pedro Augusto Ribeiro Novis, que foi vizinho do senador. O executivo assinou um acordo de colaboração com a Justiça. “Em razão dessa proximidade, cabia sempre a Pedro, em nome da Odebrecht, receber de José Serra, em encontros realizados tanto em sua residência quanto em seu escritório político, demandas de pagamentos, em troca de “auxílios” diversos à empreiteira, como os relativos a contratos de obras de infraestrutura e a concessões de transporte e saneamento de seu interesse”, denunciam os procuradores.

O MPF acusa ainda Verônica Serra de, seguindo as ordens do pai, ter ajudado a movimentar os recursos no exterior.

Bloqueio

Além dos mandados, o Ministério Público Federal informou que obteve autorização judicial para bloquear R$ 40 milhões em uma conta na Suíça. De acordo com a denúncia, Serra teria recebido da Odebrecht mais R$ 23,3 milhões em 2009 e 2010 para liberar R$ 191,6 milhões em pagamentos da estatal estadual Desenvolvimento Rodoviário S.A. (Dersa) à empreiteira.

Segundo a assessoria do senador, Serra só tomou conhecimento da denúncia nesta sexta-feira e ainda está analisando o processo antes de se pronunciar. Em nota, o senador José Serra afirma que os fatos que motivaram as ações de hoje são “antigos e prescritos”. Ele diz ainda que “causa estranheza” que os mandados sejam cumpridos em meio à pandemia de Covid-19. “Em movimento ilegal que busca constranger e expor um senador da República”, enfatiza.

No comunicado, Serra destaca ainda que não cometeu atos ilegais e que sempre teve “integridade” na sua vida pública. O senador diz que “mantém sua confiança na Justiça brasileira, esperando que os fatos sejam esclarecidos e as arbitrariedades cometidas devidamente apuradas”. (Agência Brasil)

Comentário

O Procon (Programa Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor) realizou pesquisa de preços dos produtos que compõem a cesta básica durante visitas feitas nesta quinta-feira (2) a 12 estabelecimentos da cidade e encontrou variação de até 31% entre estabelecimentos. Em relação aos valores levantados em junho pelo órgão, a cesta básica apresentou queda de 0,38% no valor global dos produtos.

Nesta pesquisa, coletados os preços de 29 itens, os fiscais do Procon encontraram produtos com variação significativa de preços de um estabelecimento para outro. O extrato de tomate na embalagem com 350ml, por exemplo, registrou diferença de 332,22% entre o menor e o maior preço.

CONFIRA OS PREÇOS DO MÊS

O quilo da batata foi encontrado com diferença de 145,73% entre o menor e o maior preço. A goiabada com 600gr teve diferença de 322,09% e o quilo de sal, de 151,90%. Já o quilo da carne bovina de segunda apresentou diferença de 85,97%. Foram encontrados 14 produtos com diferença superior a 100% entre os estabelecimentos com menor preço para o maior, como, por exemplo, sabão em pó, margarina, sabonete, erva mate de tereré e o papel higiênico.

De acordo com o Procon, continua valendo a recomendação para que o consumidor se mantenha atento às especificações contidas na embalagem dos produtos, como prazo de validade, composição e peso líquido e possa avaliar os preços entre estabelecimentos para conseguir economia. Os telefones do Procon para mais informações são: 3411-7754 ou 151.

Comentário

A secretária de Assistência Social Maria Fátima de Alencar promoveu reunião virtual com 93 servidores na manhã desta quinta-feira (2) quando apresentou o Plano de Contingência e Biossegurança que visa a segurança dos servidores e do público. O direcionamento da Prefeitura de Dourados é que os atendimentos da pasta contemplem a demanda ampliada diante do cenário de pandemia do coronavírus com a maior seguridade possível.

Ela cita que a pandemia ampliou as vulnerabilidades sociais e, consequentemente, a demanda no SUAS (Sistema Único da Assistência Social), o que reforça a necessidade de que os servidores estejam muito conscientes das medidas de precaução ao contágio.

Equipe de servidores, coordenadores e diretores estruturam o plano, com base em direcionamentos das autoridades de saúde. No documento encontram-se os cuidados individuais e coletivos que todos devem tomar, com esclarecimento de dúvidas sobre atendimentos aos usuários e ações necessárias para lidar com o aumento de demanda.

A secretária destaca que “a reunião seguiu as recomendações da OMS (Organização Mundial de Saúde) e de forma on-line foi possível agilizar processos de comunicação de ações, conectar as pessoas e mantê-las unidas como um grupo, além de ser oportuno para o aprendizado do uso de novas tecnologias, que tem a potencialidade de diminuir custos e continuarem sendo usadas à longo prazo”.

Na próxima semana, a Secretaria de Assistência Social terá um ciclo de capacitações com foco no enfrentamento ao coronavírus. O evento, nos dias 7 e 9 de julho, vai abordar temas de biossegurança no atendimento ao público, cuidados de biossegurança às equipes de limpeza e impactos da pandemia na saúde mental do trabalhador. As atividades acontecerão em parceria com a UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), disponibilizada pela Pró-reitoria de Desenvolvimento Humano e Social, Setor de Saúde e Qualidade de Vida.

Comentário

O vereador Idenor Machado (PSDB) apresentou requerimento ao Poder Executivo solicitando informações sobre o projeto de um Ecoponto de entrega voluntária de resíduos da construção civil. Segundo o parlamentar, o local de descarte facilitaria o dia a dia dos construtores de Dourados, sem causar prejuízos ao meio ambiente.

Idenor aponta que durante o planejamento de uma obra já deve ser previsto o que será feito com os resíduos que inevitavelmente são produzidos na execução. “Nós temos uma cidade em pleno desenvolvimento na área da construção civil. Vemos cada vez mais o aumento de projetos que acredito só valoriza mais e mais a cidade de Dourados. Ocorre que o problema do ‘entulho’ é preocupante, uma vez que vemos áreas proibidas sendo transformadas em locais de descarte fazendo que outros problemas surjam”, afirma o vereador.

As principais legislações a respeito do descarte de resíduos da construção civil na esfera federal são a resolução 307/2002 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) e a lei 12.305/2010, que instituem e dispõem sobre a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). Ambas estabelecem competências e responsabilidades, atribuídas e compartilhadas entre os geradores, transportadores e administradores municipais pelo gerenciamento dos resíduos da construção civil, sendo que na Resolução do Conama é esclarecida a classificação desses resíduos.

No requerimento, o vereador pede informações do andamento deste projeto, bem como local e se o mesmo possui referência para a reciclagem desses resíduos. “Temos que nos atentar que a poluição do meio ambiente é uma problemática que todas as áreas da sociedade devem encarar. Com a construção civil não poderia ser diferente, assim temos que pensar na reciclagem deste material fazendo com que o volume do descarte seja cada vez menor e com maior responsabilidade”, finaliza o vereador, ressaltando a preocupação de que esses resíduos não vem recebendo a destinação correta sendo deixados em terrenos baldios, nas ruas ou em áreas de preservação ambiental. (Da assessoria)

Comentário

Com o objetivo de auxiliar os contribuintes durante o período de isolamento social devido ao coronavírus, a Sefaz (Secretaria estadual de Fazenda) decidiu manter a prorrogação de prazos relativos ao lançamento tributário. O Governo informa ainda que as sessões do Tribunal Administrativo Tributário (o TAT) serão retomadas e realizadas por videoconferência. A informação está publicada no Diário Oficial desta sexta-feira (3), por meio do Decreto 15.468, de 2 de julho de 2020.

No início da pandemia, o Governo elaborou um conjunto de medidas para gerenciar o planejamento tributário, vislumbrando alternativas para reduzir o impacto gerado pela entrega dos documentos fiscais e a execução das atividades das empresas. Dentre as medidas adotadas, dos prazos administrativos no âmbito da Administração Pública Direta e Indireta do Poder Executivo Estadual, seguem suspensos até o dia 31 de julho o Auto de Cientificação e o Auto de Lançamento e de Imposição de Multa (ALIM). Ambos são instrumentos importantes para recuperação de créditos tributários e, neste momento, foram suspensos, proporcionando mais uma oportunidade aos contribuintes recolherem seus tributos espontaneamente, sem imposição de penalidades.

O secretário estadual de Fazenda, Felipe Mattos, destaca que as medidas de suporte são fundamentais para o setor produtivo em processo de retomada da economia, principalmente na manutenção de postos de trabalho. Contudo, reforça que a prorrogação de ACT e ALIM não se aplicam em caso de débito por decadência ou fraude.

TAT

Com apoio da tecnologia, o Tribunal Administrativo Tributário (TAT) volta a funcionar com sessões realizadas por meio de videoconferência. A retomada dos julgamentos está na publicação em Diário oficial do Decreto 15.468, desta quinta-feira (2). O órgão colegiado é a segunda instância administrativa, que dispõe sobre o Processo Administrativo Tributário para solução dos litígios entre os contribuintes e o Fisco Estadual e dá outras providências.

Conforme o governador Reinaldo Azambuja, as equipes de governo estão empenhadas no amparo aos setores produtivos da sociedade assim como na proteção da vida dos cidadãos sul-mato-grossenses. “Temos tomado medidas de combate ao vírus, sempre preocupados com a vida das pessoas. Com o setor produtivo não é diferente. A equipe econômica do Governo vem enfrentando os desafios impostos pela pandemia com muito profissionalismo e competência. Vamos continuar tomando medidas administrativas conforme a situação for evoluindo, monitorando e avaliando os cenários que se apresentam. Pedimos tanto a população quanto aos empresários que mantenha o que está previsto na legislação, para dar continuidade aos projetos desenvolvidos em nosso Estado”, finalizou.

Comentário

Com o registro de um caso inusitado, a Secretaria estadual de Saúde contabilizou novo recorde nesta quinta-feira (2), com mais 14 óbitos por coronavírus em Mato Grosso do Sul. Agora, conforme o levantamento, o Estado contabiliza 105 vítimas da doença.

Um homem de 77 anos, morador de Dourados, teve o diagnóstico por amostragem, a partir do critério de vinculo epidemiológico. Ele apresentou sintomas no dia 20 de junho, foi internado no Hospital da Vida em Dourados, onde faleceu no mesmo dia. Como a coleta de amostra teve vazamento durante o transporte e não foi possível realizar o diagnóstico laboratorial, o boletim informou que, em conjunto com a equipe de Dourados, optou-se por coletar amostras dos contatos dele na casa onde morava, para o fechamento do caso. Considerando dois resultados positivos por RT-PCR de contatos intradomiciliares do óbito, esse é o primeiro caso [o de número 101 no mapa estadual] de uma morte por Covid pelo critério de vinculo epidemiológico.

A 92ª vítima é uma mulher, de 55 anos, moradora de Corumbá, sem comorbidades prévias, que morreu nesta quarta (1) com o relato de diabetes. Ela estava internada na Santa Casa da cidade desde o dia 19 de junho e foi encaminhada para a UTI em 22 de junho.

Já a 93ª vítima é um homem de 78 anos, residente de Campo Grande. Ele sofria de doença cardiovascular e neurológica crônica. Iniciou os sintomas em 8 de junho. Estava internado desde o dia 12 passado na UTI no Hospital Regional de Mato Grosso do Sul e morreu também no dia 1.

A 94ª vítima era uma mulher de 66 anos, moradora de Campo Grande, e que sofria de diabetes. Apresentou início dos sintomas no dia 26, foi internada no dia 28 de junho em Hospital de Campo Grande e faleceu no mesmo dia. O diagnóstico positivo para Covid-19 saiu na quarta-feira.

E a 95ª vítima é um homem de 77 anos, morador de Três Lagoas, que sofria de hipertensão. O início dos sintomas foi em 4 de junho. Ele estava internado em UTI desde 7 de junho. O diagnóstico positivo para Covid-19 foi no dia 13 de junho e ele faleceu também na quarta, dia 1º de julho.

Uma mulher de 85 anos foi a 96ª vítima. Ela é residente de Nova Andradina e sofria de diabetes. O início dos sintomas foi em 18 de junho. Ela estava internada desde 22 de junho e o diagnóstico positivo para Covid-19 saiu em 26 de junho. Morreu nesta quinta-feira.

A 97ª vítima é um homem de 50 anos, residente de Douradina e sem comorbidades relatadas. O início dos sintomas foi em 31 de maio. Ele estava internado desde 9 de junho e transferido para a UTI em 18 de junho. O diagnóstico positivo de Covid-19 data de 8 de junho. Faleceu também nesta quinta-feira.

Um homem de 66 anos, residente de Dourados, foi a 98ª vítima. Sofria de doença cardiovascular crônica e diabetes. Teve início dos sintomas em 27 de junho e foi internado no mesmo dia, transferido para a UTI em 28 de junho. O diagnóstico para a Covid-19 se deu por teste rápido e ele morreu neste 2 de julho.

A 99ª vítima é uma mulher de 79 anos, residente de Batayporã. Sofria de diabetes e hipertensão. Início dos sintomas em 22 de junho. Internada na UTI desde 26 de junho. Faleceu em 1º de julho. Diagnóstico positivo para Covid-19 neste dia 2.

A 100ª vítima é uma mulher, de 75 anos, residente de Sonora, sem comorbidades relatadas. O início dos sintomas foi no dia 27 de junho e ela estava internada desde o dia 29 de junho, até o falecimento, ocorrido na quarta (1), mas o diagnóstico positivo para Covid-19 saiu nesta quinta, dia 2.

A 102ª vítima era uma mulher, de 84 anos, moradora de Cassilândia e sofria de diabetes. Ela teve os primeiros sintomas no dia 19 de junho. E estava internada desde o dia 26. Com o diagnóstico positivo para Covid-19 desta quinta, a mulher morreu no mesmo dia.

Uma mulher de 75 anos, moradora de Campo Grande, foi a 103ª vítima. Ela sofria de doença cardiovascular crônica e obesidade. O início dos sintomas foi no dia 25 de junho. Ela estava internada em UTI desde 28 de junho. O diagnóstico positivo para Covid-19 foi nesta quinta-feira, 2 de julho, data em que faleceu.

A 104ª vítima era de um homem de 67 anos, morador de Coxim. Sofria de doença cardiovascular crônica e diabetes. O início dos sintomas foi no dia 14 de junho e ele estava internado desde o dia 29. Morreu nesta quinta após o diagnóstico positivo para Covid-19, por teste rápido.

A 105ª vítima era uma mulher de 50 anos, moradora de Campo Grande. Ela sofria de doença cardiovascular crônica, diabetes e asma. Apresentou os primeiros sintomas no dia 24 de junho. Estava internada em UTI desde o dia 26 e morreu no dia 28 de junho. O diagnóstico positivo para Covid-19 saiu nesta quinta, dia 2.

Mapa dos óbitos

Das 105 mortes em Mato Grosso do Sul, Dourados responde por 28 casos, incluindo o do motorista que contraiu a doença no município, mas morreu durante viagem ao interior de Tocantins. Campo Grande já registra 17 óbitos e Corumbá, 11. Há, ainda, 6 casos em Três Lagoas, 3 em Batayporã, 2 em Paranaíba, 2 em Vicentina, sendo que um faleceu em São Paulo, 2 óbitos de Brasilândia, 4 em Itaporã, 1 em Iguatemi, 2 em Rio Brilhante, 1 em Sidrolândia, 4 em Ponta Porã, 2 em Douradina, 1 em Deodápolis, 1 em Anastácio, 3 em Itaquiraí, 3 em Guia Lopes da Laguna, 1 em Glória de Dourados, 1 em Naviraí , 3 em Fátima do Sul, 2 em Amambai, 2 em Nova Andradina e também, com um óbito cada, Cassilândia, Coxim e Sonora.

Comentário

A unidade de Dourados da BRF instalou, na entrada da planta industrial de Dourados, câmeras que medem a temperatura corporal e, caso indiquem acima de 37,8°, acionam um alarme sonoro, que barra o ingresso da pessoa febril e mobiliza a equipe de saúde para o atendimento adequado. De acordo com a assessoria do grupo, o uso da tecnologia tem feito a diferença para identificar com rapidez casos de colaboradores com sintomas relacionados ao novo Coronavírus.

A câmera de temperatura logo se incorporou à rotina da planta e é mais uma barreira de identificação e de contenção de casos chamados sintomáticos, já que esta aferição também ocorre por termômetros digitais no transporte coletivo dos trabalhadores até a fábrica. Como a febre é um dos indicadores de possibilidade de Covid-19, ao ser detectada antes mesmo do teste, mais rapidamente se inicia a contenção.

No combate à pandemia, a agilidade é essencial para proteger cada indivíduo e ainda evitar aglomerações, reduzindo assim o risco de contágio. Outro ponto importante é que a câmera de temperatura é tão precisa e confiável quanto os termômetros utilizados em hospitais. Esta é uma das ações que fazem parte de uma série de medidas protetivas que a BRF implementou desde o início da pandemia em suas unidades, seguindo recomendações de um Comitê Permanente de Acompanhamento Multidisciplinar, composto por executivos e especialistas, como o infectologista Esper Kallas, além da consultoria do Hospital Israelita Albert Einstein.

Comentário

O Diário Oficial do Município traz na edição desta quinta-feira (2) a publicação do Decreto 2.707, assinado pela prefeita Délia Razuk e o Procurador Geral Sérgio Henrique Pereira Martins de Araújo, que prorroga por mais dez dias o regime de expediente no comércio, incluindo as lojas do shopping, bares e restaurantes da cidade e mantém suspensos o funcionamento das igrejas, templos religiosos ou espaços destinados à celebração de cultos religiosos em Dourados.

O novo decreto ajusta as medidas adotadas nas publicações anteriores. No caso da legislação que determinou a suspensão de atividades religiosas, o Decreto 2.664, de 15 de junho, estipulava também que as academias deveriam ter funcionamento limitado à lotação de 30% da capacidade do recinto e os hotéis com até 50% da capacidade.

Segundo a justificativa para a prorrogação do horário diferenciado de expediente no comércio, esse novo prazo é o “período necessário para que a Nota Técnica formulada em reunião ocorrida na data do dia 1º de julho de 2020 seja submetida ao Comitê de Gerenciamento de Crise do Coronavirus – COVID 19, para posterior deliberação pelo Executivo”. Ou seja, a administração avalia os impactos da medida adotada na semana passada e que deveria expirar nesta quinta-feira, dia em que o boletim epidemiológico registrou novo recorde para as últimas 24 horas: 141 casos de infecções.

Assim, o comércio em geral vai permanecer funcionando, de segunda a sexta-feira das 12 às 18h15 e aos sábados das 9 às 15h15 pelos próximos dez dias. A medida atinge as lojas do shopping center que continuam funcionando, de segunda a sábado, das 11 às 19 horas e a praça de alimentação das 11 às 20 horas, vedada abertura aos domingos. Os mercados e atacados mantém o horário de segunda a sábado das 7h30 às 20 horas e aos domingos das 8 ao meio-dia.

Bares e restaurantes podem continuar com estabelecimentos abertos de segunda a domingo das 11 às 20 horas, mantida a obrigatoriedade de implementação das medidas de proteção anteriormente estabelecidas (distanciamento, fornecimento de álcool em gel e o uso de luvas e máscaras, entre outras providências) e, após esse horário, atendimento pelo sistema de delivery. Fica mantida a aplicação das penalidades anteriormente previstas, em caso de desatendimento das regras para funcionamento.

Permanece sendo obrigatório o uso de máscaras nos passeios e espaços públicos e em todos os estabelecimentos comerciais, sob pena de infração ao artigo 268 do Código Penal e vedada aglomeração de pessoas em qualquer recinto, inclusive em residências particulares. A Guarda Municipal está autorizada a intervir para conter aglomeração, inclusive, quando houver reunião com número maior de pessoas do que os residentes no local e a fechar estabelecimentos que desobedecerem aos decretos, com auto de infração para a Secretaria de Planejamento promover a suspensão dos alvarás. O toque de recolher continua valendo das 20 horas até 5 da manhã do dia seguinte.

Comentário

Página 1 de 1682

Brasileirão - Rodada

Classificação

  • coronagov
  • disk corona
  • unigran 150
  • Editais

O Tempo Agora

  • mascaras
  • unigran novo

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014

WhatsApp 9 9913 8196

Telefones Úteis