Timber by EMSIEN-3 LTD
  • CORONA3
  • Dnews Whats
  • 10 anos
  • 10 anos1
Redação Douranews

Redação Douranews

O TJMS (Tribunal Justiça de Mato Grosso do Sul) julga no próximo dia 22 ação ingressada pelo aposentado Enio Benedito Ferreira Barbosa para que o Município, além do prefeito de Alcides Bernal (PP) e o secretário de Saúde Ivandro Corrêa pague indenização de R$ 9,7 milhões devido a exoneração de 45 servidores do IMTI (Instituto Municipal de Tecnologia da Informação) e a paralisação do Gisa (Gerenciamento de Informações em Saúde).

O juiz de primeiro grau David de Oliveira Gomes Filho já rejeitou a ação, mas o autor recorreu à 2ª instância. Implantando na gestão de Nelsinho Trad (PTB), o sistema ficou famoso por nunca ter funcionado e ser alvo de investigações. O sistema que deveria modernizar e integrar a rede pública de saúde do município, recebeu investimentos de mais de R$ 9 milhões do Mistério da Saúde.

Por causa das exonerações e em ‘solidariedade’ à empresa Telemídia (prestadora do serviço), Enio pediu indenização de R$ 9,7 milhões. O argumento é de que técnicos do Ministério da Saúde teriam constatado que o sistema funcionava. “Esta auditoria realizou uma visita à Unidade Básica de Saúde – Dr. Fernando de Arruda Torres, ocasião em que se comprovou a corporificação do projeto, eis que as consultas médico-odontológicas já poderiam ser feitas pelo portal de voz 0800-707442 ou na própria UBS”, consta na ação.

MPE arquivou o caso

O Conselho Superior do MPE decidiu pela homologação de arquivamento o procedimento preparatório que apurava eventual irregularidade na implantação do Gisa em dezembro do ano passado. O procedimento avaliava possível prejuízo ao erário municipal pela implantação do sistema pela empresa Telemídia, especialmente diante de possível emprego de recursos originalmente destinados a obras de infraestrutura.

De acordo com publicação no Diário Oficial do MPE, o caso é conduzido simultaneamente em outras esferas, que são igualmente competentes para julgá-lo. Por exemplo, o sistema que nunca funcionou foi alvo de ação da CGU (Controladoria-Geral da União), que apontou improbidade administrativa e tráfico de influência do deputado federal Luiz Henrique Mandetta (DEM), secretário de Saúde na gestão de Nelsinho.

Segundo relatório, o parlamentar recebeu passagens para o exterior pagas por empresas ligadas ao escândalo do Gisa. Além disso, as viagens revelariam ligações suspeitas entre o ex-secretário de Saúde e uma empresa que foi subcontratada pela vencedora da licitação meses depois das viagens internacionais.

Diante das irregularidades, o Ministério da Saúde decidiu rescindir o contrato entre as partes e pediu a devolução do dinheiro. Foram investidos recursos na casa dos R$ 10 milhões, repassados pelo Ministério da Saúde, mas o sistema, que deveria permitir agendamento de consultas nas unidades de saúde da Capital pelo telefone, nunca funcionou.

Depois que o Ministério da Saúde cancelou o convênio com a Prefeitura e cobrou a devolução do dinheiro investido, o MPF decidiu apresentar denúncias contra os responsáveis pela elaboração do contrato com a empresa contratada para desenvolver o software.

Comentário

A Petrobras informou nesta terça-feira (1º) que alterou os contratos de fornecimento de GLP (Gás Liquefeito de Petróleo), conhecido como gás de cozinha. Segundo a estatal, alguns subsídios dados às distribuidoras foram reduzidos, o que poderá elevar o preço do botijão. Hoje, os preços são livres.

Caberá às distribuidoras e revendedoras decidir se absorverão o possível aumento causado pelo fim dos incentivos ou se repassarão o custo aos consumidores, de acordo com a petroleira.

O Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás) informou por meio de nota que desconhece eventuais impactos nos custos das suas associadas ou mesmo em suas políticas de preços. Por isso, considera cedo e irresponsável falar em impacto no varejo, já que o preço do GLP é livre, não sujeito a tabelamentos, cabendo ao consumidor final pesquisar o melhor serviço e preço (veja a nota na íntegra ao final da reportagem).

Questionada sobre a medida se traduzir em um corte de despesas, a Petrobras disse que alterou os contratos de fornecimento para "melhor refletir custos de logística que tipicamente deveriam por elas ser cobertos, mas que eram suportados pela companhia".

Apesar de reiterar que não fez qualquer mudança na tabela de preços do botijão, a Petrobras estimou que o impacto sobre os preços do botijão de 13 kg - referência para uso residencial - é de R$ 0,20 por unidade, na média do país.

"Isso representa 0,36% no preço de um botijão que custe R$ 55, por exemplo. De acordo com cálculos internos, o impacto máximo, desconsiderando a média nacional, não ultrapassará R$ 0,70 por botijão em nenhum ponto do país."

Veja a nota do Sindigás:

"É fato que a Petrobras notificou as empresas distribuidoras de Gás LP, por meio do seu canal cliente, sobre novos preços que deverão ser praticados já no dia 1º de novembro de 2016. Assim, concebemos que a causa do possível aumento deve ter relação com os novos contratos da Petrobras.

Destacamos que o Sindigás desconhece os eventuais impactos desses novos contratos nos custos das suas associadas, ou mesmo em suas políticas de preços. Por essa razão, entendemos que é cedo e irresponsável afirmar que haja real impacto no varejo, lembrando que o preço do GLP é livre, não sujeito a tabelamentos, cabendo ao consumidor final pesquisar o melhor serviço, não necessariamente, somente, o melhor preço".

Comentário

Começa nesta terça-feira (1) a segunda etapa da campanha contra a febre aftosa em Mato Grosso do Sul. A abertura oficial ocorreu às 8h30 na Embrapa Gado de Corte, em Campo Grande, em uma solenidade que reuniu lideranças do setor produtivo e autoridades do governo do estado.

Segundo a Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal), a vacinação vai até o dia 30 deste mês nas regiões do Planalto e Fronteira e até o dia 15 de dezembro no Pantanal. Os criadores do Planalto e Fronteira têm que vacinar todos os animais com até 24 meses, enquanto que os do Pantanal o rebanho inteiro.

Da mesma forma que a rodada anterior, o período para que a agência seja comunicada da imunização do rebanho pelos produtores vai até 15 dias após encerrada a etapa.

Há oito anos com o status de zona livre de febre aftosa com vacinação, sem nenhum incidente registrado, desde então, Mato Grosso do Sul tem se mantido entre os três estados com melhor percentual de cobertura vacinal do país, conforme a Sepaf (Secretaria estadual de Produção e Agricultura Familiar).

De acordo com a Secretaria, desde a incidência da doença há 10 anos no estado, os bons resultados obtidos nas campanhas contra a febre aftosa vem se repetindo. Aliada ao cumprimento de compromissos como a identificação individual de todo rebanho da fronteira e ações permanentes de vigilância, a excelência vacinal contribuiu significativamente para a liberação das exportações de carne bovina in natura da região de fronteira, para a União Europeia e adesão do Estado ao Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Sisbi-Poa), medidas que vão ampliar a competitividade da carne produzida em Mato Grosso do Sul.

Conforme a Sepaf, Mato Grosso do Sul conta hoje com fiscalização móvel, postos fixos, ações de vigilância nas propriedades, cadastro georreferenciado de todas as propriedades de fronteira e a Agência ainda realiza intensa fiscalização durante o período de aplicação da vacina, visando garantir a eficiência dos trabalhos.

Comentário

A partir de hoje (1º), a campanha Novembro Azul passa a ser um movimento permanente e que contempla a saúde integral do homem. A proposta do Instituto Lado a Lado pela Vida, que coordena a ação, é mobilizar a população masculina e seus responsáveis diretos, no caso de crianças e adolescentes, para conhecerem mais sobre sua saúde, em diferentes fases da vida.

Na página da campanha, o instituto disponibilizou uma lista das doenças que mais afetam a saúde masculina, seja na infância, na adolescência, na fase adulta e na terceira idade. Ao clicar em cada uma delas, é possível encontrar informações sobre diagnóstico, fatores de risco, prevenção, sintomas e tratamento. 

Na infância, as doenças citadas incluem fimose, infecção urinária e prostatite (inflamação da próstata). Já entre adolescentes, a lista destaca arritmia cardíaca, doenças sexualmente transmissíveis e ejaculação precoce. Na fase adulta, aparecem doenças como cálculo urinário e diversos tipos de câncer. Por fim, na terceira idade, integram a lista diabetes, disfunção erétil e hipertensão arterial.

“Por meio da informação, junte-se a nós na conscientização dos cuidados com a saúde e mudança de hábitos, da importância do diagnóstico precoce e adesão ao tratamento”, propõe o Instituto Lado a Lado pela Vida.

Sobre o Novembro Azul

Criada em 2011, a campanha, originalmente, visa orientar a população masculina sobre o câncer de próstata. A doença figura como o segundo tipo de câncer mais comum entre homens, com mais de 13 mil mortes anuais – uma a cada 40 minutos. Mais de 61 mil novos casos devem ser registrados no país em 2016, segundo o Instituto Nacional do Câncer.

Durante todo o mês de novembro, serão realizadas atividades de orientação sobre o câncer de próstata e a saúde do homem e ações para estimular a atividade física. Haverá distribuição de material informativo e prédios serão iluminados na cor azul – entre eles, o Viaduto do Chá, em São Paulo, e o Congresso Nacional, em Brasília.

Um dos destaques da programação é o II Fórum Ser Homem no Brasil, marcado para a próxima segunda-feira (7). Com apoio do Senado Federal, o evento vai reunir profissionais de saúde, parlamentares, governantes, representantes do Ministério da Saúde e população em geral para debater a prevenção e o combate ao câncer de próstata e outros tipos de câncer, como de pênis e testículo.

Nas redes sociais, a campanha vai tratar da saúde integral do homem e usará as hashtags #novembroazul , #denovembroanovembroazul , #menospreconceito e #maisvida. A programação completa do Novembro Azul pode ser conferida no site do instituto.

Comentário

O presidente Michel Temer aproveitou rápido discurso desta terça-feira (1º) para promover a PEC que estabelece um teto para os gastos públicos, prioridade de seu governo, mas que ainda precisa ser aprovada pelo Senado. Segundo o presidente, o ajuste fiscal do Brasil deve "servir de exemplo" para os demais países de língua portuguesa.

Temer falou por menos de três minutos após o encerramento da XI Conferência da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa) e afirmou que "cada país deve dimensionar suas despesas de acordo com a sua receita".

"Cada país deve, no âmbito de suas atividades, dimensionar suas despesas de acordo com sua receita, como fazemos aqui. E, para países que passam também por situações de gasto acima daquilo que se arrecada, o exemplo brasileiro, de alguma maneira, poderá servir para as comunidades de países de língua portuguesa", disse.

Entre as nações que participaram da cúpula entre segunda (31) e esta terça, em Brasília, estão algumas com o PIB (Produto Interno Bruto) bem menor que o brasileiro e problemas econômicos e sociais bastante sérios, como Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste, além de Moçambique, Angola e Portugal.

A frase de Temer foi dita quando o presidente relatava alguns dos 16 pretensiosos objetivos da cúpula. O ajuste fiscal, porém, não consta entre eles.

As nações se comprometeram, entre outras medidas, a acabar com a pobreza "em todas as suas formas, em todos os lugares", acabar com a fome, assegurar educação inclusiva e qualitativa de qualidade, alcançar a igualdade de gênero, promover a economia sustentável e reduzir a desigualdade dentro dos países e entre eles.

A PEC do teto de gastos já foi aprovada pela Câmara dos Deputados e, agora, segue para o Senado para votação em dois turnos. O governo espera aprovar a medida ainda neste ano.

Temer, que foi nomeado presidente da CPLP pelos próximos dois anos, ressaltou que a cúpula não vai "ficar apenas nas palavras mas vamos para a execução". O próximo encontro está marcado para 2018, em Cabo Verde.

Comentário

Quatro academias esportivas foram fechadas em Campo Grande nesta semana por falta de autorização para funcionar. As interdições ocorreram ontem e hoje em ação conjunta do Conselho Regional de Educação Física da 11ª Região de Mato Grosso do Sul, Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Contra as Relações de Consumo (Decon) e Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor (Procon).

Nomes e endereços das academias não foram divulgados, porém reportagem do Portal Correio do Estado apurou que uma delas fica na Rua Arthur Jorge, Bairro Monte Castelo, enquanto as demais estão no Jardim Aeroporto, Bairro Santa Fé e Jardim Presidente.

Durante fiscalização do Conselho Regional de Educação Física, foi constatado que quatro academias em Campo Grande estavam sem registro necessário para funcionamento. Donos dos estabelecimentos foram notificados a regularizar a situação.

Diante da não regularização, proprietários foram intimados para, no prazo de 48 horas, providenciar o registro. Diante do vencimento do prazo, casos foram denunciados ao Procon que, junto com a polícia, interditou as academias e aplicou multas.

Presidente do Conselho alerta para que as pessoas fiquem atentas com relação as irregularidades das academias. “A prática de exercícios físicos é recomendada para todas as pessoas que desejam manter uma vida saudável. Entretanto, caso não seja praticada da maneira correta e orientada, a atividade física pode se tornar prejudicial à saúde. Por isso, o acompanhamento de profissional habilitado, em local com certificado de credenciamento, alvará de funcionamento e licença sanitária é indispensável”, ressaltou.

Denúncias de irregularidades podem ser feitas na sede do Conselho, na Rua Joaquim Murtinho, 158, Centro, pelo site www.cref11.org.br, ou por e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Comentário

Elaine Musculini, presidente em exercício da Assufgd (a Associação dos Servidores da Universidade Federal da Grande Dourados), apresenta "quadro de morte cerebral, e irreversível", como confirmou na noite desta terça-feira (1) a direção da FCH (Faculdade de Ciências Humanas), onde era lotada como servidora.

No final da manhã, o Douranews noticiou o falecimento da dirigente da Associação depois de confirmada a internação de Elaine na noite de domingo (30) com suspeitas de AVC (Acidente Vascular Cerebral) no Hospital do Coração.

Elaine tem 39 anos, é formada em Geografia pela própria UFGD, onde iniciou no trabalho em 2008. Ela assumiu o comando da Associação dos Servidores por conta do afastamento do presidente eleito Franz Mendes, cujo mandato venceria neste mês de novembro, mas ele pediu afastamento antes para disputar eleições de vereador no pleito realizado no dia 2 do mês passado.

No perfil da dirigente da entidade, Elaine deixou inscrita a frase ‘Fé em Deus e pé na tábua’. Ela foi vista pela última vez em público durante a festa de confraternização pelo Dia do Servidor Público que a Assufgd realizou quinta-feira (27) passada no Cerrado Brasil. 

Comentário

Com o objetivo de incentivar a construção civil, o presidente Michel Temer anunciou nesta segunda-feira (31) o lançamento de uma linha de crédito que concederá financiamento de até R$ 5 mil para a reforma de casas. O “cartão reforma”, apresentado em entrevista ao programa A Voz do Brasil, faz parte de uma iniciativa que visa, segundo Temer, regularizar qualquer propriedade do País e dar recursos para quem quiser ampliar ou reformar residências. Ainda não foi detalhado, no entanto, de onde sairá o financiamento e quais serão as condições, como juros e prazos, do financiamento.

Na mesma entrevista, Temer voltou a defender a importância da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que estabelece um limite para o crescimento dos gastos públicos, a PEC 241, e disse ter certeza de que o governo conseguirá no Senado “ampla maioria” para essa aprovação. O presidente citou a PEC do Teto como uma das reformas que estão sendo realizadas no País. “Nosso lema é reformar para crescer”, afirmou Temer, que destacou também o “diálogo produtivo” com o Congresso e a sociedade civil em busca de saídas para que o Brasil volte a criar emprego.

Comentário

Período de Piracema – quando a pesca é fechada para reprodução de peixes, começa hoje em rios do Mato Grosso do Sul.

Segundo a Polícia Militar Ambiental (PMA), no leito rio Paraná e em outros dois rios da União, o Paranaíba e o Aporé, o fechamento ocorre hoje, enquanto que nos demais rios do Estado, tanto da bacia do rio Paraná como do rio Paraguai, inclusive, nos rios da União desta bacia, o fechamento ocorre no dia 5 de novembro.

Operação pré-piracema foi desencadeada desde o dia 1º de outubro, no intuito de evitar que pessoas prolonguem a pesca em período já fechado para a reprodução de peixes.

TIPO DE PESCA PERMITIDA DURANTE PIRACEMA

Nos lagos das Usinas do rio Paraná fica permitido ao pescador amador a pesca de 10 kg de pescado mais um exemplar, de peixes não nativos e exóticos como: Tucunaré, Curvina, Porquinho, Tilápia, bagre africano, etc., somente nos lagos das Usinas do Rio Paraná (não para outros rios da bacia).

O pescador deve respeitar 1.500 metros de distância das barragens das usinas. Ao pescador profissional, permite-se a pesca para as mesmas espécies de peixes, não existe limite de cota, porém, só podem utilizar molinetes e linhadas de mão. A pesca de subsistência também é permitida.

Na Bacia do Paraguai será permitida somente a pesca de subsistência para o morador ribeirinho. Ressaltando, que pessoas que moram nas cidades ribeirinhas não podem pescar. A pesca de subsistência é para manutenção da vida, ou seja, para pessoas que dependem daquela proteína para sobreviver. Podem capturar 3 kg, ou um exemplar, não podendo comercializar de forma alguma.

A partir do dia 1º de fevereiro de 2017 abre-se a pesca na modalidade pesque-solte no leito (Calha) do rio Paraguai, estendendo-se até o dia 28 de fevereiro, quando a partir da meia-noite , do dia 1º de março a pesca estará aberta novamente.

Comentário

Dois traficantes foram presos em flagrante por volta das 23h de ontem, em motel localizado à margem do quilômetro 3 da MS-156, em Amambai. Lucas Daniel Rodrigues da Silva, 19 anos, e Áquila dos Santos, 20, estavam com 535 quilos de maconha em Celta, cuja encomenda havia partido de dentro de presídio.

De acordo com informações do Boletim de Ocorrência, policiais do Departamento de Operações de Fronteira (DOF) foram avisados sobre carro com insulfilm que transitava pela cidade em atitude suspeita e teria entrado em motel.

Diante da denúncia, policiais foram ao endereço e tiveram a entrada permitida por funcionários. Na frente de um dos quartos, estava o referido automóvel do modelo Celta e dentro dele havia dezenas de tabletes de maconha, que totalizaram 535 quilos.

Os traficantes foram orientados a abrir o quarto e, interrogados, alegaram que levariam o carregamento para a cidade de Cuiabá, no Mato Grosso. Disseram, ainda, que a encomenda havia sido feita, por telefone, por preso da capital mato-grossense. Pelo transporte, a dupla receberia R$ 15 mil para dividir entre eles.

Comentário

Página 1478 de 1745

Brasileirão - Rodada

Classificação

ENTREVISTA

  • unigran 150
  • Editais

O Tempo Agora

  • unigran novo

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014

WhatsApp 9 9913 8196

Telefones Úteis