Timber by EMSIEN-3 LTD
  • CORONA3
  • Dnews Whats
  • 10 anos
  • 10 anos1
Redação Douranews

Redação Douranews

O Ministério Público Militar (MPM) denunciou por crime de peculato sete militares - e pediu a prisão de seis - envolvidos, direta ou indiretamente, no uso de um caminhão do Exército para o transporte de três toneladas de maconha. O carregamento de droga foi apreendido em agosto último, em Campinas (SP), com a prisão em flagrante de três cabos, lotados no 20º Regimento de Cavalaria Blindado (RCB), de Campo Grande.

O Inquérito Policial Militar (IPM), conduzido por oficiais do RCB, havia indiciado, além dos três graduados, outros dois cabos e um sargento. Mas, o promotor encarregado do caso, Nelson Lacava Filho, acabou denunciando um outro sargento, ainda que por participação culposa (não-intencional) no crime. Os autos já foram encaminhados à Auditoria da 9ª Circunscrição Judiciária Militar para recebimento ou não da denúncia.

Segundo as informações, os envolvidos foram denunciados por crime de peculato, previsto no artigo 303 do Código Penal Militar (CPM), que se caracteriza pela "apropriação de dinheiro, valor ou qualquer outro bem móvel, público ou particular, de que tem a posse ou detenção, em razão do cargo, ou desviá-lo em proveito próprio ou alheio". O promotor militar, que pertence à Procuradoria da Justiça Militar em Campo Grande, tomou a decisão a partir do IPM instaurado pelo 20º RCB.

Comentário

Dois traficantes foram presos em flagrante ontem depois de tentarem se passar por pescadores. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a dupla estava com 95,5 quilos de maconha em barco de pesca. Fato aconteceu durante fiscalização no km 470 da BR-267, em Guia Lopes da Laguna.

Agentes da PRF abordaram condutor de veículo Nissan March, tracionando carreta com barco de pesca. Durante vistoria, policiais sentiram cheiro de peixe em decomposição e então resolveram fazer busca detalhada, ocasião em que encontraram compartimento oculto onde estavam escondidos vários tabletes de maconha.

Diante do flagrante, condutor confessou que levaria os 95,5 quilos de droga de Bela Vista para Campo Grande e, em troca, receberia R$ 5 mil. Já o passageiro optou em manter silêncio sobre o assunto.

Comentário

Quatro presos que seriam integrantes da facção Primeiro Comando da Capital (PCC) fugiram ontem da penitenciária Padre Juan Antonio de la Vega, no Paraguai. Os fugitivos de nacionalidade brasileira foram identificados como Jonathan Rodriguez Lima, 23 anos, Alan Cristian de Lucena, 25, Mario Monteiro, 29, e Valdecir Gonçalves, 37 anos.

De acordo com o jornal ABC Color, o grupo considerado de alta periculosidade teria fugido pelo portão principal depois de, supostamente, ter subornado agentes paraguaios. A fuga teria sido liderada por Valdecir, preso no dia 15 de abril, de 2013, por agressão.

Ainda conforme a notícia, Jonathan estava preso desde o dia 24 de agosto, apontado por envolvimento no assassinato de agente da Penitenciária Nacional de Tacumbú e o filho, em emboscada, em Lambaré. O crime teria sido ordenado por Chimenes Jarvis Pavão, em retaliação, já que, na época, fuga em massa que era planejada foi frustrada.

O terceiro fugitivo, Mario Monteiro, havia sido preso em 15 de maio, de 2014. Ele teria sido flagrado tentando roubar caminhão para utilizar o veículo em outros crimes.

Alan, também acusado de roubo em que família foi mantida refém, foi o único recapturado, horas depois da fuga. Ele estava em meio a grupo que seguia de viagem para Assunção.

Comentário

Os esforços do governo do Estado junto ao setor rural para garantir a utilização integral dos R$ 1,5 bilhão do FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste) disponíveis para Mato Grosso do Sul estão surtindo efeito neste segmento. Até o momento, dos R$ 866 milhões destinados ao financiamento de empreendimentos rurais, R$ 513 milhões já foram efetivamente contratados – o correspondente a cerca de 60% do total de recursos para o setor. Além disso, o governo do Estado vai solicitar ao Conselho Deliberativo do FCO a criação de uma nova linha de financiamento e a redução das taxas de juros do Fundo.

As ações junto ao setor rural são conduzidas pela Semade (Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico), gestora do fundo, por meio do Conselho de Investimentos Financiáveis pelo FCO, juntamente com o Banco do Brasil e a Sepaf (Secretaria de Produção e Agricultura Familiar). “Estamos com um bom ritmo de apresentação e de aprovação de projetos no setor rural e a resposta desse segmento tem sido animadora, o que nos aponta um ambiente favorável para que atinjamos a meta de aplicação integral dos recursos do Fundo para a área rural até 31 de dezembro deste ano”, afirmou o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck.

O secretário destaca as ações da Sepaf, que está promovendo entre outubro e novembro 10 seminários regionais para técnicos da rede de assistência técnica rural do Estado. “É uma forma de o governo chegar e sensibilizar aqueles que possuem áreas degradadas sobre os benefícios da adesão ao Programa Estadual de Recuperação de pastagens e das facilidades em utilizar os recursos do FCO”, afirmou Jaime Verruck.

O seminário, intitulado “Programa Terra Boa e Normas operacionais do FCO”, ja foi realizado nos municípios de Dourados, Ponta Porã e Campo Grande. Em novembro, acontece em Coxim (9), São Gabriel do Oeste (10), Naviraí (16), Nova Andradina (17), Três Lagoas (23), Chapadão do Sul (24). Além desta ação, o titular da Semade ressaltou também a importância da primeira agência bancária do país voltada exclusivamente para atender o produtor rural, que foi inaugurada pelo Banco do Brasil em Dourados na semana passada. “’É uma prova da importância da região para os negócios do banco, visto que é uma das maiores produtoras de grãos

do Estado e aonde temos vários empreendimentos que realizaram operações junto ao FCO”, disse o secretário.
Setor empresarial

Em contraponto ao ambiente favorável do setor rural, a demanda de financiamentos do setor empresarial junto ao FCO no Estado tem sentido ainda as dificuldades geradas pela crise econômica no país. “Fizemos vários esforços junto às federações e entidades do setor produtivo para a utilização do FCO, repactuamos os percentuais de aplicação (65% para o rural e 35% para o empresarial), o governo federal já anunciou medidas importantes mas a resposta continua abaixo de nossas expectativas e isso ocorre de forma generalizada no Centro-Oeste”, afirmou o secretário Jaime Verruck.

Dos R$ 466 milhões do FCO destinados ao setor em empresarial em Mato Grosso do Sul, R$ 39 milhões foram contratados – 8,47% do montante. Em Goiás esse percentual chega a 15%, em Mato Grosso, 12,5% e no Distrito Federal, 6,15%. “Tudo sinaliza que muito dificilmente iremos cumprir a meta no empresarial. Continuamos também com uma procura muito baixa no capital de giro dissociado. De R$ 50 milhões que estão disponíveis, só 6% foram contratados. Nesse ponto específico do capital de giro, o que temos levantado junto ao empresariado é que as normas do Condel têm sido um fator negativo, pois as micro e pequenas empresas, com faturamento anual de até R$16 milhões só podem utilizar esse dinheiro para a formação de estoque e as necessidades, nesse momento, são outras. Além disso, muitos empresários estão com restrições para tomada de crédito, fruto ainda da instabilidade econômica no país”, ponderou Jaime Verruck

O titular da Semade informou ainda que o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) vai apresentar ao Condel a proposta de criação de uma linha específica para o financiamento de longo prazo de empreendimentos de energia solar fotovoltaica. “Esta é uma demanda que o setor nos apresentou e vamos levar a Brasília. É um compromisso que o governador assumiu”, afirmou Jaime Verruk. Além disso, o governo do Estado e as federações se articulam para que o Banco Central entenda a necessidade de se revisar as taxas de juros do FCO para baixo. “Não vemos nenhuma necessidade de se promover um reajuste ou de manter os índices como estão. O governo federal reduziu a Selic e seria uma incoerência qualquer tipo de movimento, que não seja o de também reduzir as taxas do FCO”, finalizou o secretário.

Comentário

Por 7 votos a 4, o STF (Supremo Tribunal Federal) rejeitou nesta quarta-feira (26) a possibilidade de uma pessoa aposentada que continua a trabalhar receber pensões maiores com base nas novas contribuições à previdência pública, a chamada "desaposentação". Como tem repercussão geral, a decisão deverá ser seguida para todos os processos na Justiça que tratam do assunto.

Na sessão desta quinta-feira (27), os ministros voltam a se reunir para definir como será essa aplicação, já que muitas pessoas conseguiram o benefício maior em outros tribunais. Segundo a AGU (Advocacia Geral da União), existem ao menos 182 mil processos parados que aguardavam uma decisão do STF.

A maioria dos ministros entendeu que o sistema previdenciário público no Brasil é baseado no princípio da solidariedade e não há previsão na lei para o acréscimo. Uma mudança do tipo, portanto, só poderia ser estabelecida pelo Congresso e não pelo Judiciário.

O tema começou a ser analisado pela Corte em 2010 e trazia preocupação ao governo pelo impacto nos cofres públicos. Se o recálculo das aposentarias fosse aprovado, a AGU estima que as despesas subiriam R$ 7,7 bilhões por ano.

O STF analisou três ações, cujos relatores, Marco Aurélio Mello e Luís Roberto Barroso, favoráveis à desaposentação, ficaram vencidos. A maioria dos ministros seguiu a posição de Dias Toffoli, que votou em 2014 contra a desaposentação. Na época, ele disse que a aposentadoria é "irrenunciável" e a obtenção de benefício maior contraria o objetivo do fator previdenciário, que beneficia quem espera mais tempo para se aposentar, segundo publicou o G1.

Comentário

Com a proposta jornalística ‘Um sonho transformado em realidade’, seguido da chamativa manchete ‘Nasce a Unigran’, o informativo interno da então Faculdades Integradas de Dourados anunciava o que seria o principal destaque noticioso daquele final dos anos 80, fazendo germinar a sementinha lançada em 27 de outubro de 1976, quando, constituída a Socigran por um grupo de visionários chefiados pelo sagaz Jacks Grinberg, o município ganhava os primeiros cursos de graduação superior.

Direito e Administração de Empresas abriram o caminho para os atuais mais de 30 cursos oferecidos nas modalidades presencial, semipresencial e online. “Todo esse processo teve uma evolução criteriosa”, afirma a filha do visionário, a igualmente vanguardista Cecilia Tania Grinberg que, acrescido do Zauith no sobrenome, aportou a Dourados com o engenheiro Murilo para ‘tocar o projeto’ que resultou na consolidação do Centro Universitário apontado como uma das referências em formação de mão-de-obra qualificada para o mercado de trabalho no Brasil.

Mais de 700 colaboradores atuam nessa empreitada vitoriosa, compartilhando um espaço superior a 70 mil metros quadrados de área construída, oferecendo laboratórios, Clínicas de Estética, Fisioterapia e Odontologia, Núcleos de Direito, Nutrição, Psicologia e Serviço Social e Hospital Veterinário, além de uma Área Experimental, Cantão do Bosque e Fazenda Escola, prestando serviços para toda a comunidade, em atividades lúdico-recreativas, que projetam ações como as desenvolvidas na Brinquedoteca, ou pelo grupo Ginasloucos, ou ainda nas competições esportivas da Oligran, ou na criatividade da Uniarte, enfim, proporcionando o direito à dignidade profissional de mais de 25 mil pessoas ao longo desses 40 anos.

“O desafio sempre foi o de oferecer qualidade de ensino não só para formar profissionais, mas para melhorar a cidade e a região. Seguimos nesse foco, buscando administrar um conjunto de pessoas que trabalha para superar os resultados sempre”, declara Cecília Zauith. Com essa receita, a Unigran aparece entre os 10 melhores centros universitários do País, conforme a mais recente avaliação do MEC.

O sonho de 76 está se tornando, a cada dia desses 40 anos, realidade muito mais presente na vida das comunidades de Dourados, dos municípios da grande região sul de Mato Grosso do Sul, de parte da Europa, da Ásia, enfim, em todos os pontos do planeta. Para comemorar essa marca, um estudante da Unigran vai sair de carro, ainda nesta quinta-feira (27), do pátio da instituição, após sorteio público.

Comentário

O Dourados Brilha, evento criado pelo prefeito Murilo Zauith (PSB) e coordenado pela primeira-dama Cecília Zauith desde 2011 no Município, foi a única atividade natalina do Mato Grosso do Sul incluída no Calendário Nacional de Eventos de 2016, gerido pelo Ministério do Turismo. A inscrição, feita pela Semdes (Secretaria municipal de Desenvolvimento Econômico Sustentável) foi aceita imediatamente. O Calendário com mais um evento de MS apenas, que é o Pantanal Extremo, realizado em Corumbá.

As atividades do Dourados Brilha começam no dia 1º de dezembro e seguem até o Natal. São atrações musicais, apresentações culturais, praça de alimentação, atividades esportivas, Árvore de Natal, Casa do Papai Noel e muitas luzes todas as noites. Milhares de pessoas se encontram todas as noites na praça Antônio João para assistir as apresentações e se confraternizarem. Todas as secretarias e autarquias ficam envolvidas no evento. O apoio dos empresários da cidade e do governo do Estado é fundamental para a realização da festa, informa a assessoria municipal de Comunicação Social.

Confira o Calendário de Eventos do Ministério do Turismo

O Dourados Brilha está inserido no Calendário na categoria ‘Artístico/Cultural/Folclórico’ e classificado na modalidade tipo do fluxo turístico como regional. O Calendário Nacional de Eventos tem como objetivo divulgar os eventos turísticos brasileiros e agregar valor à imagem dos nossos destinos, além de fornecer informações de qualidade sobre a oferta turística do Brasil que possam ser úteis ao turista no momento de planejar as viagens.

No Calendário do Ministério do Turismo, o Dourados Brilha está descrito como evento realizado no final do ano que “conta com uma extensa programação de atrações em todos os dias do mês de dezembro, incluindo apresentações culturais, praça de alimentação, parque infantil, casa do Papai Noel, pista de patinação, missa, cultos religiosos, premiações, homenagens aos pioneiros, árvore de natal de 12 metros de altura confeccionada com materiais recicláveis, entre outras atrações”.

“Estamos muito felizes por ter nosso evento no Calendário Nacional. Não temos dúvida de que é a melhor festa de Natal de Mato Grosso do Sul. As famílias douradenses e também da região são privilegiadas pelo nosso prefeito Murilo ter criado essa festa e se empenhar para mantê-la sempre com a mesma qualidade desde a sua primeira edição”, afirma Elizabeth Salomão, secretária de Desenvolvimento Econômico Sustentável.

Praça de alimentação

A Prefeitura, através da Secretaria de Cultura, já deu início ao processo de seleção para a exploração dos 16 pontos da Praça de Alimentação, a ser montada na Avenida Presidente Vargas, durante as festividades natalinas, que este ano serão realizadas de 1 a 22 de dezembro. 30% dos espaços estão reservados para a Economia Solidária.

Os interessados em participar do evento deverão se inscrever entre os dias 16 e 17 de novembro, na Secretaria municipal de Cultura, localizada no Parque dos Ipês, na avenida Presidente Vargas, das 7h30 às 13h30. O pessoal da Economia Solidária se inscreve na mesma data na Central de Comercialização e Economia Solidária, na avenida Marcelino Pires, 235, no centro da cidade.

Comentário

A aprovação em segundo turno pela Câmara dos Deputados da proposta de emenda à Constituição que estabelece o teto dos gastos públicos representa um avanço no trabalho de o País retomar o crescimento econômico. A avaliação é do ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira, em entrevista ao Portal Planalto.

“É um passo muito importante na agenda de consolidação, de estabilização da política fiscal do Brasil. Assenta as bases para nós termos a retomada do crescimento e demonstra uma colaboração muito forte do Congresso Nacional nesta agenda. Então, ficamos extremamente satisfeitos e achamos que com esse passo nós iniciamos um grande processo de reformas que trará o crescimento de volta para o Brasil”, afirmou.

Na avaliação do ministro, o mercado tem reagido “muito bem” às medidas de ajuste fiscal promovidas pelo governo. A valorização das ações das principais empresas brasileiras e expectativa de um maior crescimento da economia do País nos próximos anos, para Oliveira, são exemplos dessa reação positiva. O titular do Planejamento acrescentou que a expectativa de inflação caiu e o se aproxima do centro da meta nos próximos anos.

“Então, a reação do mercado a esse evento é muito positiva e muito importante, demonstrando que o governo está restabelecendo a confiança e a credibilidade na política econômica brasileira”, afirmou. Com a aprovação pela Câmara, a PEC 241 segue para a apreciação do Senado.

Comentário

Uma afegã que se tornou famosa por uma fotografia de seu rosto na capa da revista National Geographic foi detida no Paquistão pela posse de documentos paquistaneses falsos. A imagem impressionante de Sharbat Gula, com seus grandes olhos verdes e o rosto envolto em um véu da cor vermelha, foi feita em 1984 em um acampamento de refugiados afegãos no Paquistão pelo fotógrafo americano Steve McCurry.

A fotografia é uma das capas (junho de 1985) mais famosas da história da revista americana e transformou a então adolescente em um ícone da população afegã, no momento em que o país estava sob ocupação soviética. Mais de três décadas depois, Gula foi detida pelas autoridades paquistanesas "por obtenção de falsos documentos de identidade", afirmou à AFP Shahid Ilyas, diretor da Nadra (National Database Registration Authority), a Autoridade de Registro Civil do país.

De acordo com Ilyas, as autoridades paquistanesas também procuram outros três diretores da Nadra, acusados de fornecer um documento de identidade nacional a Gula. Eles desapareceram depois que a fraude foi revelada. Gula pode ser condenada a uma pena de sete a 14 anos de prisão, além de uma multa entre 3 mil e e 5 mil dólares.

Milhares de refugiados afegãos conseguiram documentos de identidade do Paquistão, apesar do sistema informatizado. O Paquistão realizou nos últimos meses uma grande campanha de verificação para descobrir os proprietários de documentos de identidade do país entregues de forma fraudulenta. O país tem 1,4 milhão de afegãos registrados como refugiados, segundo a ONU, o que faz da nação a terceira com o maior número de asilados no planeta.

Comentário

O Esquadrão Anti-bomba da Polícia Militar foi acionado para verificar uma suspeita de ameaça de bombas na manhã desta quarta-feira (26/10), na sede do Banco Central, em Brasília. De acordo com informações da corporação, por volta das 6h uma bolsa preta foi encontrada largada nas calçadas próximo ao órgão. O local ficou parcialmente interditado para verificar possíveis explosivos no objeto encontrado. Durante a operação, uma faixa do eixinho L permaneceu bloqueada, causando lentidão no trânsito. Entretanto, na mochila constava uma calça jeans, toalha, tênis, caderno e um desodorante. O procedimento foi finalizado por volta de 9h30. 

Com isso, um trecho da quadra 3 do Setor Bancário Sul ficou interditado pela Polícia Militar. O prédio não precisou ser totalmente evacuado, e os servidores do órgão acessaram o prédio por outra portaria. A PMDF não recebeu denuncia de bombas no local, apenas que o objeto havia sido encontrada na calçada em frente ao Banco Central. Porém, o procedimento da corporação nesses casos de objetos desconhecidos é acionar a operação anti-bombas para evitar qualquer tipo de incidente.

André Violatti/Esp. CB/ D.A Press

A assessoria de imprensa do Banco Central informou que, por volta das 6h, uma funcionária viu o momento em que um homem jogou a mochila e uma pasta verde na frente do prédio. Segundo o órgão, a equipe de segurança da instituição que acionou a PM para verificar o objeto suspeito. Três andares do edíficio foram evacuados por questões de segurança. Os funcionários permaneceram nos demais pisos. Após quase três horas, os militares do Bope identificaram que não havia nenhum explosivo na mochila. "Encontramos alguns objetos pessoais e documentos. A hipótese é que a mochila seja fruto de algum furto cometido. Vamos tentar localizar o dono", ressaltou o tenente Rogério Nogueira.

 

 

André Violatti/Esp. CB/ D.A Press

Comentário

Página 1495 de 1745

Brasileirão - Rodada

Classificação

ENTREVISTA

  • unigran 150
  • Editais

O Tempo Agora

  • unigran novo

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014

WhatsApp 9 9913 8196

Telefones Úteis