Timber by EMSIEN-3 LTD
  • 10 anos
  • unigran topo
Quarta, 28 Julho 2021 16:49

Guedes diz que Dourados não precisa de mais guardas municipais e rejeita ‘ingerência’ de juiz Destaque

Escrito por
Em campanha, com guardas municipais aprovados em concurso, Guedes prometeu chamar remanescentes Em campanha, com guardas municipais aprovados em concurso, Guedes prometeu chamar remanescentes Divulgação

“O efetivo existente de Guardas Municipais é suficiente para os serviços de proteção aos bens do Município”, garantiu o prefeito Alan Guedes (PP), por meio do Procurador Jurídico Renato Queiroz Coelho, a quem designou para representa-lo no Recurso de Apelação protocolado segunda-feira (26) no TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) contra a decisão do MPE (Ministério Público do Estado) que recomendou e o juiz da 6ª. Vara Cível, José Domingues Filho o sentenciou, a convocar os candidatos remanescentes do último concurso realizado para a Guarda Municipal de Dourados, em 2016.

Atualmente, a Guarda Municipal conta com um contingente formado por 188 servidores efetivos, “insuficiente para atender de modo satisfatório a cidade de Dourados, especialmente durante a pandemia”, considerou Domingues Filho, ao acolher decisão do Ministério Público, considerando que o Município descumpre a Lei Federal 13.022, de 8 de agosto 2014, que fixa o limite mínimo de vagas a serem preenchidas.

Alan Guedes, que se reuniu várias vezes com os remanescentes em campanha eleitoral, prometendo que esta seria uma das primeiras providências na Prefeitura a partir de janeiro deste ano, bandeira que também defendia como vereador e ex-presidente da Câmara até o ano passado,conforme mostra o vídeo, agora diz que “ao determinar a nomeação de candidatos aprovados fora das vagas, o Judiciário incorre em afronta à independência e harmonia entre os Poderes previstos no artigo 2º da CF/88, pois a nomeação desses candidatos é baseada na conveniência e oportunidade da Administração que conhece da necessidade e, principalmente, da possibilidade financeira da nomeação”.

 

“O Poder Judiciário não deve atuar como ‘Administrador Positivo’, de modo a aniquilar o espaço decisório de titularidade do administrador para decidir sobre o que é melhor para a Administração, sendo que a Administração Pública possui discricionariedade para, observadas as normas constitucionais, prover as vagas da maneira que melhor convier”, rejeita o prefeito aos argumentos do juiz José Domingues Filho, conforme consta da Apelação

De acordo com o despacho judicial, ao Município compete convocar 12 candidatos aprovados em concurso para elevar o quantitativo da Guarda aos 200 efetivos e chamar os demais 73 candidatos remanescentes aprovados no concurso para as etapas seguintes do processo de incorporação aos quadros, a partir do Curso de Formação Profissional da Guarda Municipal.

Alan Guedes ignora o preenchimento, nesses quase 7 meses de mandato, de mais de 500 ocupantes de cargos em comissão na estrutura da Prefeitura para dizer que, conforme CI (Comunicação Interna) 411/2021, da Secretaria municipal de Fazenda, o total de despesas com pessoal encontra-se em 50,24% sendo o limite prudencial de 51,30%. “A convocação dos candidatos [objeto dos autos 0900030-96.2020.8.12.0002, do Poder Judiciário] poderá alcançar o índice prudencial, uma vez que o crescimento vegetativo da folha acarretará nas limitações previstas no parágrafo único do artigo 22 da LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal), que determina a proibição de admissão de pessoal até 31.12.2021”.

Última modificação em Quarta, 28 Julho 2021 20:16

A responsabilidade continua

  • barracao
  • barracao1
  • arvore

O Tempo Agora

  • unigran 21

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014

WhatsApp 9 9913 8196

Telefones Úteis