Timber by EMSIEN-3 LTD
Redação Douranews

Redação Douranews

Egresso da Unigran, o profissional de Direito Luis Henrique dos Santos, formado em 2003, descobriu há oito anos que possui o TDAH, a síndrome do Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade. A partir daí, compreendeu o motivo de ter passado por diversas dificuldades no aprendizado durante o curso superior. Alguns anos depois, identificou alguns comportamentos de hiperatividade no filho e descobriu que ele também possui o transtorno. Diante disso, ao acompanhar as dificuldades do filho na escola, decidiu encampar uma luta em prol desse segmento.

Começou então a participar de grupos de pessoas com TDAH em redes sociais e a conversar com profissionais, o que possibilitou entender melhor o transtorno e a trocar experiências com TDAH em todo o país. Mas foi o contato com uma moradora no Rio Grande do Sul, que possui quatro filhos com o transtorno e autismo, que o motivou a buscar a criação de uma legislação que os amparassem.

Após tomar conhecimento de que em vários estados e cidades brasileiras foram criadas leis específicas para este público, Luis Henrique iniciou uma peregrinação na classe política municipal e estadual, com o objetivo de incluir o Mato Grosso do Sul entre os estados que garantem o suporte necessário aos TDAHs.

“Depois que descobri que eu tenho TDAH, comecei a pesquisar sobre o assunto para entende-lo melhor. Então, encontrei pessoas com o transtorno em diversas partes do Brasil e conheci muitas histórias de luta e superação, bem como ações junto ao Poder Público, feito por elas, para garantir benefícios para nós, principalmente às crianças. Temos estados bem a frente do MS nessa questão, com legislações e políticas avançadas, como o Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Amazonas e o Distrito Federal. Diante dessa lacuna jurídica, decidi encampar essa luta para a nossa cidade e estado”, explicou Santos.

A primeira conquista foi a apresentação do Projeto de Lei 213/2019 na Assembleia Legislativa em 28 de agosto, de autoria do deputado estadual Barbosinha, que está sendo analisado pelo relator, deputado João Henrique, na Comissão de Constituição, Justiça e Redação. E a segunda, a tramitação na Câmara de Dourados, que iniciou em 10 de setembro, por proposição do vereador Madson Valente, a análise do assunto, atualmente também na Comissão de Justiça, Legislação e Redação. Ambos os projetos têm o mesmo texto e garante inúmeros benefícios às pessoas com TDAH nas redes públicas e privadas de ensino em Mato Grosso do Sul.

Entre as garantias propostas estão: a disponibilização em suas salas de aula, de assentos na primeira fila aos alunos com TDAH assegurando posicionamento afastado de janelas, cartazes e outros elementos, possíveis potenciais de distração. Os alunos também terão o direito de realizar as atividades de avaliação e provas durante o ano letivo, em local diferenciado, com o auxílio preferencialmente do professor especializado e com maior tempo para a sua realização.

Ainda, se aprovada, a lei vai determinar que as escolas das redes pública e privada deverão prever e prover, na organização de suas classes, flexibilizações e adaptações curriculares que considerem o significado prático e instrumental dos conteúdos básicos, metodologias de ensino e recursos didáticos diferenciados e processos de avaliação adequados ao desenvolvimento dos alunos que apresentam necessidades educacionais especiais, em consonância com o projeto pedagógico da escola, respeitada a frequência obrigatória. Para garantir os atendimentos, basta os pais ou responsáveis pelo aluno apresentarem laudo médico que comprove o TDAH, emitido por médico especialista em neurologia ou psiquiatria.

“Estou muito satisfeito com os resultados que já alcançamos e quero agradecer os parlamentares que acolheram a nossa luta e estão contribuindo para essa vitória, principalmente o deputado Barbosinha, que inclusive, já foi meu professor na graduação. Agora, pedimos o apoio de toda a população para que se mobilize em apoio a esta causa, e também, da classe política para que os projetos sejam aprovados e sancionados”, concluiu Santos.

Sobre o TDAH

O TDAH é um transtorno neurobiológico, genético e hereditário. Isso significa que, identificado na criança, pode vir do pai ou da mãe; de um primo ou de uma tia. O TDAH também encontra em fatores ambientais motivos para sua ocorrência, a saber: nascimento com baixo peso, bebês prematuros ou mãe que fuma durante a gravidez.

O uso de outras drogas, inclusive o álcool, também pode influir no aparecimento do transtorno em crianças. Portanto, todo cuidado é pouco no período da gestação e o acompanhamento médico é fundamental.

O transtorno afeta 6% das crianças (ou 11% em algumas estatísticas) e 3% dos adultos. O déficit de atenção traz grandes prejuízos à criança no que diz respeito ao aprendizado. Importante ressaltar que 80% das crianças com o transtorno têm grandes chances de continuar TDAH na adolescência. Da adolescência para a fase adulta, esse número vai para 50%.

Comentário

O vereador Madson Valente (DEM) classificou a atitude da gestão municipal de Dourados, com relação a um possível acordo sobre emissão de alvarás para os distritos, como algo prejudicial aos comerciantes, pois, segundo o parlamentar, o presente acordo, conforme está na matéria oficial, limita o crescimento econômico e não oferece nenhuma segurança aos empresários já estabelecidos.

De acordo com o vereador, esta reação da Prefeitura se dá em razão de projeto de lei de autoria dele, que está para ser votado na Câmara, e cria alvarás especiais para os distritos, estabelecendo regras para a concessionária CCR MSVia e também aos empreendedores. Ele afirma ainda que “em nenhum momento a administração se pronunciou e que agora querem se utilizar de mecanismos, promovendo distorções, prejudicando nossas comunidades”.

"É inconcebível tal acordo. Primeiro, porque a concessionária não possui autonomia para tal, isso é atribuição da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), portanto mentem ao fazer tal publicidade. Segundo, valerão somente os comércios já cadastrados. Terceiro, não exigem nenhuma regra para que a concessionária também possa assumir responsabilidades para com aqueles que foram desapropriados e nunca foram indenizados, isso é um absurdo", disse Madson.

"Considero tal atitude de visitar alguns comércios, apenas como um grande sinal que a bancada de sustentação deste governo será orientada a votar contra o povo da zona rural, contra nosso projeto que cria o alvará especial, que poderia garantir nosso crescimento econômico e social, algo inimaginável, mas manterei minha postura e defenderei no parlamento nossas comunidades, afinal minha opção é pela política digna, jamais me submeteria a buscar uma zona de conforto dentro deste governo declinante para prejudicar nosso povo”, encerrou o vereador Madson Valente. (Com assessoria)

O que a Prefeitura propõe

No começo da semana a Prefeitura de Dourados anunciou que vai conceder alvarás de funcionamento para as empresas estabelecidas às margens da BR 163 nas vilas Vargas, São Pedro e Sapé, mediante consentimento da direção da CCR MS Via, empresa detentora da concessão da rodovia federal. O secretário de Fazenda Carlos Dobes Vieira afirmou que serão beneficiadas cerca de duzentas empresas situadas na chamada “faixa de servidão” da BR 163, que é de responsabilidade da CCR. “Agora, com a autorização da concessionária, a Prefeitura poderá oferecer de forma legal os alvarás”, disse Dobes.

Anteriormente, segundo o secretário, a Prefeitura não podia emitir os alvarás pelo fato de as empresas estarem em área da CCR. “Serão beneficiadas com esta decisão apenas as empresas que já funcionavam até a assinatura do contrato de concessão entre a CCR e o Governo Federal”, explicou o secretário. Conforme levantamento feito pela Secretaria de Planejamento, na Vila São Pedro foram registrados 78 imóveis na faixa de domínio da BR 163, sendo destes, 47 comerciais. Em Vila Vargas existem 148 imóveis, sendo 75 comerciais; e na Vila Sapé são 23 imóveis registrados, sendo 18 comerciais.

Comentário

Dourados vai sediar, no final do mês, um encontro na Tenda do Parque dos Ipês, na Avenida Presidente Vargas, 1.590, que tem como objetivo principal promover a auto estima de forma solidária às pessoas, principalmente mulheres. Trocar dicas sobre produtos e também experiências sobre os desafios de enfrentar a transição capilar, e fazer a divulgação do 4ºconcurso Beleza Negra Dourados são os alvos do “1º Encontro Cacheia Dourados”. O evento é gratuito, com entrada franca e sorteio de brindes.

Várias cacheadas, crespas, onduladas e meninas em transição capilar serão fotografadas durante a tarde do dia 29 deste mês, das 14 às 18 horas, no espaço do evento.

O tema do encontro, 'Cacheia Dourados’, é um convite à liberdade capilar e a aceitação do cabelo natural, visa a ajudar meninas e mulheres que buscam novas referências do que é belo e inspiração, e que querem passar para as pessoas que todas são lindas independentemente do tipo de cabelo ou corpo, porque o que importa é estar feliz consigo próprio. Mas serve também para todos os públicos, inclusive as de cabelos lisos e para homens.

A realização é do Grupo Pérola Negra que vai promover vários sorteios, como manicure, pés e mãos, hidratação para o cabelo, produtos cosméticos, serviços gratuitos de penteados, sobrancelhas e corte de cabelos amostras e kits. A programação prevê, ainda, apresentações de empoderamento com palestras, shows de dança, depoimentos, cortes e maquiagens, técnicas de hidratação e fitagem, desfile de moda com modelos negros e das lojas com modelos negros.

Mais informações podem ser obtidas aqui: Grupo Perola Negra 067 99221-8938, 99614-2491, 98163-675, 99863-9134 e 91863-6075, ou, ainda: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. e Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Comentário

Os deputados estaduais analisaram três projetos de lei na sessão ordinária desta quarta-feira (18) da Alems (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul). Em primeira discussão, o Projeto de Lei 24/2019, de autoria do deputado Felipe Orro (PSDB), que dispõe sobre a proibição de cobrança de taxa de religação de energia elétrica e de água, em caso de corte de fornecimento por falta de pagamento. A proposta recebeu parecer contrário por maioria da CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Redação), entretanto foi aprovada e segue à segunda discussão e votação em Plenário.

O deputado Felipe Orro explicou o motivo de ter apresentado a matéria. “Projetos desta natureza já estão sendo aprovados em várias câmaras municipais. A Assembleia Legislativa deve ter essa iniciativa, pois a proposta beneficia muita gente, que quando tem seus serviços essenciais cortados, além de ter dificuldades para pagar a conta, ainda precisa desembolsar a mais para o pagamento da taxa de religação”, relatou o parlamentar.

Já o deputado Lidio Lopes (PATRI), presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Redação, e também relator da matéria no grupo de trabalho, registrou o parecer contrário por maioria da comissão. “Parabenizo o autor, pois meritoriamente o projeto é fantástico, mas verificamos vício de iniciativa, que o torna inconstitucional. A competência sobre cobrar ou não a religação é das concessionárias de água e energia”, destacou.

Também em primeira votação foi apreciado o Projeto de Lei 200/2019, de autoria do deputado Jamilson Name (PDT), que inclui a Costelada Pantaneira, realizada em Rio Negro, no calendário oficial de eventos de Mato Grosso do Sul. Aprovada por unanimidade dos parlamentares, a proposta vai agora à segunda discussão e votação. A última proposição analisada pelos parlamentares durante a Ordem do Dia, foi o Projeto de Lei 209/2019, de autoria do Poder Executivo para alterar a Lei 1102/1990, que dispõe sobre o Estatuto dos Funcionários Públicos Civis do Poder Executivo, das Autarquias e das Fundações Públicas do Estado de Mato Grosso do Sul. Também aprovada em primeira discussão, vai à segunda.

O deputado Pedro Kemp (PT) descreveu as alterações contidas no projeto de lei. “Traz alterações no estatuto dos funcionários públicos, permitindo que os controladores-gerais do Estado possam cancelar a aposentadoria do servidor, quando comprovada infração grave ou ilícita durante o exercício de suas atividades. Também versa sobre as férias dos professores, que serão de 30 dias, com recesso no meio do ano de 15 dias, não sendo mais pago o adicional de 45 dias de férias a estes profissionais”, divulgou o parlamentar.

Comentário

Cristopher de Karlos Bernardo Davalos se tornou símbolo da campanha de vacinação lançada esta semana pelos ministros da Saúde do Brasil Luiz Henrique Mandetta e do Paraguai Júlio Daniel Mazzoleni durante evento que contou com a presença de diversas autoridades dos dois países, na Praça Lício Borralho em Pedro Juan Caballero.

Filho do empresário brasileiro do ramo de educação superior Karlos Bernardo (diretor da Universidade Central Del Paraguay) e da professora paraguaia Rosa Maria Davalos, Crystopher foi imunizado pelo ministro Mazzoleni e representou todas as crianças paraguaias que serão vacinadas durante a campanha em todo o Mercosul e que visa à erradicação da febre amarela e do sarampo, doenças que ainda fazem milhares de vítimas todos os anos.

No colo da mãe Rosa Maria Davalos, o pequeno Crystopher não reclamou ao receber a dose da vacina e acompanhou toda a cerimônia. Rose falou que é muito importante as famílias levarem seus filhos para serem vacinados e que somente a imunização pode evitar problemas no futuro. “Temos que ter a consciência de que as campanhas de vacinação salvam vidas independentemente das fronteiras ou idiomas. Vacinar também é um ato de amor”, disse ela.

Comentário

A defensora pública do estado de Mato Grosso do Sul, Mariza Fátima Gonçalves, usou a tribuna livre, durante a sessão ordinária desta segunda-feira (16) na sessão da Câmara de Dourados para discorrer sobre a prestação de contas apresentada pela Funsaud (Fundação de Serviços da Saúde de Dourados) após a intervenção realizada pela Secretaria municipal de Saíde. A presidente da Comissão de Saúde da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) – Subseção Dourados/Itaporã, Helena Izidoro, também participou da sessão.

A fala ocorreu durante o Grande Expediente, tempo destinado a debate de matéria específica, correspondendo a período de 30 minutos, que não poderão ser utilizados a outro fim e ela aproveitou a ocasião para manifestar preocupação com o Hospital da Vida. Mariza Fátima cobrou dos vereadores melhorias no hospital e, principalmente, a recuperação da Funsaud que já passa por uma intervenção, sob suspeita de má administração.

“Quando lutamos pela Funsaud, não é uma luta só por Dourados, mas por famílias que trabalham lá dentro, por saúde de qualidade, por funcionários que trabalhem com o mínimo, que é receber seu salário no fim do mês e poder pagar as suas contas. Nós temos que resolver isso e não postergar. Temos que acordar e ver o que está acontecendo”, ressaltou a defensora.

A presidente da Comissão de Saúde da OAB também usou a tribuna, cobrando um gerenciamento com coerência e clareza da saúde do município. “O dinheiro público vem para a população que mais necessita, mas entre esta população estamos nós, nossos pais, tios, irmãos, família e também aqueles que depositaram em vocês as suas vontades, anseios e necessidades, que podem ser exteriorizadas por vocês”, comentou.

“É trabalho de todos nós garantir que o acesso a saúde seja feito com dignidade e respeito e que possamos dar condições para que os profissionais possam desempenhar com zelo os seus trabalhos”, completou Helena.

Para o presidente da Comissão de Saúde da Câmara, vereador Elias Ishy (PT), os problemas com a saúde de Dourados se dão pela falta de liderança no Poder Executivo, para que as metas sejam cumpridas. “As atribuições da prefeita não são somente na área de saúde, sendo que todas estão com problemas. Não falta boa vontade de ajudar, mas não temos liderança. Não há projetos e os problemas têm aumentado cada vez mais”, afirmou.

Ordem do dia

Os vereadores da Câmara de Dourados ainda discutiram projetos durante a sessão ordinária. Entre eles foi rejeitado o Veto Parcial do Poder Executivo ao PLC (Projeto de Lei Complementar) 010/2019, do vereador Marcelo Mourão (PRP), sobre alterações do Código de Posturas. Em 1ª discussão e votação, foi aprovado o Projeto de Lei 127/2019, de Maurício Lemes (PSB) e Romualdo Ramim (PDT), que denomina como “Marginal Jofre Alves de Oliveira” a Rua Marginal, ao lado da BR 463, entre o Campo Dourado e o Trevo da Bandeira.

Ainda de Maurício Lemes, foram aprovados os Projetos de Lei 176 e 188/2019 que denominam como “Rua Lindiane Weis Webber” e “Rua Ary Rubens Konrat” as ruas Projetada 05 CV e Projetada 18 CV, respectivamente, localizadas na Sitioca Campina Verde. Também foi aprovado o Projeto de Lei 133/2019, de autoria de Marinisa Mizoguchi (PSB), que inclui parágrafos 5º, 6º e 7º no artigo 38 da Lei 3.180/2008, que dispõe sobre posse responsável, o bem-estar animal, o controle de natalidade e a proteção de populações animais de Dourados. O Projeto de Lei 197/2019, de Jânio Miguel (PL), que declara de utilidade pública municipal a Associação Civil “Obras Sociais Jesus de Nazaré” também foi aprovado.

Em 1ª discussão e votação, foram aprovados os projetos de emenda a Lei Orgânica, que dispõe sobre alienação onerosa e sobre destinação de emendas impositivas. De autoria de Maurício Lemes, foram aprovados os Projetos de Lei 150 e 178/2019, que denomina como “Rua Elaine Cristina Musculini” a Rua Projetada C RP, no Residencial Parizotto, e como “Marginal Buale Mustafa Rateib” a Avenida Marginal Leste, no Bairro Chácara Castelo I. O Projeto de Lei 143/2019, de Marinisa Mizoguchi, que institui o Mês Municipal da Valorização da Mulher, foi aprovado por unanimidade. De Olavo Sul (Patriota), foi aprovado o Projeto de Lei 199/2019, que altera dispositivos da Lei 4.140 de 6 de dezembro de 2017, sobre a proibição do cerol.

Ainda foram concedidos, de autoria de Marinisa Mizoguchi e Elias Ishy, diplomas de Jubileu de Telurita à Associação Nipônica de Kyoei, alusivo aos 62 anos de criação, e de Jubileu de Esmeralda à Associação Cultural Nipo-Brasileira de Laranja Lima, pelos 40 anos de fundação. Também foram outorgados título de Cidadão Douradense, de autoria de Junior Rodrigues (PL), a Rogério Fernandes Lemes, e Diploma de Honra ao Mérito, de autoria de Braz Melo (PSC), a Édia Lazzarini, pelos 29 anos de atuação na profissão de artesã em Dourados.

Comentário

A Unigran EaD abriu na noite desta terça-feira (17) o Masterclass 2019, que tem como objetivo promover a criação e a expansão das oportunidades de negócios. Com grandes nomes da gestão e do empreendedorismo, o evento teve início com a palestra de Marcos Schwingel, que atuou mais de duas décadas no setor cooperativo e trouxe reflexões sobre o assunto.

O tema da primeira edição é “O cooperativismo e a inovação como propulsores do desenvolvimento” e contou com a exposição de cerca de 20 empresas de diversos segmentos. O Masterclass 2019 ainda está sendo transmitido online para todo Brasil, Estados Unidos, Japão e nove países da Europa, onde a Unigran EaD mantém núcleos de atendimento.

Confira todos os atrativos do primeiro Masterclass

No total, aproximadamente mil pessoas estão acompanhando diariamente a solenidade, tanto online quanto presencialmente. “É a consagração da EaD que qualifica pessoas não somente no Brasil, mas no mundo. Um evento extraordinário. É a primeira vez que a gente vai transmitir tanto para capacitar os alunos quanto a comunidade não acadêmica e é um privilégio poder assistir de onde estiver”, ressalta a reitora Rosa Maria D’Amato de Déa.

O Masterclass 2019 está sendo realizado no Salão de Eventos da UNIGRAN até nesta quinta-feira (19), sendo que a programação para esta quarta-feira (18) prevê a presença do empresário Mário Gazin para falar sobre empreendedorismo e, no encerramento da quinta, Alfredo Rocha vai tratar sobre capacitação e liderança.

Comentário

O SIG (Serviço de Investigações Gerais) desvendou, em menos de 24 horas, o crime cometido por um homem de 29 anos que após ter assassinado pai e filho ainda ateou fogo nos corpos e jogou em um poço, crime ocorrido na tarde de domingo (15), no distrito de Panambi, em Dourados.

Rafael Ponce confessou ter assassinado Miguel Vieira, de 39 aos e o filho dele, Brian Gabriel Vaz Vieira, de 17, após ter sido localizado e preso pela equipe do SIG na tarde desta terça-feira (17), escondido nos arredores do povoado.

À Polícia, o rapaz afirmou que foi espancado pela dupla, por isso matou os dois a golpes de pau e ateou fogo nos corpos. Os ossos não consumidos pelas chamas foram jogados no poço desativado nos fundos da casa onde Rafael mora, em Panambi.

“Bateram na minha cara, olha meu olho do jeito que tá. Eu não aceito essa situação. Matei na paulada e queimei, tanto o pai quanto o filho”, confirmou o homem, em Coletiva de Imprensa ao ser apresentado na sede do SIG, na 1ª Delegacia de Polícia Civil de Dourados. De acordo com informações apuradas pela polícia, depois de matar os dois e queimar os corpos, Rafael comentou no distrito que tinha cometido o duplo assassinato.

Entretanto, como ele estava bêbado, ninguém deu muita importância no momento. Entretanto, como Miguel e Gabriel não foram vistos na segunda-feira, a polícia foi avisada e começou a procurar pelos corpos até chegar ao poço desativado onde haviam sido jogados restos dos ossos que não queimaram.

Comentário

Na primeira sessão, após ficar menos de duas semanas fora da atividade legislativa, o vereador Marcelo Mourão (PRP) anunciou na tribuna da Câmara de Dourados a distribuição de R$ 60 mil em verbas garantidas via emendas impositivas. O recurso beneficiará postos de saúde, escolas e Centros de Educação Infantil do município. Durante fala na tribuna, o vereador celebrou a oportunidade de entregar os valores que atenderão a estrutura dessas unidades e vão otimizar os serviços ali prestados.

“Tive a oportunidade de protocolar as emendas impositivas, que foi uma luta bastante interessante que travei com os colegas vereadores [no mandato passado], onde nós, durante quatro anos, pudemos discutir, pensar, planejar e vê-las aprovadas e funcionando. Eu tive a grata satisfação de protocolar nesta Casa de Leis as minhas emendas impositivas. Isso quer dizer que o vereador de Dourados hoje tem condições, por força e normativa de lei, que o Executivo cumpra aquilo que ele determina nas chamadas emendas impositivas. A curta conversa, é fazer o dinheiro chegar onde ele precisa chegar”, comentou o parlamentar.

Marcelo Mourão distribuiu R$ 20 mil entre os postos de saúde dos bairros Cabeceira Alegre, Jardim Ouro Verde, Aydê Piratininga e Vila Cachoeirinha; R$ 20 mil para as escolas municipais Rosa Câmara, Coronel Firmino Vieira de Matos e Efantina de Quadros; R$ 15 mil para os Ceims Celso de Almeida, Austrilio Ferreira de Souza e Sarah Penzo; e R$ 5 mil para o Centro de Controle de Zoonoses.

Cada um desses valores já possuem projeto de destinação, que inclui equipamentos de informática, aparelhos de ar condicionado, mobiliário, materiais para reforma e pintura, eletrodomésticos, entre outras especificações.

Emendas Impositivas

As emendas impositivas são aportes financeiros garantidos a cada vereador douradense. Essas verbas são distribuídas para departamentos ligados à saúde, educação e assistência social. A existência da emenda impositiva na Câmara de Vereadores de Dourados é uma conquista alcançada pelo esforço do vereador Marcelo Mourão, que no mandato passado enfrentou até a última sessão, no ano de 2015, as discussões para aprovação da mudança de caráter indicativo para impositivo.

Comentário

Dourados está entre 70 cidades do Brasil que serão sede do Festival Paralímpico Nacional neste sábado (21) e aqui a Prefeitura de Dourados repete, por meio da Semed (Secretaria municipal de Educação), a estrutura montada no ano passado, quando sediou o evento pela primeira vez, para a ação que acontecerá simultaneamente nas cidades ‘sedes’, com realização do Comitê Paralímpico Brasileiro. O evento acontecerá no Clube Indaiá, das 8 horas até o meio-dia.

Nesta edição, conforme Mariza Araújo, do Núcleo de Educação Física da Semed, está confirmada novamente ampla participação de alunos com algum tipo de deficiência (visual, intelectual e física), bem como alunos que não possuem deficiência, dentro do intuito de integração. São alunos de escolas municipais, estaduais ou particulares. Participantes de Itaporã também marcarão presença. Segundo a professora Mariza, Dourados foi selecionada novamente pelo Comitê Paralímpico Brasileiro, devido ao trabalho referência que realiza junto aos alunos portadores de algum tipo de deficiência.

“Estar pela segunda vez neste projeto é motivo de satisfação e isso é possível pela avaliação feita no ano anterior. Dourados cumpriu todas as metas estabelecidas pelo comitê, temos projetos que atendem alunos com deficiência, somos referência nesse meio e o trabalho de toda equipe para sempre integrar e incentivar as pessoas com deficiência tem sido um diferencial”, aponta.

Na noite de segunda-feira (16), acadêmicos da Universidade Federal da Grande Dourados e da Faculdade Anhanguera participaram de treinamento junto a Semed, no Clube Indaiá, para prestarem apoio aos alunos no dia do evento. Mariza destaca que a expectativa para o Festival Paralímpico é grande e reforça que ações como esta fomentam a participação nas diversas formas de manifestação esportiva organizada e promovem a ampla mobilização das crianças e jovens com deficiência em torno do esporte, favorecendo, assim, sua valorização como indivíduo atuante na sociedade.

Comentário

Página 1 de 1432
  • unimed nova

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014

WhatsApp 9 9913 8196

Telefones Úteis

Horários de Vôos | Horários de Ônibus