Timber by EMSIEN-3 LTD
Redação Douranews

Redação Douranews

A Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul) divulga, nesta quarta-feira (13), a primeira pesquisa de intenções de voto na disputa para a Prefeitura de Dourados das eleições municipais deste ano. Outras pesquisas registradas por institutos do Estado estão em processo de análise de pedidos de impugnação.

De acordo com a pesquisa encomendada pela Fiems ao instituto Ipems, de Campo Grande, a vereadora Délia Razuk (PR) lidera a disputa com 40,65% das intenções de voto, enquanto o deputado federal Geraldo Resende (PSDB) está em segundo ligar com 32,27%, seguido à distância pelo deputado estadual Renato Câmara (PMDB), terceiro colocado, com 10,55%.

A novidade é a presença do professor Ênio Ribeiro (PSOL) que aparece em quatro lugar com 0,98%, à frente de Wanderlei Carneiro (PP), o quinto colocado com 0,53%. O número de indecisos, segundo a pesquisa, somou 5,21% e os eleitores que se manifestaram dispostos a votar em branco ou a anular o voto totalizaram 9,81%.

Pesquisa Dourados

Rejeição

Em relação à rejeição, ainda conforme a pesquisa Fiems/Ipems, o maior percentual é o do professor Ênio, com 30,28%, seguido pelo deputado federal Geraldo Resende, com 28,59%. Logo depois aparecem Wanderlei Carneiro com 27,92%, Renato Câmara com 25,18% e, por último, Délia Razuk, com 18,73%.

A pesquisa Fiems/Ipems foi registrada sob o número MS-04898/2016 e realizada entre os dias 9 e 11 de setembro deste ano junto a 600 pessoas. A margem de erro é de 4 pontos percentuais para mais ou para menos e o grau de confiança é de 95%, segundo divulgou a assessoria.

Comentário

Quarta, 14 Setembro 2016 08:16

Indústria de MS leva pedidos a Michel Temer

Durante encontro de representantes da indústria de Mato Grosso do Sul com o presidente da República, Michel Temer, realizada nesta terça-feira (13), no Palácio do Planalto, o presidente da Fiems, Sérgio Longen, apresentou oito propostas do setor industrial para a melhoria do ambiente econômico e recuperação da atividade no Estado. Entre elas estão a convalidação dos incentivos fiscais do ICMS, revisão da política de uso dos Fundos Constitucionais, regulamentação da terceirização, suspensão e revisão de todas as NRs (Normas Regulamentadoras) editadas pelo Ministério do Trabalho e a criação de um programa de recuperação fiscal (do tipo Refis) para a indústria.

Segundo Sérgio Longen, o setor industrial do Estado tem se esforçado para que o FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste) possa ser reavaliado. “Para nós, a proposta ideal para o FCO é que seja destinado 50% para capital de giro e 50% para investimentos”, afirmou Longen, que durante a reunião, teve a oportunidade de explicar os pontos principais das demandas levadas por Mato Grosso do Sul ao presidente Michel Temer.

Além desse tema, na pauta apresentada pelos representantes do Estado, também foi pedida a suspensão e revisão das Normas Regulamentadoras, pois os empresários entendem que o Ministério do Trabalho não pode criar leis. “Essa pauta também é muito importante por que a quantidade de normas regulamentadoras é muito grande hoje em dia e isso é prejudicial para a atividade empresarial. Elas são criadas conforme os entendimentos do Ministério, sem discussão sobre o tema. Especificamente a NR 12, por que torna ainda mais burocrática, cara e inviável a atividade industrial”, explicou o presidente da Fiems.

Já sobre a proposta da criação de um programa de refinanciamento, o empresário Sérgio Longen explicou a necessidade urgente desta ação. “Hoje, temos setores que precisam de cuidados especiais e, por isso, defendemos um Refis para os setores estratégicos da economia, como a indústria. Desse modo, as empresas conseguiriam retirar as suas certidões, participar de licitações e venderem os produtos. Alguns setores, como o ceramista por exemplo, estão com grande dificuldade em se manter atuantes por conta das pendências com receita e INSS. Essa proposta é para que o empresário possa refinanciar as dívidas e continuar operando”, declarou.

Durante a reunião, o presidente Michel Temer se comprometeu em estudar profundamente os pleitos apresentados pelo setor industrial de Mato Grosso do Sul. “O presidente da República entendeu nossas necessidades e nossa expectativa é que agora as propostas andem. O que percebemos é que o Governo Federal está criando possibilidades para que o Brasil resolva os gargalos da economia e da produção e volte a crescer e gerar emprego”, analisou Longen, classificando como muito positiva a reunião com o presidente da República.

O presidente Temer ainda transmitiu aos empresários uma mensagem de otimismo. “Precisamos ter esperança, mas logo ir para a confiança e depois ao trabalho para que os empresários possam investir e gerar emprego”, afirmou o presidente do Brasil.

Repercussão

Para o presidente da CNI (Confederação Nacional da Indústria), Robson Braga de Andrade, que também participou da reunião, os encontros entre os empresários e Michel Temer vão servir para que seja montada uma radiografia de cada Estado do Brasil. “Nessas reuniões, que já foram realizadas com representantes das indústrias de outros Estados, discutimos alguns temas relevantes e importantes para o desenvolvimento do setor industrial brasileiro. Questões como infraestrutura e investimentos, bem como a falta de crédito, que é um assunto que mais aflige os empresários hoje. Enfim, foi um diálogo muito franco e aberto com o Governo Federal, que tem escutado e, conforme as informações que já temos, tem repassado aos ministros com instrução de que sejam verificadas e, na medida do possível, implantadas”, disse.

Na avaliação do presidente do Sinduscon/MS, Amarildo Miranda Melo, é importante ter reuniões como essa do setor industrial com o presidente da República. “É fundamental porque mostra claramente a postura dos empresários e o relacionamento do presidente com o setor. É muito importante porque trazemos aquele problema do chão de fábrica”, declarou.

Já o presidente da Biosul, Roberto Hollanda, acrescentou que o primeiro ponto a ser destacado é a articulação da Fiems em conjunto com a CNI para promover essa reunião com o presidente Michel Temer. “Isso é muito bom, a gente sabe que as nossas demandas serão ouvidas. O segundo ponto positivo é a receptividade que tivemos pelo próprio presidente da República. Uma pessoa muito disposta a ouvir as demandas do setor. Eu entendo que a nossa reunião não poderia ter sido melhor”, afirmou.

Comentário

Os moradores da região do Jardim Água Boa e bairros adjacentes, como o Jardim Vista Alegre e as vilas Siria Rasslem e Manoel Rasslem continuam enfrentando os problemas decorrentes do racionamento de água. A Sanesul confirmou que nesta quarta-feira (14), mais uma vez, haverá interrupção no abastecimento, entre às 10 e 17 horas.

A alegação da empresa é de que o corte no fornecimento de água é necessário por conta da realização de obras para melhoria no sistema de abastecimento da cidade. A Sanesul promete esforços para minimizar o tempo do serviço e retomar o atendimento em seguida.

Comentário

DÉLIA RAZUK

Período matutino: Reunião com comerciantes na área central
12h - entrevista na TV Morena
Período vespertino: Reunião no Jardim Monte Líbano com participação do candidato a vereador “Terrinha da Garagem”
15h30 - Caminhada no BNH 4°Plano
Período noturno: Reunião nas comunidades do Canaã, do Jardim Cachoeirinha e no Parque do Lago II

ÊNIO RIBEIRO

Não enviou

GERALDO RESENDE

7h – Apresenta propostas aos trabalhadores do Supermercado Abevê Albino Torraca
7h30 - Apresenta propostas aos trabalhadores da Metalfer Produtos Siderúrgicos
8h - Gravação de programa eleitoral
9h30 – Reunião com trabalhadores do Hospital Evangélico
14h - Apresenta propostas aos trabalhadores da Usina São Fernando
15h – Caminhada pela rua Fernando Ferrari
19h39 – Apresenta propostas aos moradores da Vila São Braz acompanhado do candidato a vereador Zé do Peixe

RENATO CÂMARA

Manhã – Gravação para o programa eleitoral

Tarde – Agenda fora do município

Noite – Reuniões no Jardim Água Boa e Altos do Alvorada

WANDERLEI CARNEIRO

10 h - Entrevista para o jornal O Vigilante
Almoço coordenação de campanha
Visitas diversas
16 h - Entrevista para o Programa Um só coração, na Rádio Coração
17 h - Entrevista Aced
19h30 - Reunião com moradores do Jardim Água Boa
20 h - Reunião com moradores do Jardim Guanabara

Foi prorrogado para segunda-feira (19) o prazo de submissão de projetos de pesquisa para as feiras de ciência e tecnologia do IFMS (Instituto Federal de Mato Grosso do Sul), que serão realizadas nos dez campi da instituição durante a Semana de Ciência e Tecnologia, em outubro. As feiras serão promovidas em Aquidauana, Campo Grande, Corumbá, Coxim, Dourados, Jardim, Naviraí, Nova Andradina, Ponta Porã e Três Lagoas.

Os trabalhos devem ser desenvolvidos por estudantes do ensino fundamental (6º ao 9º ano), ensino médio ou técnico de nível médio, além de egressos da modalidade integrada do IFMS que tenham concluído os cursos a partir de novembro de 2015. Projetos de estudantes de escolas públicas e privadas podem ser submetidos, desde que sejam respeitadas as áreas de abrangência dos campi. Todas as regras de participação nas feiras estão disponíveis no edital 008/2016, publicado na Central de Seleção do IFMS, no endereço www.ifms.edu.br/centraldeselecao.

A Fecigran (Feira de Ciência e Tecnologia da Grande Dourados) será realizada de 19 a 21 de outubro. Podem participar estudantes e professores de Caarapó, Deodápolis, Douradina, Dourados, Fátima do Sul, Glória de Dourados, Itaporã, Jateí, Maracaju, Rio Brilhante e Vicentina.

Comentário

A Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE) aprovou nesta terça-feira (13) projeto de resolução que autoriza o município de Campo Grande a contratar empréstimo de US$ 56 milhões do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Os recursos serão aplicados no programa de desenvolvimento integrado, que visa à revitalização do centro da capital, com ênfase na acessibilidade.

O projeto segue agora para o plenário do Senado. Relator ad hoc da matéria, o senador Waldemir Moka (PMDB-MS) afirmou que a União será avalista da operação de crédito. “A Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional fez análise minuciosa da situação do município e entendeu que há condições de a prefeitura contrair o financiamento”, argumentou.

Os senadores Wellington Fagundes (PR-MT), relator original do projeto, e Pedro Chaves (PSC-MS) destacaram a importância do projeto para a revitalização do centro da capital. “É um programa que dará nova cara a Campo Grande”, resumiu Chaves. Fagundes disse que a cidade vai ganhar muito com os investimentos. “Fiz o segundo grau e minha faculdade em Campo Grande. Por isso tenho grande carinho por aquela cidade”, disse.

De acordo com o relatório lido por Moka, os juros anuais serão de 3,40%, com prazo de 25 anos para pagamento. O montante dos recursos será liberado no prazo de cinco anos. Para conceder aval, o Governo exigiu que a prefeitura não assumisse, nos dois últimos quadrimestres do mandato do prefeito Alcides Bernal, qualquer obrigação de despesa que não possa ser cumprida integralmente.

Comentário

O Plenário da Câmara aprovou nesta terça-feira (13) sete medidas provisórias. Os parlamentares também discutiram o Projeto de Lei Complementar que muda regras e tabelas do regime especial de tributação (Simples Nacional), mas não houve acordo para votação.

Foram aprovadas pelos deputados e seguem para análise do Senado as MPs: - 728/16, que recria o Ministério da Cultura; - 729/16, que altera regras de transferência de recursos para educação infantil;
- 730/16, que libera R$ 150 milhões para cobrir despesas com as eleições municipais; - 731/16, que substituiu mais de 10 mil cargos de livre nomeação do governo federal por gratificações exclusivas para servidores concursados; - 732/16, que reajusta taxa de ocupação de imóveis da União; - 733/16, que autoriza a renegociação de dívidas de crédito rural; e - 736/16, que libera R$ 2,9 bilhões para o estado do Rio de Janeiro fazer a segurança das Olimpíadas e Paralimpíadas.

Prioridades

Acordo feito em Plenário prevê que a proposta que muda as regras do Simples Nacional seja analisada logo após as eleições municipais. O primeiro turno acontecerá no dia 2 de outubro; nas cidades onde for necessário, o segundo turno ocorrerá em 30 de outubro.

Também após o pleito, os deputados devem discutir o projeto que acaba com a obrigatoriedade de a Petrobras ser operadora da exploração do pré-sal (PL 4567/16). Essa proposta é considerada prioritária pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e enfrenta resistência da oposição ao governo Temer.

Comentário

A palestra “Show de Atendimento ao Cliente”, com o renomado professor da FGV (Fundação Getúlio Vargas), André Ortiz, será nesta quinta-feira (15), às 19h, no Auditório Aced (Associação Comercial e Empresarial de Dourados). O encontro faz parte do Ciclo de Palestras “Mais Gestão”, realizado numa parceria entre Aced, Trecsson Business FGV e Taurus.

De ex-vendedor de jornal em feira a um dos melhores Professores de Gestão de Vendas e Marketing de Serviços do MBA da FGV, o palestrante André Ortiz tem experiência ampla na área de vendas e é reconhecido por sua atuação no setor. Ele é mestre em administração de empresas e acumula mais de 20 anos de experiência como executivo de vendas na Ambev, Claro, Nextel e Hsbc.

Sua atuação internacional inclui o Centre Montmartre em Quebec, no Canadá, onde palestrou sobre o mercado brasileiro. Ortiz ainda possui dezenas de DVDs e dois livros publicados na área de vendas. Criou quatro metodologias de ensino e já foi contratado por centenas de empresas para ministrar palestras.

Através do “Mais Gestão”, ele vai trazer o que há de mais atual na área de atendimento ao cliente e mostrar técnicas para lidar com tipos diferentes de clientes. O Ciclo de Palestras é voltado a empresários, gestores e demais profissionais interessados na temática. O objetivo é a melhoria contínua dos processos de Gestão através da abordagem de diversos temas.

Com este projeto, a Aced visa usar o know-how da FGV para trazer palestras gratuitas e de qualidade para fomentar o crescimento das empresas douradenses. Já a Trecsson Bussness FGV, aproxima os empresários da instrituição e ao mesmo tempo dá acesso à este público a informações estratégias para otimizar os empreendimentos.

As inscrições para assistir à palestra são gratuitas e podem ser feitas no portal da Trecsson Business, através deste endereço: http://www.trecsson.com.br/evento/mais-gestao-dourados-show-de-atendimento-ao-cliente . Mais informações no portal da Aced (www.aceddourados.com.br), na Fan Page (fb.com/aceddourados) ou ligue (67) 3416-8653.

Comentário

Além de promover ações de conscientização no trânsito, a Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) de Dourados está incentivando atividades físicas na Semana Nacional do Trânsito, que acontece a partir de domingo (18) até o dia 25 deste mês. Dia 24, às 15 horas, vai acontecer a “Pedalada Sou + um por um trânsito + seguro Dourados” e no dia 25, às 8 horas, “A Corrida Sou + um por trânsito + seguro”.

Os dois eventos terão ponto de partida na Praça Antônio João. As inscrições podem ser feitas até sexta-feira (16), através do site www.centraldacorrida.com.br .

De acordo com a Agetran, o objetivo é incentivar o maior número possível de participantes como forma de chamar a atenção para um trânsito mais seguro e ao mesmo tempo incentivar uma melhor qualidade de vida, através das práticas esportivas.

Quanto às ações para a Semana Nacional do Trânsito, a Agetran e demais parceiros estão finalizado a programação, que vai contar com blitzes educativas no centro da cidade para atingir pedestres, ciclistas, motociclistas e motoristas, além de palestras em escolas e empresas e a programação “Um dia sem meu carro”. Também haverá ações educativas nas rodovias federais e estaduais, com apoio de parceiros como a PME (Polícia Militar Estadual) e a PRF (Polícia Rodoviária Federal), além do Sest/Senat e da concessionária CCR MS Via.

Comentário

Uma nova decisão liminar do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) garantiu ao Uber o direito de seguir operando em Belo Horizonte sem sofrer atos que restrinjam ou impossibilitem a prestação do serviço. Os advogados do aplicativo alegaram que os motoristas parceiros vinham sendo repreendidos no exercício das atividades. A decisão do juiz Paulo de Tarso Tamburini, da última sexta-feira (9), foi disponibilizada ontem (12) no site do tribunal.

Desde janeiro, quando o prefeito Márcio Lacerda sancionou a Lei Municipal 10.900/2016, taxistas pressionam para que o Uber seja coibido pela Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans), estatal responsável por gerir a mobilidade urbana da capital mineira. No final do mês passado, diversos táxis ficaram estacionados na porta da prefeitura durante um protesto. No entanto, representantes do Poder Público municipal esclareceram que há várias liminares garantindo o funcionamento do aplicativo.

A Lei Municipal 10.900/2016 estabelece que aplicativos voltados para o transporte remunerado de passageiros só poderão operar na capital mineira se usarem mão de obra de motoristas autorizados pelo governo municipal. Isso significa que o Uber só poderia funcionar se seus condutores fossem taxistas credenciados. É o que já fazem outros aplicativos, como o 99Táxis e o Easy Táxi.

A nova legislação nunca foi cumprida de fato. Parceiros e usuários do Uber obtiveram diversas decisões judiciais que garantem a operação do serviço. Mas a liminar concedida pelo juiz Paulo de Tarso Tamburini traz uma novidade. É a primeira resultante de ação movida pelo próprio Uber. No processo, o Uber não se apresenta como uma empresa de transportes e sim como empresa de tecnologia que detém a propriedade intelectual do aplicativo que permite conectar motoristas e consumidores.

No entendimento do magistrado, a nova legislação se aplica somente ao transporte público, enquanto o Uber oferece um serviço de natureza privada que não necessita de credenciamento municipal. Ele chama a atenção para a Lei Federal 12.587/2012, que distingue os diversos modos de transporte urbano. O serviço de natureza privada é definido nessa legislação como "meio motorizado de transporte de passageiros utilizado para a realização de viagens individualizadas por intermédio de veículos particulares”.

Para Paulo de Tarso Tamburini, ações que coíbam o funcionamento do aplicativo configuram uma lesão ao direito constitucional de exercer, livremente, uma atividade econômica. "Não há que se falar em exigência de credenciamento, licenciamento ou autorização para que dois particulares, no livre exercício de sua autonomia da vontade, realizem contrato de transporte privado, mesmo que intermediado pelo aplicativo Uber", reitera o magistrado.

Procurada, a BHTrans disse que "não discute decisão judicial".

Comentário

Página 1433 de 1574

O Tempo Agora

Entre em Contato

Editor de conteúdo
Clóvis de Oliveira
Email: clovis@douranews.com.br

Rua Floriano Peixoto, 343
Jardim América – Dourados/MS
CEP 79803-050
Tel.: 67 3422-3014

WhatsApp 9 9913 8196

Telefones Úteis

Horários de Vôos | Horários de Ônibus