Menu
Buscarsábado, 18 de maio de 2024
(67) 99913-8196
Dourados
22°C
Agronegócio

Idenor destaca papel dos vereadores para a vinda da Coamo

07 dezembro 2016 - 16h56

A Câmara de Dourados participou ativamente das negociações que resultaram na definição da implantação do complexo industrial de R$ 650 milhões, lançado no Município para a produção de óleo bruto e farelo de soja e ainda óleo refinado embalado e pronto para o consumo, por parte da Coamo. Na manhã desta terça-feira (6), a cooperativa lançou a pedra fundamental do parque industrial, cujas obras começam em janeiro e ficam prontas no início de 2019. Mais uma vez os vereadores estavam presentes na solenidade.

O presidente da Câmara, Idenor Machado (PSDB), destacou, durante discurso, a importância da indústria para Dourados e lembrou da comitiva de vereadores que foi a Campo Mourão, sede da cooperativa no interior do Paraná, por ocasião da aprovação do investimento em assembleia. Inclusive os vereadores de Dourados tiveram direito à voz para falar das potencialidades do município e defender a implantação da indústria.

“Desde o início a Coamo sempre teve muita consideração pela Câmara de Dourados”, disse Idenor. Em retribuição ao investimento, de grande importância no desenvolvimento de Dourados, a Câmara concedeu ao engenheiro agrônomo José Aroldo Gallassini, presidente da cooperativa, o título de Amigo Honorário da Câmara Municipal de Dourados. O título foi entregue em sessão solene realizada na noite de segunda-feira (5).
Para Idenor Machado, a Coamo cresce porque tem trabalho, tem logística e tem muito boa gestão. “Que esta indústria possa trazer grandes benefícios para Dourados”, ressaltou o presidente.

Com o investimento de R$ 650 milhões serão construídas duas fábricas, uma esmagadora de soja para a produção de óleo bruto e farelo de soja e uma refinaria de óleo de soja. O produto já sairá de Dourados pronto para ser distribuído nos supermercados.

O complexo que fica na BR 163, ao lado do Posto da Capela, na saída para Caarapó, vai esmagar 3 mil toneladas de soja por dia e produzir 720 mil toneladas de óleo refinado por dia. O outro produto é o farelo de soja, que é utilizado na produção de ração.