Menu
Buscarquinta, 13 de junho de 2024
(67) 99913-8196
Dourados
32°C
unigran24
banner100
MS

Bancário compra iPhone de quase R$ 9 mil pela internet e recebe duas caixas de creme de leite

Expectativa e realidade: o consumidor relatou a surpresa e o susto ao ver que o produto de desejo não estava na caixa de entrega.

22 abril 2022 - 16h03Por G1/MS

Um bancário, que não quis se identificar, teve uma surpresa bem inusitada ao receber uma encomenda feita pela internet. Na hora que abriu a caixa, ao invés de encontrar um dos últimos lançamentos do iPhone - que pagou quase R$ 9 mil -, recebeu duas caixas de creme de leite. 

O bancário, de 51 anos, disse que estava esperando pelo aparelho e que a data da entrega nada tinha chegado. "Falaram que iam entregar em um determinado dia, não chegou. Eles me entregaram, nesta quarta-feira (20), peguei a caixa e achei estranho, estava pesado. Quando abri, vi que eram duas caixas de creme de leite".

O bancário, que teve que pedir um celular emprestado a um amigo, disse que o site onde realizou a compra resolveu o problema e que vai enviar o celular corretamente. "A empresa percebeu o erro, culpou a transportadora, e disse que vai enviar o aparelho correto. Eles se manifestaram rápido e disseram que vão dar outro aparelho".

A compra foi feita pelo site do Extra, que segundo o bancário, é de confiança. A vítima disse que já havia feito outras compras no mesmo local e que os produtos sempre chegaram como descritos. Antes de decidir pelo mais recém lançamento do iPhone, o bancário diz ter feito inúmeras pesquisas.

Constrangimento e risadas

A encomenda foi endereçada ao local de trabalho do bancário. Por lá, todos esperavam o iPhone novo do colega. "Todos estavam esperando, eu falei para todos que estava comprando um celular novo. Quando abri a caixa todos deram risada da minha situação, inclusive eu achei muito cômico", relembra a vítima com risadas.

"Assim que me deparei com as caixas de creme de leite, acionei o site. Eles confirmaram que a venda do celular não era terceirizada, então a responsabilidade seria completamente da empresa", mencionou.

Além das muitas risadas, o bancário relembrou do constrangimento que passou ao ver as caixas de creme de leite. "Eu dei muita risada e pensei: 'o que vou fazer?'. Acho que eu estava sem sorte. Não foi o fim do mundo, pois o problema foi resolvido, mas foi um choque", comentou em meio a várias gargalhadas.