Menu
Buscarsábado, 22 de junho de 2024
(67) 99913-8196
Dourados
27°C
unigran24
banner100
'Serial killer'

Pedreiro acumula mais de 95 anos após 6º júri

Réu confessou ter matado 7 pessoas

20 julho 2022 - 17h54Por g1/ms

Julgado pela 6ª vez, o pedreiro acusado de ser "serial killer", e que confessou ter assassinado sete pessoas em Campo Grande, foi condenado mais uma vez nesta quarta-feira (20). Cleber de Souza Carvalho, de 45 anos, recebeu mais 18 anos de prisão pela morte de José Jesus de Souza, acumulando mais de 95 anos de prisão.

O júri decidiu pela condenação do pedreiro por homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Conforme apresentado pela denúncia, Cleber e José teriam se desentendido enquanto cavavam uma fossa séptica, em um terreno baldio, em Campo Grande.

Depois da discussão, Cleber teria golpeado a cabeça de José com um objeto, o que teria ocasionado a morte. Após, o pedreiro ocultou o cadáver da vítima no terreno baldio.

Cleber entrou no júri, desta quarta, com a acusação do crime de estelionato, já que as investigações apontavam que o pedreiro teria se apossado de bens da vítima. Pelo crime de estelionato, o pedreiro foi absolvido.

Crimes

Somadas as penas do serial killer ultrapassam os 96 anos de reclusão. No dia 1º de fevereiro ele foi a júri pela primeira vez e acabou condenado a 15 anos de prisão por homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Depois disso, foi condenado a mais 18 anos e 15 anos, respectivamente.

No dia 8 de março, Cleber foi condenado a mais 15 anos de prisão pela morte de Claudionor Longo Xavier, de 47 anos.

Julgado pela 5ª vez, o pedreiro recebeu mais 18 anos e 6 meses de prisão pela morte do comerciante José Leonel Fernandes dos Santos.

O pedreiro já foi condenado por um homicídio ocorrido em 2008, pelo assassinato de Timóteo Pontes Roman, um colega que o devia R$ 3 mil e também pela morte do primo, em 2015.