Menu
Buscarsábado, 22 de junho de 2024
(67) 99913-8196
Dourados
29°C
unigran24
banner100
A vítima deixou 6 filhos

Suspeito de feminicídio de esposa é preso tentando fugir

Fabiano Querino dos Santos foi preso a 90 km de Campo Grande, em Ribas do Rio Pardo (MS). O suspeito deve ser levado para Delegacia Especializada ao Atendimento às Mulheres (DEAM).

18 março 2022 - 15h52Por g1

Fabiano Querino dos Santos, de 35 anos, suspeito de matar a esposa Eloisa Rodrigues de Oliveira, de 36 anos, foi preso tentando fugir em Ribas do Rio Pardo (MS), nesta sexta-feira (18). A vítima de feminicídio deixou 6 filhos que têm entre 2 e 16 anos. Eloisa é a 11ª vítima de feminicídio em Mato Grosso do Sul em 2022.

Após a morte de Eloisa, a delegacia de Ribas do Rio Pardo recebeu inúmera denúncias anônimas de que o suspeito teria ido para a cidade. A partir das informações, a polícia do município passou a monitorar a residência onde o suspeito utilizou para se esconder.

"Depois de vários trabalhos investigativos e de inteligência policial, confirmando que o indivíduo da casa monitorada tratava-se daquele envolvido no feminicídio da capital, policiais civis fecharam o local, realizaram a incursão e lhe deram voz de prisão", detalha a nota da Polícia Civil de Ribas do Rio Pardo.

Fabiano foi encaminhado para Campo Grande e deve ser levado para a Delegacia Especializada ao Atendimento às Mulheres (DEAM).

Entenda o caso

Eloisa era mãe de seis filhos e morreu, na tarde de ontem (17), na Santa Casa de Campo Grande, após ser esfaqueada pelo ex-marido na noite de quarta-feira (16) no Bairro Parque do Lageado.

A Santa Casa confirmou o óbito e disse que a vítima chegou com perfurações na região abdominal, além do lábio inferior. Eloisa passou por cirurgia de urgência, devido a gravidade dos ferimentos. Por volta das 12h15 de quinta-feira (17), a paciente sofreu uma parada cardiorrespiratória e não resistiu.

De acordo com o boletim de ocorrência, quando os policiais chegaram ao local do crime, a vítima estava sentada em banco na frente de sua casa ao lado de uma vizinha que segurava um pano para estancar os ferimentos de perfurações. A vítima foi esfaqueada pelo menos quatro vezes na região do abdômen pelo companheiro que fugiu em seguida.

O caso foi registrado na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), em Campo Grande. Inicialmente, foi registrado como lesão corporal dolosa, mas agora com a morte da vítima, será investigado como feminicídio.