Menu
Buscarsábado, 15 de junho de 2024
(67) 99913-8196
Dourados
25°C
unigran24
banner100
Dourados

Homem que fez crimes para ficar com namorado é preso

Aos 39 anos, ele cometeu furtos, dano ao patrimônio ao público e pediu 'pelo amor de Deus' para ser preso. Tudo porque o parceiro dele está na cadeia.

14 abril 2022 - 09h49Por G1/MS

A confissão, os antecedentes criminais, a garantia da ordem pública e da aplicação da lei penal levaram ao decreto de prisão preventiva do homem de 39 anos, que contou ter cometido furtos e dano ao patrimônio público para ficar com o namorado presidiário em Dourados.

O homem foi preso na terça-feira (12) após ter feito dois furtos e quebrado sanitário do banheiro que fica na praça Antônio João, a principal do município. Segundo a polícia, após a série de crimes ele 'ficou esperando' para ser preso, sendo levado pela Guarda Municipal à Delegacia de Polícia Civil.

Ao ser levado para a delegacia, ele implorou para o delegado que acompanhou o caso, Gabriel Desterro, para não ser solto.

Ao ser autuado em flagrante, o homem implorou para não ser solto. “Me prende pelo amor de Deus, sem ele nada faz sentido”, disse ao delegado Gabriel Desterro. Ele também falou que "se fosse solto, iria matar alguém para ser preso e poder falar com um juiz".

Na quarta-feira (13), o homem passou por audiência de custódia. O juiz Alberto de Moura Filho definiu pela prisão preventiva. A Defensoria Pública havia pedido medidas cautelares.

Para a prisão preventiva, o magistrado argumentou que "não deixam dúvidas os crimes praticados por ele", a garantia da ordem pública, o fato dele ter antecedentes por crimes semelhantes e para assegurar futura aplicação da lei penal, tendo em vista que o suspeito não tem residência fixa e nem ocupação lícita.

Não consta na justificativa do decreto de prisão o pedido do próprio suspeito e a relação amorosa dele com outro detento.

Até esta quarta-feira (13), o suspeito ainda estava em uma das celas da delegacia. Com o decreto de preventiva, ele deve ir para o presídio. A Agência Estadual de Administração Penitenciária (Agepen) ainda não informou se o casal poderá ficar na mesma cela.

Deixe seu Comentário

Leia Também