Menu
Buscarquinta, 13 de junho de 2024
(67) 99913-8196
Dourados
32°C
unigran24
banner100
INOVAÇÃO

Territórios da Agricultura em Dourados

Projeto da Evoluir, viabilizado pela Lei de Incentivo e Cultura, é patrocinado pela Bayer

01 abril 2022 - 10h25Por Redação Douranews

Utilizar o cultivo de alimentos como caminho para fomentar novas soluções para o desenvolvimento econômico, social e sustentável das comunidades. Esse é o objetivo do projeto Territórios da Agricultura, que começa este mês em Dourados, desenvolvido pela Evoluir, com apoio da Bayer. A iniciativa envolverá 40 integrantes do EcoAgris (projeto de extensão da Universidade Federal de Grande Dourados), da Rede Integrada de Hortas Urbanas (RIHU) e do Instituto de Meio Ambiente e Desenvolvimento (IMAD), além de outros atores do território, como representantes de aldeias indígenas locais. As atividades incluem o mapeamento do cenário de agricultura no município e a implementação de um plano para contribuir com o ecossistema local de produção de alimentos. Ao final da jornada educativa, prevista para durar sete meses, será promovida uma exposição audiovisual aberta ao público, para apresentar os resultados e aprendizados do programa.

O Territórios da Agricultura dá atenção especial à Agricultura Familiar e à Agricultura Urbana e Periurbana (AUP), reconhecendo a relevância econômica, ambiental, social e cultural destas duas modalidades em cada território. Enquanto a primeira tem um papel fundamental na produção de alimentos no meio rural, fornecendo a maior parte do que é consumido pelos brasileiros, a segunda vem crescendo enquanto movimento e democratizando a agricultura dentro e nas bordas das cidades, trazendo benefícios significativos para suas comunidades para além da alimentação. Neste contexto, a metodologia utilizada no projeto convoca os participantes a serem protagonistas no desenho de soluções para sua comunidade, com foco na mobilização coletiva e na geração sustentável de renda.

“O projeto está estruturado em uma jornada com cinco etapas: formação do grupo, mapeamento e diagnóstico territorial, definição de situação-problema, co-criação de soluções e comunicação das iniciativas”, explica a coordenadora de projetos da Evoluir, Mariana Moferdini. “Sua metodologia se inspira na Teoria U, de Otto Scharmer, que destaca a condução coletiva de inovação e mudanças sociais profundas por meio dos movimentos de co-iniciar, co-sentir, co-presenciar, cocriar e co-desenvolver”, descreve. “Ao longo de 40 horas de formação, os participantes trabalham capacidades como autogestão, atuação em equipe, liderança, conhecimentos sobre os agrossistemas e a cultura do campo, construção coletiva de saberes, mapeamento e diagnóstico territorial, condução de pesquisas coletivas e entrevistas, técnicas e abordagens para produção fotográfica e audiovisual, registro e sistematização de informações, implementação de protótipos, entre outros”.

Mariana ressalta ainda que o Territórios da Agricultura trabalha em uma perspectiva sistêmica, integrando diversos temas e atores, permitindo assim integrar diversos movimentos, alinhando as ações com alguns dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) na Agenda 2030 da ONU: erradicação da pobreza (1), fome zero e agricultura sustentável (2), saúde e bem-estar (3), educação de qualidade (4), trabalho decente e crescimento econômico (8), cidades e comunidades sustentáveis (11), consumo e produção responsáveis (12) e parcerias e meios de implementação (17). “Seu grande propósito é mobilizar e reunir diversos atores da comunidade local, promovendo diálogo com temáticas transversais à agricultura e contribuindo para o desenvolvimento sistêmico do território”, conclui.

Jaime Oliveira, diretor de Assuntos Governamentais e Sustentabilidade da Bayer Brasil, complementa que a iniciativa busca contribuir para o desenvolvimento econômico, social e ambiental de comunidades locais. “O projeto está diretamente conectado com o propósito de colaboração da companhia. Acreditamos que o melhor caminho para resolver os grandes desafios da nossa sociedade é feito a partir da co-criação. Afinal, se cada um cuidar do seu entorno, fizer sua parte e se unir em prol do meio ambiente, podemos efetivamente melhorar o planeta e contribuir para o desenvolvimento cada vez mais sustentável”, afirma Jaime.

Deixe seu Comentário

Leia Também