Menu
Buscarsexta, 24 de maio de 2024
(67) 99913-8196
Dourados
19°C
cmd nao
TECNOLOGIA NA EDUCAÇÃO

IFMS utiliza podcasts como ferramentas de aprendizagem para estudantes

Iniciativas ajudam na formação e nas escolhas profissionais

15 maio 2024 - 14h16Por Redação Douranews

Quem vê a foto da jovem Camila Morais com a cidade de Natal (RN) como cenário nem imagina que ela está lá por causa das experiências que viveu no Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS).

“Eu me interessei pelo projeto [do podcast] e me descobri! Agora, na faculdade, você cria uma experiência anterior que outras pessoas ainda não têm. Então isso é muito, muito, muito bom”, comenta Camila Morais, egressa do Campus Naviraí e hoje acadêmica de Comunicação
Acadêmica do curso de Comunicação Social - Audiovisual da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Camila foi uma das primeiras estudantes do Campus Naviraí a participar de uma iniciativa inovadora: a produção de podcasts como instrumento de ensino e de transmissão de informações para a comunidade.

A experiência na produção do 'Pod Isso no IF' marcou a trajetória acadêmica de Camila, que no IFMS cursou o técnico integrado em Informática para Internet, e reforçou suas decisões sobre o futuro profissional.

“Eu me interessei pelo projeto e me descobri! Descobri o curso que eu queria. Veio como a faca e o queijo na mão já pra eu poder ‘ingressar’ no curso que comecei a me interessar ali, no terceiro ano do ensino médio. Agora, na faculdade, você cria uma experiência anterior que outras pessoas ainda não têm. Então isso é muito, muito, muito bom”, comenta efusivamente.

A egressa do curso técnico em Informática do Campus Jardim, Ana Carla de Souza e Silva, traçou uma trajetória parecida no podcast 'Inflow'. “Eu já gostava de algumas coisas relacionadas ao jornalismo, e com o 'Inflow' percebi a facilidade que eu tinha em fazer as entrevistas e gravar os episódios”, explica. 

“Eu já gostava de algumas coisas relacionadas ao jornalismo, e com o 'Inflow' [podcast] percebi a facilidade que eu tinha em fazer as entrevistas e gravar os episódios”, explica Ana Carla de Souza e Silva, egressa do Campus Jardim e hoje acadêmica de Jornalismo na UFMS
Ana Carla conta que as dificuldades nos episódios fizeram com que ela ganhasse segurança, tanto na escolha profissional quanto na capacidade de superar desafios.

“Teve uma entrevista que era para ser em dupla, porém nenhum dos outros integrantes teve tempo para participar. Então, eu tive que fazer sozinha. O entrevistado respondia uma pergunta e a próxima na mesma resposta. Por isso, eu tive que mudar o roteiro muito rápido para não ficar repetitivo e ir adicionando novas perguntas. A entrevista ficou muito boa e foi um baita desafio pra mim, que me marcou bastante”, relembra.

Atualmente, Ana Carla é acadêmica do curso de Jornalismo da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) e atua como estagiária na Fertel (Fundação Estadual Jornalista Luiz Chagas de Rádio e TV Educativa de Mato Grosso do Sul), justamente ajudando na produção de um programa que também tem um podcast no Spotify.

“O podcast sem dúvidas foi muito importante para eu perceber que era boa em entrevistas e gostava desses desafios. Na faculdade isso me ajuda”, conclui.

E a transmissão continua… Em Naviraí, a estudante Letícia Trindade, que faz o quarto semestre do curso técnico em Informática para Internet, segue o mesmo caminho. A jovem é da nova geração do 'Pod isso no IF' e está encantada com a ideia de fazer comunicação. Atualmente, ela cuida das mídias sociais do programa e já pensa em como o aprendizado vai ajudá-la no futuro profissional.

"Gosto da ideia de poder ajudar as pessoas. O projeto [do podcast] me ajuda nisso e eu quero cursar Psicologia, uma área que temos que ser mais comunicativos mesmo”, pontua Letícia Trindade, estudante do Campus Naviraí e participante do 'Pod isso no IF'
“Acredito que sou muito expressiva e comunicativa, e gosto da ideia de poder ajudar as pessoas. O projeto me ajuda nisso e eu quero cursar Psicologia, uma área que temos que ser mais comunicativos mesmo”, pontua Letícia.

Aprendizado em foco - Para os docentes que coordenam os projetos de ensino, o aprendizado vivenciado pelos estudantes, a possibilidade de divulgar as ações do campus e as experiências adquiridas por toda a equipe são os principais ganhos com os podcasts.

Segundo o professor Diego Barros e Silva, atual coordenador da iniciativa em Naviraí, o projeto começou como uma gravação apenas em áudio e evoluiu para um 'mesa cast', promovendo projetos de extensão, pesquisa e ensino, e gerando visibilidade e transparência na comunicação.

“O projeto surgiu em Corumbá, com o professor Leandro Stephan. Quando ele saiu de lá, eu assumi e quando vim para Naviraí decidi transformar no 'mesa cast'. Corri atrás dos equipamentos, fizemos a licitação do IF Studio. E essa iniciativa sempre teve como base fomentar projetos de extensão, pesquisa e ensino, dando publicidade a eles, além de dar espaço para a comunidade, com professores e técnicos falando um pouco da vida deles”.

De acordo com Barros e Silva, o podcast tem transformado a vida de estudantes, agregando conhecimento e oportunidades.

“Muitos dos nossos alunos que participaram do projeto conseguiram entrar nessa linha de trabalho nas faculdades. Alguns foram fazer publicidade, e outros foram contratados pela TV local", comenta Diego Barros e Silva, coordenador do 'Pod isso no IF' em Naviraí. 
“Muitos dos nossos alunos que participaram do projeto conseguiram entrar nessa linha de trabalho nas faculdades. Alguns foram fazer publicidade, e outros foram contratados pela TV local”, comenta. 

Com renovação anual da equipe, a seleção dos estudantes para o projeto é baseada em afinidade e interesse, sendo que alguns têm se interessado em participar mesmo sem bolsa. “E a gente tenta encaixar eles da melhor forma possível”, finaliza. 

Em Jardim, o projeto surgiu durante a pandemia de Covid-19, quando as atividades de ensino presenciais estavam suspensas, como um desdobramento das aulas de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira, segundo o professor Joel Ferreira, coordenador do projeto.

“Primeiro foi uma tentativa de acerto e erro quando comecei a gravar podcast e postar no Ava Moodle [plataforma de ensino] para explicar as atividades no contexto de aulas remotas. Aí, um grupo de estudantes deu a ideia de gravar um podcast para trazer informações no contexto de pandemia”, relata. 

O docente explica como as informações divulgadas são selecionadas.

"Os projetos colaboram com a produção escrita, a argumentação e a fala, e ainda ampliam o repertório e estimulam o trabalho em grupo, contribuindo para uma formação ampla do estudante", explica  Joel Ferreira, coordenador do projeto em Jardim.
“A cada ano mudamos a linha editorial, mas basicamente a ideia é trazer informações aos estudantes sobre o IF, principalmente aos que estão iniciando, explicando siglas, informações, setores e editais”, destaca.

Joel acrescenta que, por ser um projeto multidisciplinar, a produção de podcasts trabalha as habilidades de comunicação, o senso de equipe, a colaboração e o uso das tecnologias. 

“O e-mail institucional e suas ferramentas são amplamente utilizados, o Google Docs para roteiros colaborativos e relatórios, o Google Drive para armazenar materiais, e o Google Fotos para acervo fotográfico. Os estudantes de Informática utilizam os conhecimentos da área, como edição de vídeos e postagens nas redes sociais. Ou seja, os projetos colaboram com a produção escrita, a argumentação e a fala, e ainda ampliam o repertório com o uso das TICs [Tecnologias da Informação e da Comunicação] e estimulam o trabalho em grupo, contribuindo para uma formação ampla do estudante”, finaliza.