Menu
Buscarterça, 16 de julho de 2024
(67) 99913-8196
Dourados
10°C
Em destaque

Plano do PCC de ataques na Capital é descoberto em celular de integrante

06 janeiro 2017 - 12h49Por Laura Holsback

Suposto plano de ataque criminoso, em Campo Grande, foi descoberto em aparelho celular de homem que seria integrante da facção Primeiro Comando da Capital (PCC). O caso veio à tona na noite de ontem, quando guardas municipais verificavam denúncia de tráfico de drogas, em hotel que fica na Rua dos Barbosas, no Bairro Amambai.

O caso acontece em meio a dezenas de mortes que vêm ocorrendo desde o começo do ano, em rebeliões, dentro de presídios brasileiros, por rivalidade entre facções criminosas.

De acordo com Boletim de Ocorrência, guardas foram ao endereço depois de receberem informação de que uma hóspede, de 26 anos, comercializava drogas.

A suspeita já estava identificada e foi encontrada em um dos quartos. A princípio, a mulher negou a prática do crime, mas guardas encontraram meio tablete de maconha no forno de fogão que havia no quarto. A jovem confessou que o entorpecente pertencia a um rapaz que chegava ao hotel quando guardas saíam. Com ele havia porções de crack. O casal foi preso em flagrante.

Plano de ataque

Conforme registro policial, próximo do local foi abordado motociclista o qual a polícia investiga se tem relação com a dupla de traficantes.

Além de conduzir a moto sem Carteira Nacional de Habilitação (CNH), o homem diz fazer parte do PCC e já esteve preso por assassinato de um bombeiro, em 2012. No telefone celular dele havia mensagens com suposto plano de ataques criminosos da Capital.

O conteúdo não foi divulgado pela polícia. O suspeito foi levado para prestar depoimento e o caso é investigado na Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado (Deco).  

Rebeliões

Briga entre facções criminosas tem originado rebeliões em presídios do país. No primeiro dia do ano, 60 presos morreram em Manaus e 184 fugiram. Na madrugada de hoje, 30 detentos foram assassinados em outro episódio de violência na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, a maior de Roraima. 

Deixe seu Comentário

Leia Também