Menu
Buscarquinta, 18 de abril de 2024
(67) 99913-8196
Dourados
20°C
Mundo

Relato brasileiro: Japão despeja yens para se recuperar da crise

21 março 2011 - 13h45Por Redação Douranews

Veja aqui novo relato de um douradense que reside no Japão sobre as ações que estão, e costumam ser adotadas pelo Governo japonês, para se recuperar dos momentos de crise:

"Na crise de 2008, o Japão, após 57 anos sem saber o que era crise, foi afetado em questão de 4 meses, bruscamente, parando fábricas, aumentando o desemprego, afetando em muito os brasileiros residentes.  De imediato, a maioria dos trabalhadores brasileiros entrou no seguro desemprego, garantia de 3 meses de salário, que mais tarde foi estendido por mais 3 meses.

E, no ano de 2009, o governo lançou o programa de Volta forçada, dando a cada brasileiro que quisesse voltar 3.750 dólares. No início quem usasse o programa teria automaticamente cancelada a sua reentrada no Japão. Após muita reclamação, ficou decidido que depois de 3 anos fora o brasileiro poderia requerer de volta o retorno ao Japão.

No ano de 2009, também, foi lançado o programa de ajuda aos estrangeiros pelo governo, pois muitos que estavam recebendo o seguro desemprego estavam morando em apartamentos das empreiteiras, e as empreiteiras tinham que devolver aos proprietários. Então, o governo liberou para cada família 12.500 dólares para que fosse possível alugar apartamentos para morar e nisso as imobiliárias japonesas, muitas delas que não alugavam para estrangeiros, descobriram um filé e começaram a procurar os estrangeiros, pois esses inquilinos tinham a garantia do governo de que o aluguel seria pago. A condição para requerer essa ajuda era de que não tivesse nada em seu nome, nem carro, e nem dinheiro na conta.

Ainda no ano de 2009, o governo simplesmente deu para cada pessoa a quantia de 275 dólares, creditados na conta, para gastar no comércio, pois os japoneses na crise não estavam gastando e nem comprando nada, o yen não circulava. Os estrangeiros que moravam no país também receberam essa ajuda.

E, no ano de 2010, o Ministério do Trabalho passou a chamar todo mundo que estava no programa do seguro desemprego, e oferecia empregos, mas muitos estrangeiros não dominavam a lingua japonesa e não preenchiam os quesitos necessários, então o Ministério criou programa para aperfeiçoar e profissionalizar todos os estrangeiros, instituiu aulas para aprender a lingua japonesa e, para o entrangeiro que entrava no programa para aprender a lingua, o governo liberava 1.500 dólares para casados e 1.250 para solteiros por mês. Esse programa está ainda em atividade, tem muitos brasileiros inscritos, hoje recebendo o seguro desemprego que gira em torno de 1.500 a 2.250 dólares por mês, mais a verba das aulas, um total de 3.000 dólares por mês. É melhor que trabalhar, e o que muitos dizem é que essas aulas profissionalizantes são ministradas e dadas por empresas particulares que ganham mais outro tanto do governo.

E agora fico imaginando a ajuda que o governo vai lançar para os afetados no terremoto. Já estão dizendo que o governo vai repor as perdas, no programa de reconstrução, dos bens materiais, em créditos especiais, em juros subsidiados, em programas de readaptação com liberação de dinheiro. Só sei que muitos yens já estão sendo injetados no mercado.

Abraços
Gerson Kaneta"