Menu
Buscarterça, 07 de dezembro de 2021
(67) 99913-8196
Dourados
35°max
22°min
unigran topo
whats
Cultura

Dourados representa literatura do MS no Mercosul

31 maio 2016 - 15h16Por Redação Douranews

A ADL (Academia Douradense de Letras) participou, representando a literatura de Mato Grosso do Sul, do XII Encontro de Escritores do Mercosul, IX Congresso Internacional de Educação Intercultural e Literatura Contemporânea e do VI Encontro de Produtores Culturais do Mercosul, eventos realizados entre os dias 20 a 22 no município de Hernandarias, Alto Paraná, República do Paraguai, departamento de Alto Paraná, sob o tema “A Arte de Viver da Arte”.

O evento teve o apoio do município de Hernandarias, da SEP (Sociedade de Escritores do Paraguai), Sadem (Sociedad Argentina de Escritores – Filial Misiones), da Academia Douradense de Letras, do Cilam (Centro de Integração Latinoamericna), dos Escritibas na Rua, do CEL (Centro de Escritores Lourencianos), e de Eduardo Galeano & Cia Ltda Integração Mercosul.

CONGRESO MERCOSUL PY HERNANDARIAS

Congresso do Mercosul realizado na cidade de Hernandarias, no Paraguai

Este momento foi dirigido para secretários de cultura e educação, líderes de instituições culturais e educativas, escritores, poetas, escultores, artesãos, produtores culturais, professores, estudantes, compositores, cantores, músicos, historiadores e convidados especiais.

A presidente da Academia Douradense de Letras Ivone Macieski e o vice-presidente da ADL, o escritor e poeta Marcos Coelho, participaram com dissertações e ainda foram lançados os livros dos escritores da ADL Ivone Macieski, Marcos Coelho, Ruth Hellmann (representada por Aurineide Alencar) e Aurineide Alencar.

Os Encontros de Escritores do Mercosul acontecem desde 1995. O Encontro de Escritores Mercosul no Paraguai foi realizado em Hernandarias PY pela primeira vez. “Foi um evento muito importante de permuta de obras literárias, apresentação de trabalhos e interesses de cunho cultural, com muita riqueza e integração entre os países latino americanos e do Mercosul”, afirmaram os douradenses que representaram a cultura sul-mato-grossense.