Menu
Buscarsábado, 13 de abril de 2024
(67) 99913-8196
Dourados
25°C
Última Notícia

Em 3 meses, casos de dengue no Rio superam soma de 2009 e 2010

23 março 2011 - 12h40Por Redação Douranews, com Folha

Já são 8.315 casos de dengue confirmados na cidade do Rio de Janeiro, contra 5.843 na soma dos dois anos anteriores --3.120 em 2010 e 2.723 em 2009.

Na segunda-feira (21) à noite, a menina Maria Clara Silva Martins, 1 ano e 9 meses, morreu vítima de dengue hemorrágica. Ela estava internada no hospital particular Cemeru, em Santa Cruz, na zona oeste do Rio desde domingo.

No sábado (19), um bebê de quatro meses também morreu de dengue hemorrágica. Os sintomas da doença começaram a se manifestar na terça-feira passada. Inicialmente, o quadro diagnosticado pelos médicos foi de virose. No dia seguinte, o bebê piorou, foi internado, mas não resistiu.

Nas oito primeiras semanas do ano no Estado do Rio, os casos saltaram de 3.317 em 2010 para 14.960 em 2011, uma variação de 351%. A incidência por 100 mil habitantes passou de 20,7 para 93,4. Foram registradas 762 suspeitas de casos graves, 19 mortes suspeitas, 10 em investigação, 8 confirmadas e uma descartada.

CASOS NO PAÍS

O Ministério da Saúde informou que, até o último dia 26 de fevereiro, foram notificados 155.613 casos em todo o país. O número corresponde a uma redução de 37% em relação ao mesmo período do ano passado. Do total de notificações, 2.365 são de casos graves e 241, de óbitos suspeitos.

Nas primeiras oito semanas do ano, o número de casos notificados no Amazonas chegou a 19.951, um crescimento de 2.258% em relação ao mesmo período de 2010, quando foram registrados 846 casos. Na Bahia, o aumento foi de 16%.

Os sintomas dos quatro sorotipos de dengue são os mesmos: dor de cabeça, dores no corpo e nas articulações, febre, dor atrás dos olhos e diarréia. Quem já foi infectado pelos tipos 1, 2 e 3 da doença pode ser infectado pelo tipo 4.

Segundo dados do Ministério da Saúde, 82% dos casos que foram submetidos a um processo para detectar a variação da doença eram do tipo 1. Já o tipo 4 correspondeu a 5,4% dos casos nos Estados de Roraima, Amazonas e Pará.

Deixe seu Comentário

Leia Também