Menu
Buscarsexta, 01 de março de 2024
(67) 99913-8196
Dourados
32°C
Geral

Luisa Stefani perde para japonesas e fica com o vice nas duplas em Abu Dabi

13 janeiro 2021 - 18h40

A brasileira Luisa Stefani ficou no quase no primeiro torneio de 2021. Nesta quarta-feira, a tenista paulista e a americana Hayley Carter ficaram com o vice no Torneio de Abu Dabi, um WTA 500 disputado nos Emirados Árabes Unidos, após serem derrotadas na final pelas japonesas Shuko Ayoama e Ena Shibahara por 2 sets a 0 - com parciais de 7/6 (7/5) e 6/4, depois de 1 horas e 38 minutos de confronto. Apesar da derrota, Stefani pode comemorar a boa campanha desta semana. Com o vice-campeonato, ela deverá entrar para o Top 30 pela primeira vez, ganhando duas colocações e aparecendo na 30.ª no próximo ranking individual de duplas da WTA. Ela e Carter conquistaram 305 pontos e vão dividir um prêmio de mais de US$ 13 mil (mais de R$ 69 mil). "Jogo foi bom, jogamos bem principalmente no primeiro set. Foi bem no detalhe. Elas jogaram melhor nos pontos importantes, no tie-break. No segundo set estávamos no 2/0, tivemos algumas chances de ficarmos acima, mas ela voltaram bem. Elas foram inteligentes no saque e isso fez a diferença", disse Stefani, que comemorou o bom desempenho logo na primeira semana do ano. "No geral foi uma boa semana, foram cinco ótimos jogos contra boas jogadoras. Além de ganhar, a intenção era colocar em prática o que vinha treinando na pré-temporada e foi atingido pois nos colocamos em posição para vencer o torneio. Teremos agora duas semanas diferentes de quarentena na Austrália, menos tempo em quadra, super bom que nessa semana conseguimos jogar muitos jogos, treinar com duplas diferentes, conseguir esse ritmo", afirmou. Stefani deverá subir três posições no ranking individual de duplas da WTA e estrear no Top 30 como a 30.ª do mundo. Será a primeira brasileira desde o final de 1976 a estar no grupo. A melhor brasileira no ranking oficial com registro da WTA foi Maria Esther Bueno, que ocupou o 29.º posto em dezembro de 1976. Ela teve seu auge na década de 60 com múltiplos títulos de Grand Slams em simples e duplas quando o tênis feminino ainda não tinha um registro de ranking oficial, que foi estabelecido em 1975. Esta foi a sexta final de Stefani na carreira. Ela foi campeã nos WTAs de Taskent, no Usbequistão, em 2019, e em Lexington, nos Estados Unidos, em agosto passado, ambos com Carter. Foi vice em Seul, na Coreia do Sul, em 2019, e em Estrasburgo, na França, também com Carter, e vice em Ostrava, na República Checa, com a canadense Gabriela Dabrowski, em 2020. "Show alcançar o Top 30 pela primeira vez. Sempre acredito que o ranking é uma consequência dos resultados e resultados vêm com o treino e trabalho duro. É mais um passo no caminho certo, mais um degrau onde quero chegar que são as Olimpíadas, então acho que o mais gratificante é ver a melhora, o trabalho dando frutos. E acreditar no jogo em si que o ranking virá como consequência. Bem legal começar o ano assim com uma final e o pé direito", disse Stefani. Na chave de simples, a bielo-russa Aryna Sabalenka começou a temporada de 2021 como terminou a anterior: conquistando título. Nesta quarta-feira, ela chegou à sua 15.ª vitória consecutiva, bateu a russa Veronika Kudermetova com um duplo 6/2 e levantou a sua terceira taça seguida. Campeã em Linz (Áustria) e Ostrava, na reta final do ano passado, a tenista de 22 anos irá alcançar o seu melhor ranking com a conquista em Abu Dabi. Atual número 10 do mundo, ela deverá ganhar três colocações e vai aparecer no sétimo lugar no próximo ranking, superando em dois lugares a marca mais alta até então. MASCULINO - A decisão do ATP 250 de Antalya, na Turquia, durou pouco nesta quarta-feira - o primeiro campeão da nova temporada foi conhecido depois de apenas sete minutos e meio. Melhor para o australiano Alex de Minaur, que contou com a desistência do casaque Alexander Bublik quando vencia o primeiro set por 2/0. "Torci meu tornozelo ontem (terça-feira) e consegui terminar o jogo por causa da adrenalina do momento. Tive muita sorte em vencer aquele jogo. Passei depois pela fisioterapia, fiquei três horas lá e tentei estar pronto para jogar hoje. Foi duro para mim nesta terceira final de ATP que joguei e mais uma vez fui derrotado", contou Bublik. A desistência do casaque de 23 anos veio logo após levar a quebra no segundo game. Ele venceu dois dos 12 pontos disputados na curta partida e acabou amargando o seu terceiro vice-campeonato, se juntando aos de Chengdu (China) e Newport (Estados Unidos), ambos em 2019, ano em que De Minaur havia conquistado o último dos agora quatro títulos da carreira.

Deixe seu Comentário

Leia Também