Menu
Buscarsegunda, 27 de maio de 2024
(67) 99913-8196
Dourados
13°C
Empresas

Ministério pede prazo para se posicionar sobre maior frigorífico de peixes do mundo

11 novembro 2016 - 13h53

Reunião entre técnicos do Ministério da Agricultura, da Secretaria Especial de Pesca e Aquicultura, deputado estadual Eduardo Rocha (PMDB) e senadora Simone Tebet (PMDB) hoje resultou em prazo de 40 dias para novo posicionamento sobre licenciamento de instalação de frigorífico de tilápia em Selvíria.

O empreendimento, quando for instalado, será o maior do mundo na área. Licença prévia autorizou a instalação de 821 tanques no Rio Paraná. A expectativa é que a Tilabrás Aquacultura Ltda produza 100 mil toneladas de peixe por ano, com faturamento previsto de R$ 1 bilhão/ano, depois de investimento de R$ 150 milhões na criação e produção do pescado. A geração de emprego diretos é indicada como de 800 vagas.

O Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul) autorizou, há um ano, a instalação dos tanques. Agora, para a construção do frigorífico, é preciso autorização do Ministério da Agricultura.

O deputado e a senadora, que tem como base a região do Bolsão, onde está localizado Selvíria, foram ouvir dos técnicos da pasta em que estágio está a tramitação da licença e tentar resolver pendências burocráticas.

O retorno dado, ao fim do encontro, é que serão precisos mais 40 dias (meados de dezembro) para que o Ministério da Agricultura divulgue posicionamento oficial desse licenciamento. A assessoria do deputado Eduardo Rocha divulgou que o parlamentar está otimista e com expectativa positiva depois dessa reunião.

A Tilabrás foi criada a partir da parceria de uma empresa brasileira (Axial Holding) com outra norte-americana (Regal Springs) e tinha aprovação do governo federal e do extinto Ministério da Aquicultura e Pesca, ainda no mandato da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

A planta que se pretende montar em Selvíria é para produção de farinha de óleo de peixe, ração e o próprio pescado para consumo. O mercado que a empresa busca é Brasil, Estados Unidos, Europa, Japão, Mercosul e China.

Deixe seu Comentário

Leia Também