Menu
Buscarsábado, 25 de junho de 2022
(67) 99913-8196
°max
°min
unigran topo
OPERAÇÃO

Advogado preso seria estagiário da Justiça Federal

Polícia investiga envolvidos em corrupção com juízes federais

20 maio 2022 - 18h09Por Redação Douranews

A Polícia Federal prendeu um advogado em Dourados durante a Operação Skiagraphia, deflagrada na manhã desta sexta-feira (20), com o objetivo de desmantelar esquema de corrupção com indícios de atuação de juízes federais, advogados, empresários e servidores públicos. O comando da operação funcionou em Fortaleza. 

Cerca de 90 policiais federais cumpriram 19 mandados de busca e apreensão, expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 5ª Região, em domicílios investigados nas cidades de Fortaleza, Brasília, São Paulo, Recife e em Dourados, onde o advogado preso seria um profissional de outra cidade que estaria estagiando no Município.

As investigações tiveram início no ano de 2019, a partir de notícia da Procuradoria da Fazenda Nacional, e apontaram indícios de participação de magistrados, advogados e empresários devedores do Fisco Federal em ações em curso na Justiça Federal entre os anos de 2012 a 2016 e que resultaram em prejuízo bilionário aos cofres da União.

Foram investigadas suspeitas de ilicitudes na condução de processos de execuções fiscais dos grandes devedores da União; vínculos suspeitos entre magistrados e advogados; fluxo financeiro suspeito; falsificação documental com simulação de intimações da União, com prejuízo à Fazenda Nacional em benefício de empresários.

O nome da operação remete à técnica de pintura “shadow painting”, em que se busca dar a ilusão de profundidade pelo contraste entre sombra e luz. Com isso, os investigados simulavam estar à luz do caminho público, mas na verdade se encontravam às sombras da lei.

Desdobramento

Em nota oficial no meio da tarde, a PF informou que a equipe policial que cumpriu Mandado de Busca e Apreensão em escritório de advocacia em São Paulo apreendeu o valor de R$ 930 mil em espécie, com suspeitas de origem ilícita, sendo providenciado depósito bancário à disposição do Tribunal Regional Federal da 5ª Região. A investigação continua para apurar a procedência desses valores apreendidos e o vínculo com os fatos investigados.