Menu
Buscarterça, 21 de maio de 2024
(67) 99913-8196
Dourados
26°C
Política

Temer diz que Brasil voltará a crescer em 2017, com responsabilidade

25 dezembro 2016 - 13h04

O presidente Michel Temer fez na noite deste sábado (24), um pronunciamento em rede nacional de rádio e televisão no qual afirmou que 2017 será o ano em que o país derrotará a crise e recuperará os empregos perdidos. Ele pregou a "democracia da eficiência", disse que o desafio à frente do governo é "desburocratizar o Estado" e afirmou que o brasileiro paga muito imposto e recebe pouco em troca.

Este é o segundo pronunciamento de Temer em rede nacional de rádio e TV desde que ele chegou ao Palácio do Planalto. O primeiro foi exibido em 31 de agosto, sete horas após o Congresso Nacional aprovar o impeachment de Dilma Rousseff e ele, à época presidente em exercício, assumir efetivamente a Presidência da República.

"Tenho a perfeita consciência dos problemas do país e da missão que me foi dada. Os brasileiros pagam muitos impostos e pouco recebem em troca. Meu desafio é desburocratizar o Estado e melhorar a qualidade da administração pública. É o que eu chamo de democracia da eficiência", afirmou o presidente.

A fala de Temer neste sábado durou pouco menos de quatro minutos. Na mensagem de Natal, o presidente também destacou a emenda constitucional que estabelece um limite para os gastos públicos pelos próximos 20 anos, aprovada pelo Congresso, e a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que estabelece uma reforma na Previdência Social, em análise na Câmara.

Ao fazer uma avaliação sobre 2016, Temer disse que este ano trouxe "imensos desafios" e, por isso, ele tem trabalhado "dia e noite" para fazer as reformas necessárias para o país sair da crise e voltar a crescer.
"2017 será o ano em que derrotaremos a crise. Os juros estão caindo e cairão ainda mais. Os empresários voltarão a investir e vamos recuperar os empregos perdidos. Precisamos crescer. Trabalhamos para voltar a crescer. Vamos crescer! Desta vez, um crescimento sustentável e responsável", acrescentou. Com informações do G1

Deixe seu Comentário

Leia Também