Menu
Buscarquarta, 12 de junho de 2024
(67) 99913-8196
Dourados
24°C
unigran24
banner100
RESGATE

Waltinho quer recuperar representatividade

Ex-presidente da Sanesul se propõe a ser deputado federal por Dourados

08 abril 2022 - 13h36Por Assessoria

O pré-candidato do PP à Câmara dos Deputados, Walter Carneiro Júnior, disse nesta quinta-feira (7), durante entrevista ao radialista Lucas Corrêa (FM Harmonia), que a cidade de Dourados vai ter a oportunidade de resgatar a representatividade política no contexto federal.

Waltinho, como é popularmente conhecido, voltou a lamentar o fato de a segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul, que já teve uma bancada composta por três deputados federais, não ter nenhum representante atuando em Brasília na atual legislatura.

“Eu penso que Dourados vai ter a oportunidade de resgatar a representatividade que sempre teve no contexto estadual e federal. Nós tivemos três deputados federais na mesma legislativa, hoje não temos nenhum. Seria uma cidade com mais de 160 mil eleitores e não tem nenhum deputado eleito.  Acho que isso traz um prejuízo de representatividade muito grande para a nossa cidade”, previu, na entrevista que concedeu ao radialista Lucas Corrêa, na Harmonia FM 98.3.

Reconhecido pela gestão de excelência à frente da presidência da Sanesul (Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul, Waltinho disse que resolveu deixar o cargo e colocar seu nome à disposição das lideranças políticas estaduais a fim de disputar uma das oito cadeiras a que Mato Grosso do Sul tem direito na Câmara Federal, dentro de um projeto cujo objetivo é dar continuidade na brilhante gestão do governador Reinaldo Azambuja (PSDB).

Waltinho disse que faz parte de um grande grupo, liderado pelo governador Reinaldo Azambuja, e que filiou-se ao PP motivado por um projeto político que envolve a eleição do ex-secretário de Infraestrutura, Eduardo Riedel, para governador e da ex-ministra da Agricultura, Tereza Cristina, para o Senado.

O advogado se filiou ao partido no dia 1º de abril juntamente com o pai, o ex-presidente da Assembleia Legislativa, Walter Benedito Carneiro, cujas fichas foram abonadas por Tereza Cristina, que deixou o cargo para voltar a Câmara e participar das eleições de 2 de outubro como candidata ao Senado.

“Fomos bem recebidos no PP, partido que tem hoje a maior bancada da Assembleia Legislativa, representado pelos deputados Gerson (Claro), Evander (Vendramini), Londres (Machado), Barbosinha e Marçal (Filho). Nós temos também um deputado federal, Luiz Ovando, e todos esses atores estão empenhados também na defesa desse legado, na construção da pré-candidatura da ministra Tereza Cristina, que é pré-candidata ao Senado, e da pré-candidatura do ex-secretário Eduardo Riedel ao governo do Estado, que esse grupo defende também junto com o governador Reinaldo Azambuja”, disse.

Grande Governo

O pré-candidato disse ainda que tem orgulho de ter participado do governo de Reinaldo e do vice-governador Murilo Zauith que, segundo ele, construíram um grande modelo de gestão para Mato Grosso do Sul.

Falou da gestão à frente da Sanesul, companhia que é referencia nacional, citando, entre outros pontos, mais de R$ 460 milhões de investimentos em obras de saneamento, incluindo água e esgoto e de outras ações que estão contribuindo com melhor qualidade de vida para a população de Mato Grosso do Sul.

“Nós estamos participando de um grande projeto político para Mato Grosso do Sul. O governador Reinaldo, junto com o Murilo (Zauith), eles desenvolveram um modelo de gestão, que é um modelo municipalista. Este é o maior legado que esse governo, que termina em dezembro, vai deixar para o nosso Estado”, reforçou, citando os investimentos em obras de infraestrutura e todas as ações executadas nos 79 municípios do Estado.

“O governo não inventou moda, antes de decidir o que fazer nos municípios, ele fez uma rodada de conversa, chamada de Governo Presente, foi até os municípios em duas oportunidades num intervalo de quatro anos, sentou com os principais atores locais, prefeitos, vereadores, entidades do terceiro setor e pediu para que a comunidade local identificasse quais as prioridades que os municípios tinham. Os prefeitos, como porta voz das cidades, identificaram as três prioridades e o governo executou as obras, isso que é de fundamental importância, entregou para a população aquilo que ela quer. E isso acontece em todo Mato Grosso do Sul”, reforçou.

Ao final da entrevista, falou da atuação parlamentar do pai nos anos 70, 80 e 80 como vereador por dois mandatos e deputado estadual por três legislaturas, falou de sua mãe, Elizete Vieira Carneiro, e voltou a dizer que está preparado para representar o Estado em Brasília.

“Nós teremos a oportunidade agora em outubro, de ter a escolha de quem irá nos representar nos próximos quadros anos.  Acho que é o momento de fazer uma reflexão, ver quem tem serviço prestado, quem tem referência na cidade, quem tem uma folha de ações que buscam ajudar o desenvolvimento da cidade, quem pode construir no dia a dia no crescimento da cidade, que teve participação efetiva. Eu sou advogado de formação, participei do processo administrativo de Dourados na gestão Murilo Zauith, secretário de Fazenda, isso me proporcionou ser o presidente do Confaz-M [o Conselho de secretários municipais de Fazenda], tive oportunidade de passar quatro anos na Consultoria Legislativa do Governo do Estado, desenvolvendo os projetos de lei, as mensagens, os vetos que o governo fez no primeiro mandato, e no segundo mandato do Reinaldo e do Murilo eu fui convidado a participar desse momento que a Sanesul vive”, acrescentou.

Deixe seu Comentário

Leia Também