Menu
Buscarterça, 16 de julho de 2024
(67) 99913-8196
Dourados
10°C
unigran24
Saúde

Reinaldo começa a construir Centro de Diagnósticos em 2017, anuncia Geraldo

25 outubro 2016 - 17h03

A construção dos Centros de Diagnóstico e de Especialidades Médicas de Dourados (o Centro de Imagens) vai começar no 1º semestre de 2017, informou nesta terça-feira (25) o deputado federal Geraldo Resende (PSDB-MS), autor dos recursos federais. O primeiro é de R$ 3,5 milhões, fruto de emenda individual ao OGU (Orçamento Geral da União) 2016. O valor foi empenhado em julho pelo Ministério da Saúde; e o segundo de R$ 3,4 milhões, oriundo do OGU 2015, que foi empenhado em dezembro do ano passado. Ao todo são R$ 6,9 milhões viabilizados somente pelo congressista sul-mato-grossense para ajudar a resgatar a saúde pública de Dourados. Veja 'espelhos' dos empenhos abaixo.

Conforme o parlamentar, com os recursos aprovados, o Estado já contratou a empresa MEP Arquitetura e Planejamento Ltda., que foi a vencedora do processo licitatório para elaborar o projeto final da obra que deverá ser entregue em dezembro deste ano. “Concluindo esta etapa, o Estado vai começar as obras já no primeiro semestre de 2017”, destaca Geraldo Resende, observando que a estrutura terá uma central de exames e outra de diagnóstico funcionando de forma integrada.

Sicredi

Segundo o deputado, o Centro de Diagnóstico será um amplo serviço para a realização de exames e o Centro de Especialidades concentrará serviços médicos com especialistas em diversas áreas. Geraldo Resende afirma que o objetivo do Centro de Diagnóstico Especializado é dar fim a dependência que a saúde pública municipal douradense “desenvolveu ao longo dos anos junto à rede privada de serviços médicos hospitalares e diagnósticos”.

Ainda de acordo com o parlamentar, “a grande maioria dos serviços oferecidos à população de Dourados e região é contratualizada, ou seja, conveniada com clínicas e laboratórios particulares, o que em muitas vezes acaba onerando os cofres públicos municipais, haja vista que tais contratualizações extrapolam a tabela SUS de pagamentos de procedimentos”, afirmou Geraldo Resende. Para o parlamentar, o fato de Dourados ser a sede de uma macrorregião composta por 38 municípios, agrava a situação da saúde pública, uma vez que o sistema atende aproximadamente 800 mil habitantes em todas as especialidades médicas, bem como exames de baixa, média e de alta complexidade.

A proposta é resolver o problema de uma forma definitiva, a exemplo do que já ocorreu em Maringá/PR, Ribeirão Preto/SP e várias outras cidades, sedes de macrorregiões, como é o caso de Dourados, onde centros semelhantes são locais onde as pessoas fazem todos os exames solicitados pelos médicos que atendem a rede pública de saúde.

Espelho 1Espelho 2