Menu
Buscarquarta, 24 de abril de 2024
(67) 99913-8196
Dourados
25°C
Política

Geraldo mobiliza prefeitos para acelerar obra da Sul-Fronteira

03 março 2011 - 18h54Por Assessoria
Obra prevê a pavimentação de um trecho de 337 quilômetros, interligando oito cidades e beneficiando outras seis, num universo de mais de quase 200 mil habitantes.

O deputado federal Geraldo Resende (PMDB-MS) está mobilizando os prefeitos dos 14 municípios situados na faixa de fronteira e sob influência da região fronteiriça com o Paraguai, para audiência com o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, em data ainda a ser definida pelo Ministério.

Geraldo propôs também que o governador André Puccinelli e o deputado Edson Giroto participem da audiência. A ideia é pressionar o governo para a conclusão da primeira etapa da pavimentação, entre o distrito de Sanga Puitã (Ponta Porã) e Aral Moreira, e aceleração da segunda etapa, entre Coronel Sapucaia e Mundo Novo.

Devem participar da audiência ministerial os prefeitos Junei Marques (Antonio João), Flávio Kayatti (Ponta Porã), Edson David (Aral Moreira), Dirceu Lanzarini (Amambai), Rudi Patzoldi (Coronel Sapucaia), Claudio Rocha Barcelos (Tacuru), Dirceu Bettoni (Paranhos), Sérgio Mendes (Sete Quedas), José Roberto Arcoverde (Iguatemi), Marta Maria de Araújo (Eldorado), Rubens Freire Marinho (Japorã), Antonio Cavalcante (Mundo Novo), Luiz Brandão (Laguna Carapã) e Mateus Palma (Caarapó).

Na última terça-feira, junto com o deputado federal Edson Giroto (PR), Geraldo Resende se reuniu com o secretário nacional de Desenvolvimento do Centro-Oeste, Marcelo Dourado, para tratar da liberação de recursos para pavimentação da rodovia Sul-Fronteira. Na semana passada, em pronunciamento no plenário da Câmara dos Deputados, Geraldo destacou a importância da obra e cobrou agilidade.

Durante a reunião com o secretário, na sede do Ministério da Integração Nacional, Geraldo Resende e Edson Giroto pediram ao governo que não haja contingenciamento nos recursos previstos para a rodovia, em razão dos cortes programados para este ano.

“Pedimos a liberação dos recursos empenhados nos últimos três anos para que a pavimentação prossiga e cumpra o seu papel de desenvolver e integrar os 14 municípios que serão beneficiados”, disse Geraldo Resende ao sair da reunião com Dourado, salientando a necessidade de aceleração da obra, devido ao seu grau de importância, tanto estratégica quando do ponto de vista econômico e social.

A obra prevê a pavimentação de um trecho de 337 quilômetros, interligando oito cidades e beneficiando outras seis, num universo de mais de quase 200 mil habitantes.

Segundo o Ministério da Integração, já foram liberados R$ 8,2 milhões para execução das obras, mas ainda faltam R$ 24 milhões – empenhados - para conclusão do asfaltamento. Estão previstos outros R$ 22 milhões no Orçamento Geral da União de 2011 para execução do trecho da MS-165 até Sete Quedas. Com a liberação de recursos, serão retomados os serviços no trecho de 22 quilômetros entre Sanga Puitã, distrito de Ponta Porã, e Aral Moreira, percurso que faz parte da primeira etapa.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também